Salvador terá internação compulsória de dependentes químicos
A exemplo de São Paulo, Salvador também adotará a internação compulsória de dependentes químicos. O governo estadual planeja implantar a medida em março, com uma equipe de profissionais da saúde nas ruas do Centro Histórico. Segundo o Correio, o grupo será criado pela Superintendência de Prevenção e Acolhimento aos Usuários de Drogas e Apoio Familiar (Suprad), órgão vinculado à Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos. “Esse tipo de internação feita em São Paulo será feita aqui também no Centro Histórico. Aqui em Salvador, nós não temos uma cracolândia nos moldes da Estação da Luz (em São Paulo). Temos alguns pontos que têm características parecidas, como por exemplo o Centro Histórico, onde há uma grande concentração com pessoas que vêm até do interior. Não é igual, mas requer intervenções”, afirmou a superintendente da Suprad, Denise Tourinho. A internação compulsória é determinada por um juiz, após pedido feito por um médico, mesmo sem autorização da família. Nesses casos, o atestado deve ser de que o dependente não tem domínio sobre suas condições psicológicas e físicas. 

Histórico de Conteúdo