Com Samuel Celestino

Receba Notícias do BN

Nome
E-mail *

Curtas do Poder

Curtas do poder

Essas eleições foram a bagaceira na Bahia e no Brasil. Alguns políticos se deram mal. Mas aqui na terrinha o bicho pegou. Teve candidato achando que tava eleito se ferrando feio. Falando em candidato, com a derrota de Paulo Souto e Aécio, a disputa para a vice do Soberano nas próximas eleições será acirrada. De uma coisa tenho certeza: o deputado Bruno Reis tá fora. O povo não gosta de político que desrespeita as leis municipais e os agentes públicos. Confira os detalhes nas Curtas do poder!

Veja mais

Pérola do dia

Lídice da Mata

“Eu defendo que o partido se mantenha independente, mas o partido ainda vai debater essa questão. Cada dia uma agonia”

Lídice da Mata, senadora pelo PSB, ao comentar sobre a situação da sigla após as eleições.

Veja mais

Entrevistas

Marcelo Nilo

Após o término das eleições para o segundo turno, começa nos bastidores a disputa para saber quem assume a presidência da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA). E quem já aparece como candidato à reeleição ao cargo é Marcelo Nilo (PDT), eleito para o seu sétimo mandato como deputado estadual, pela segunda vez o mais votado do estado, com 148.690 votos. Em entrevista ao Bahia Notícias, Nilo assume seu início de campanha para ser pela quinta vez presidente da AL-BA, fala sobre suas relações com o atual e o futuro governador do estado, e diz que todas as melhorias recentes na Bahia “passaram por sua caneta”. "Uma coisa que eu me orgulho muito é que tudo que ocorreu de positivo na Bahia tem a tinta da minha caneta. Se o governador fez uma estrada, passou pela assembleia. Se fez um centro tecnológico ou posto de saúde também”. Leia a entrevista completa.

Veja mais

Multimidia

Veja os gols de Bahia 1x1 Atlético-MG

Veja mais

Sexta, 20 de Setembro de 2013 - 07:47

Governo do Ceará paga oito vezes mais por shows

Governo do Ceará paga oito vezes mais por shows
O governo do Ceará pagou shows de artistas nacionais com valores oito vezes mais caros do que custam as apresentações, concluiu o Ministério Público de Contas do Estado. Segundo reportagem da Folha de S. Paulo, o órgão apontou preços acima da média na contratação de 15 das 45 apresentações musicais do festival Férias no Ceará, que oferece shows gratuitos em Fortaleza e no interior. O show de Jorge Vercillo, por exemplo, custou R$ 135 mil aos cofres cearenses. No entanto, o artista havia tocado no mesmo ano em Itajaí (SC) por R$ 15,7 mil e, em Fortaleza, por R$ 35 mil. Já Zélia Duncan se apresentou por R$ 140 mil no festival, mas cobrou R$ 37 mil na Paraíba. A apresentação da banda Jota Quest custou R$ 223 mil no Ceará e R$ 95 mil em Bonito (MS). Os outros shows pagos pelo governador Cid Gomes (PSB) com suspeita de superfaturamento são de Biquini Cavadão, Skank, Kid Abelha, Lulu Santos, Paralamas do Sucesso, Cidade Negra e Jorge Benjor.

Comentar

   

Histórico de Conteudo

Site Auditado pelo IVC - Bahia Noticias

Enquete

Vencedores da licitação do ônibus em Salvador vão operar por 25 anos. Muda algo?

Artigos

Samuel Celestino
Para além do maniqueísmo em prol da consciência que está por vir

Em uma sociedade em que seus cidadãos desenvolvem uma desordem, pelo fato de todos viverem ao mesmo tempo na busca de realizações, visando somente segurança, satisfação e prazer, nos revela que de teoria em teoria, não raro falsas, o Ser Humano enche sua mente e fica tão condicionado, que, cego, não vê que o passado já foi um presente momentaneamente vivido, cheio de falsas teorias e promessas nunca concretizadas. E, sendo assim, o passado já foi um futuro belo, rico e significativo, momentaneamente vivido como um presente sempre prometido, mas nunca encontrado, porquanto sempre fora preterido, embora dito pretendido, e assim perseguimos a ideia de perfeição futura.

Veja mais

Viagem no tempo

Samuel Celestino, anos atrás
Publicado no jornal A Tarde em 25 de novembro de 1982 - O que será do PMDB baiano?

Não era o líder oposicionista de Feira quem estava, na segunda-feira última, na casa de Roberto Santos. O deputado Francisco Pinto estava lá, sobretudo, como secretário nacional do PMDB e sua missão, mais do que discutir o resultado das eleições, era sentir o ânimo do candidato Roberto Santos, que já não tinha qualquer esperança de uma mudança no quadro das apurações. Mário Kertész havia chegado pouco antes e, embora triste, não estava abatido.

Veja mais