Com Samuel Celestino

Receba Notícias do BN

Nome
E-mail *

Curtas do Poder

Curtas do poder

Rapaz, João Leão é um falastrão de marca maior. Andou dizendo que não é ministro de Dilma porque a mulher não deixou. O coroa do “buraco zero” gosta de ser folclórico, gosta de arrancar risadas, mas trabalho que é bom, nada. Falando em folclore, circula nos bastidores da política que a ida de Paulo Souto para a secretária da Fazenda é para que ele se fortaleça para ser candidato a vice no pleito de 2016. Antonio Imbassahy, que anda fechadinho com os irmãos Vieira Lima, está de olho e não está gostando nada desta história. Aí é briga de cachorro grande e eu quero cair fora. Não deixe de ler as Curtas do poder!

Veja mais

Pérola do dia

Nelson Pelegrino

“Quando o governador me convidou, me convidou para passar quatro anos na secretaria e a minha disposição é essa. Essa é a determinação”

Novo secretário de Turismo, ao ser questionado se seria candidato de Salvador em 2016, pela quinta vez

Veja mais

Comentários

PM homenageia homens mortos por Lampião em 1929

tomar cuidado com a comissão dos direitos dos manos para não ir lá defender Lampião.

21/12/2014 - 10:41

joao pereira da silva

Dilma revê nomes para ministérios por causa de lista de políticos citados em delação

Vai ser difícil para ela encontrar alguém que decente e que esteja junto ao grupo dela. A Fazenda e Planejamento teve que buscar fora e assim, será com os demais.

20/12/2014 - 21:22

Sergio Mauro

Veja mais

Entrevistas

Pedro Galvão

Sem convite do governador eleito Rui Costa para continuar no cargo, o secretário de Turismo, Pedro Galvão, faz um balanço da sua curta administração na pasta, em entrevista ao Bahia Notícias. Ele assumiu o cargo na cota de indicação do PR em janeiro deste ano e organizou eventos como o Carnaval e a Copa do Mundo. Galvão afirma que tem "o melhor relacionamento" com o chefe da Secretaria de Desenvolvimento, Turismo e Cultura de Salvador, Guilherme Bellintani, na produção de eventos na capital. O secretário também elogia a futura extinção da Bahiatursa. "O novo governador [Rui Costa], com muita propriedade, entendeu que a Bahiatursa tinha uma série de problemas e que precisava ser requalificada. Acho que vai funcionar perfeitamente bem", avalia. Galvão também adianta que o projeto da Estrada Real da Chapada – roteiro que refaz o caminho aberto pela Coroa Poruguesa para unir a Bahia e Minas Gerais – deve entrar em fase de execução no próximo ano. "Ela está a todo vapor e acredito que em 2015 já esteja levada ao público através de uma propaganda, mostrando no Brasil e exterior que nós temos uma Estrada Real", informou.

Veja mais

Multimidia

Posse do presidente do Bahia Marcelo Sant'Ana

Veja mais

Quarta, 30 de Janeiro de 2013 - 13:00

Primeira paralisação do governo Neto: Guardas municipais suspendem atividades por dois dias

Primeira paralisação do governo Neto: Guardas municipais suspendem atividades por dois dias
Foto: Divulgação
Às vésperas do carnaval, o novo prefeito de Salvador, ACM Neto, terá sua primeira paralisação de servidores para resolver. Isso porque os guardas municipais anunciaram, nesta quarta-feira (30), a suspensão das atividades por um período de 48 horas. A categoria exige que a prefeitura garanta a igualdade na escala especial de trabalho da Operação Carnaval 2013. De acordo com os servidores, a Superintendência de Segurança Urbana e Prevenção à Violência (Susprev) nega-se a modificar o planejamento atual para a festa, que segue idêntico ao de 2011 e não abrange todos os agentes interessados em trabalhar na folia. O diretor do Sindicato dos Servidores da Prefeitura de Salvador (Sindseps), Jeiel Soares, disse que a gestão não demonstrou qualquer vontade de atender aos pleitos dos trabalhadores e limitou-se, apenas, a manter a escala do ano passado com a alegação de que o início da administração do atual prefeito não poderia ter um carnaval comprometido. “A paralisação é o primeiro alerta oferecido ao atual governo. Não queremos que a cidade sofra, pois somos guardiões da cidadania. O contribuinte nos paga para trabalhar, e o plano proposto pela administração exclui homens e mulheres que compõem o contingente da Guarda Municipal, e que terminarão por ficar em casa vendo o carnaval pela televisão enquanto deveriam estar nas ruas colaborando para o êxito da festa”, declarou Soares. O dirigente afirmou ainda que, no período, muitos servidores serão substituídos por colaboradores terceirizados, o que, segundo ele, onera os cofres públicos e compromete os serviços. “Se há necessidade de pessoal excedente porque a administração não privilegia trabalhadores do seu próprio quadro ao invés de terceirizar? Isso é um paradoxo”, indagou. A categoria deve se reunir, nesta quinta (31), para definir novas deliberações a serem tomadas, caso ocorram rodadas de negociação com a gestão da Susprev. 

Comentar

   

Histórico de Conteudo

Site Auditado pelo IVC - Bahia Noticias

Enquete

Ano novo, energias novas. O que esperar de 2015?

Artigos

Ernani Varjão
Escândalo da Petrobras: e como ficam os acionistas minoritários?

O mercado de Ações é considerado, por sua própria natureza, um investimento de alto risco, sujeito as instabilidades do mercado, em face do setor de atuação da empresa. Entretanto, existem empresas que pela “segurança” que transportam e pela estabilidade que demonstram ao longo de anos, dão uma maior garantia aos investidores, que muitas vezes utilizam grande parte do seu patrimônio para a compra de ações. É o caso da PETROBRAS.

Veja mais

Viagem no tempo

Samuel Celestino, anos atrás
Publicado no jornal A Tarde em 28 de janeiro de 81: Governadores eleitos, e daí?

Em todas as unidades da Federação os políticos de maior expressão já se antecipam e posicionam-se como candidatos aos governos. A emenda constitucional que devolveu ao povo o sagrado direito de escolher, pelo voto, seus governantes, antecipou, em muito, o processo sucessório. Mas eleições diretas, por si só, não bastam, porque são insuficientes para vestir o país com roupas democráticas. É preciso restabelecer, antes do pleito de 82, a autonomia dos estados e dos municípios, perdida na voragem centralizadora do movimento revolucionário. O princípio federativo foi literalmente destroçado, com a demasiada concentração de força do governo da União.

Veja mais