Fieb investe em Instituto de Tecnologias em Saúde e terá curso de engenharia biomédica
Foto: Daniele Rodrigues/GOVBA

O presidente da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb), Ricardo Alban, detalhou, nesta quinta-feira (6), a criação do Instituto de Tecnologias em Saúde (ITS), dentro do complexo Senai/ Cimatec. Alban e o professor Roberto Badaró, que coordena a instalação do ITS, afirmaram que a iniciativa vai fomentar o desenvolvimento de tecnologias relacionadas à saúde e pretende trabalhar com parcerias com instituições de pesquisa ao redor do mundo. “A ideia é desenvolver, mas também absorver tecnologia e transferir para a indústria”, ressalta Alban. O instituto pretende atuar nas áreas de engenharia de tecidos; órtese e próteses; aprimoramento e automação do diagnóstico por imagem; terapias para a população da terceira idade; diagnóstico inVitro e e-health; nanotecnologia; tecnologias assistivas; terapia gênica; produtos biológicos; e medicina personalizada. De acordo com o presidente da federação, ao investir no desenvolvimento de tecnologias em saúde, a Fieb fomenta a expansão de uma cadeia produtiva que não possui o potencial desenvolvido no Brasil e permitirá um melhor aproveitamento dos recursos investidos no setor pelos governos federal, estadual e municipal.


Ricardo Alban acredita que ITS se tornará referência internacional | Foto: Bahia Notícias

 

Segundo o dirigente da Fieb, a entidade sozinha não teria condições de arcar com os investimentos necessários para um projeto como o ITS e “tem havido muito simpatia” por parte dos atores políticos, a exemplo do governador Rui Costa, do vice-governador João Leão, dos senadores Otto Alencar e Roberto Muniz e do prefeito de Salvador. Alban cita uma série de encontros, em Brasília, intermediado por Leão com representantes do Ministério da Saúde, controlado pelo PP, sigla presidida na Bahia pelo vice-governador. Para além da criação do instituto, há a perspectiva do intercâmbio de doutores entre o Cimatec/ ITS e instituição de pesquisa e ensino estrangeira, inicialmente sediadas nos Estados Unidos. Apesar dos investimentos previstos, a iniciativa fica restrita, num primeiro momento, à absorção de conhecimento e, em 2019, existe a expectativa que um curso de engenharia biomédica tenha a primeira turma. Parte do ITS, inclusive, deverá funcionar também no Cimatec Industrial, com investimentos de cerca de R$ 80 milhões e previsão para inauguração, em Camaçari, na metade de 2018 – o complexo terá ainda focos para desenvolvimento de tecnologias na área de energia renovável e para as indústrias automobilísticas e aeronáutica. 

Histórico de Conteúdo