Com Samuel Celestino

Receba Notícias do BN

Nome
E-mail *

Curtas do Poder

Curtas do poder

Esses dias estava analisando o menino Silvio Pinheiro, da Sucom, e acabei lembrando do velho ACM. O cabra é retado, não come reggae e manda derrubar mesmo. Tal qual o falecido senador na época do bico de ferro, quando ele mesmo dirigia o trator durante as demolições. Para você ter uma ideia, o homem da Sucom já é chamado pelos colegas de Silvinho – O Terrível. Falando em terrível, tem políticos dando uma recauchutada no visual. O filho do ex-prefeito João Henrique poderia dar uma mexida no visual, mas não o fez. Continuou daquele jeito. Não deixe de ler as Curtas do poder!

Veja mais

Pérola do dia

Dilma Rousseff

"O Brasil que precisa de 70 mil megawatts, em hipótese nenhuma, pode viver de fontes alternativas. Isso é uma fantasia"

Presidente da República, rebatendo declarações da adversária Marina Silva (PSB) sobre o setor elétrico no Brasil

Veja mais

Entrevistas

Marcos Mendes

O candidato ao governo do estado pelo PSOL, Marcos Mendes, foi o segundo postulante a conceder entrevista ao Bahia Notícias. Planos de cargos e salários para os funcionários públicos de diversas áreas, a reestruturação das políticas públicas para o semiárido e a crença na possibilidade de um governo isento de amarras partidárias e parceiros privados estão dentre os assuntos discutidos. “Nós temos que discutir um novo modelo de sociedade, então o seu voto tem três desdobramentos. Primeiro, você pode ser omisso, não votar em ninguém, votar nulo ou votar em branco, mas o PSOL está dando uma alternativa real, então não anule o seu voto. 72% das pessoas estão desacreditadas da política, mas o PSOL tem demonstrado que é o partido dos sonhos de qualquer ser humano. Segundo ponto: você pode ser conivente ou cúmplice e votar no que está aí. Paulo Souto, Lídice da Mata ou Rui Costa, mas saiba que daqui a quatro anos vai acontecer as mesmas coisas, porque eles são financiados pelas mesmas grandes empresas e o dinheiro público vai ser encaminhado para elas. O terceiro ponto é você acreditar em um projeto que vai ter ampla participação popular, ampla transparência, com dinheiro público que vai ser encaminhado para políticas reais. Esse é o modelo defendido pelo PSOL. No primeiro turno a gente volta nas melhores ideias e nas melhores propostas, por isso que tem dois turnos, nós somos uma alternativa real. Quero deixar uma frase de Simone de Beauvoir, escritora e pensadora francesa, que dizia: ‘O opressor não seria tão poderoso se não tivesse cúmplices entre os próprios oprimidos’. Não alimente esse sistema com essas pessoas que estão cada vez mais destruindo o nosso estado”, afirmou Mendes.

Veja mais

Multimidia

Veja o lance do gol de Bahia 1x0 Corinthians

Veja mais

Terça, 04 de Fevereiro de 2014 - 08:40

Ordenamento do comércio de rua chega ao bairro da Liberdade antes do carnaval, diz Semop

Ordenamento do comércio de rua chega ao bairro da Liberdade antes do carnaval, diz Semop
Foto: Mauro Akin Nassor/Correio
Antes do carnaval, o comércio de rua no bairro da Liberdade, em Salvador, será reorganizado. Segundo a Secretaria Municipal da Ordem Pública (Semop), a previsão é de que, até o dia 20, os trabalhos comecem. Contudo, a ação não será a mesma realizada no centro da cidade. “Diferente da Avenida Sete, na Lima e Silva não temos transversais para alocar o comércio. Vamos, então, pensar em uma rua para o uso coletivo, que permita o comércio, mas que também seja possível ter uma organização para quem quer caminhar na calçada”, afirmou a titular da pasta Rosemma Maluf. No bairro da Liberdade, os equipamentos dos ambulantes serão padronizados e só poderão atuar na área os vendedores licenciados. A Semop contabiliza cerca de 210 ambulantes cadastrados, mas existem muitos que atuam sem licença. De acordo com Carlos Augusto Oliveira, presidente da Associação dos Dirigentes Empresariais da Liberdade (Adiel), alguns trabalhadores aparecem apenas em períodos de festas. Alguns pontos do projeto da prefeitura já têm gerado reclamações e dúvidas entre os moradores. Um deles é a venda de frutas e verduras apenas na Feira do Japão e a concentração da venda de carnes e frutos do mar em um galpão no final da Rua Gonçalo de Coelho. “O galpão precisa passar por reformas. Existe uma lei federal que impede que esses produtos sejam vendidos na rua, ou seja, não vai haver licença nessas condições. Com o galpão, estamos apontando soluções”, conclui Rosemma. As informações são do Correio.

Comentar

   

Histórico de Conteudo

Site Auditado pelo IVC - Bahia Noticias

Enquete

Que candidato a governador teve o melhor no primeiro debate televisivo de 2014?