Mendes critica política no Judiciário e aponta risco de 'estado policial'
Foto: Nelson Jr/STF

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes declarou em Pernambuco que é preciso impor limites à Operação Lava Jato. Segundo informações do site O Antagonista, ele reafirmou o discurso do ex-presidente Lula, de que o juiz Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol estão em campanha eleitoral. “Quem quiser fazer política, que vá aos partidos políticos e faça política lá. Não na promotoria, não nos tribunais… Deus nos livre disto. Os autoritarismos que vemos por aí já revelam que nós teríamos não um governo, mas uma ditadura de promotores ou de juízes”, afirmou. Mendes também apontou um risco de “estado policial” que estaria atingindo “o próprio presidente”. “Nós não podemos despencar para um modelo de estado policial. Investigações feitas na calada da noite, arranjos, ações controladas, que tem como alvo muitas vezes qualquer autoridade ou o próprio presidente… é preciso discutir isso”.

Histórico de Conteúdo