José Alves critica 'boicote' da CBTur a Centro de Convenções: 'Avesso da democracia'
Fotos: Luiz Fernando Teixeira/ Bahia Notícias

O secretário de Turismo da Bahia, José Alves, criticou nesta terça-feira (12) integrantes do Conselho Baiano de Turismo (CBTur), que têm se colocado contra as pretensões do governo estadual de construir o novo Centro de Convenções no Parque de Exposições. Na segunda (11), ele convocou uma reunião com os 19 nomes que compõem o conselho para poder explicar detalhes do projeto, mas apenas dois deles apareceram: o presidente Roberto Durán e o presidente do Convention Bureau, Sérgio Gomes. O fato foi encarado como uma retaliação do CBTur. Em entrevista ao Bahia Notícias, Alves pediu compreensão aos integrantes da entidade para que ouçam a proposta do governo e disse que a atitude de boicote é o “avesso da democracia”. O secretário ainda sugeriu que o ato pode ter motivações políticas. “A gente abre as portas para o trade para se fazer uma audiência coletiva e as pessoas, ao invés de contribuírem, não aparecem. Isso é o avesso da democracia, o avesso do bom empresário. Você tem que ouvir. Como eu vou saber se a sua proposta é boa ou não se você não ouvir?”, questionou o titular da Setur. Na avaliação de Alves "ou é briga, ou é a parte política que, infelizmente, está entrando no processo que não era para entrar. Eu não quero pensar nisso”. Ainda segundo titular da Setur, o presidente da CBTur “gostou do que ouviu” na reunião e prometeu levar a proposta para os demais integrantes da entidade. O secretário também defendeu a instalação do novo CCB no Parque de Exposições, pois, segundo ele, é o único terreno do governo estadual disponível para abrigá-lo assim como está sendo projetado. O trade turístico tem defendido que o equipamento seja construído no mesmo local do atual, no bairro do Costa Azul, atualmente fechado por conta de pendências judiciais, possibilidade inexistente para o secretário. Mas Alves afirmou que não há espaço físico para instalar o centro, que pode abrigar até uma arena para grandes shows internacionais. “O projeto atual que a gente está desenhando vai ter uma torre empresarial, torre de hotéis, o próprio centro, um shopping diferenciado, que não existe no Nordeste. Ainda vamos ter uma arena multiuso, que vai servir para arenas musicais, eventos empresariais. Um show de Paul McCartney não seria em um espaço aberto, mas nesse espaço, que é mais adequado. A gente tem que estar aberto ao novo, não pode ficar pensando no passado”, defendeu. Ainda conforme o secretário, o termo de compromisso para a empresa que pretende fazer a construção do equipamento será publicado nos próximos dias.

Histórico de Conteúdo