Crise no PMDB: Hildécio nega saída do partido e defende pluralidade no comando da sigla
Foto: Divulgação/ AL-BA

O deputado estadual Hildécio Meireles (PMDB) negou a possibilidade de sair do partido. A hipótese passou a circular entre alguns integrantes da sigla após o parlamentar demonstrar insatisfação com a atual situação da sigla, que enfrenta uma crise após a nova prisão do ex-ministro Geddel Vieira Lima, presidente estadual licenciado da agremiação. Em entrevista a uma rádio, o peemedebista chegou a defender a saída do deputado federal Lúcio Vieira Lima do comando do diretório do PMDB em Salvador. Ao Bahia Notícias, Hildécio avaliou como “remotíssima” a probabilidade de deixar a legenda e defendeu que é necessário trazer pluralidade ao partido, em referência à concentração do comando do partido nas mãos dos Vieira Lima. “Estamos trabalhando para o partido retomar o crescimento do partido. Minha tarefa é no sentido de colocar o PMDB na linha do desenvolvimento, de arejar o partido. Eu estou levando algumas propostas para os encontros que estamos tendo. Mas, oportunamente, a executiva vai se reunir para tomar decisões”, afirmou o parlamentar. O deputado afirmou também que o PMDB está “abalado” com o caso de Geddel, mas ponderou que as práticas do partido não podem ser atreladas àquelas imputadas ao ex-ministro da Secretaria de Governo do presidente Michel Temer. “O partido é maior que todo mundo. A gente não pode personalizar, ligar o partido a uma pessoa só. É por isso que defendemos a pluralidade do partido, vamos ter que caminhar nisso aí”, defendeu.

Histórico de Conteúdo