Com Samuel Celestino

Receba Notícias do BN

Nome
E-mail *

Curtas do Poder

Curtas do poder

Sei que não se deve mexer com os mortos, mas quem o fez foi a oposição ao lançar uma chapa com Geddel, Paulo Souto e Joaci Góes. Digo isso porque o velho ACM não deve ter gostado nada, já que desencarnou com os três engasgados na goela. Portanto, onde quer que esteja, deve estar radiante com tamanha derrota. Ou Neto não fez contato com o além para pedir conselho antes de lançar a chapa ou o contato estava com ruídos. Falando em ruídos, ri muito com um post do vereador Marcell Moraes. Ao agradecer os votos que obteve para sua eleição a deputado estadual, ele disse que foi eleito pelos animais. Não posso deixar de concordar em gênero, número e grau. Confira essas e outras notinhas dos políticos nas Curtas do poder!

Veja mais

Pérola do dia

Eduardo Fontes

"A gente não vive em guerra. Não estamos na Idade Média."
 
Eduardo Fontes, preparador físico e atleta, ao comentar a rigidez do Teste de Aptidão Física da Polícia Militar.

Veja mais

Comentários

Rejeição de Aécio Neves sobe para mais de 40% nas duas pesquisas divulgadas nesta quinta

Aécio Neves é a mudança para o Brasil, infelizmente o povo do norte e nordeste em vez de lutar pelo país estão caindo nas mentiras e na corrupção de Dilma e Lula que serão investigados pela polícia federal depois do pepoimento do doleiro Youssef à policia federal de que Dilma e Lula sabiam de tudo o tempo todo do esquema da Petrobrás, o PT está desesperado porque sabe que quando Aécio Neves vencer as eleiões Lula será preso, tem uma reportagem de uma revista que saiu hoje que Lula já está pronto pra fugir do Brasil caso Aécio vença as eleições, o PT está enganando há tempo o povo da Bahia, do Amazonas, etc... vejam que contra fatos não há argumento, a realidade mostra uma coisa e o PT engana dizendo outra coisa, todos envolvidos no mensalão do PT ganharam prisão domiciliar e são chamados de heróis, roubam, enganam o povo brasileiro e são chamados de heróis pelo PT, se Aécio Neves ganhar as eleições Lula vai fugir para outro país de acordo com a revista que foi publicada hoje neste sábado, ano passado o povo brasileiro saiu as ruas pq naum aguenta mais o PT, em vez do Brasil inteiro se unir e se libertar ainda existem muito que preferem ser manipulados pelas mentiras exercidas por este partido político que mente e engana o povo brasileiro, o Brasil quer mudanças e a mudança já chegou, o povo brasileiro de vários estados brasileiros não querem mais o PT no governo, juntem-se ao Brasil e não ao PT e vamos mudar essa historia amanhã nas eleições, e vamos junto com Aécio Neves mudar o presente e o futuro de nosso país. Aécio Neves 45.

25/10/2014 - 19:41

lepsouza

Neto aponta fim do DEM depois das eleições

Só agora que percebeu que o DEM acabou? Não li nenhum articulista político escrever sobre a morte do DEM.

25/10/2014 - 18:51

Nadja Maria Lima Barbosa

Veja mais

Entrevistas

Rui Costa

O governador eleito no último dia 5, Rui Costa (PT), foi entrevistado pelo Bahia Notícias em meio ao evento de apoio da candidatura de Dilma Rousseff (PT), no último dia 16. Ele elenca as três áreas consideradas prioritárias nos primeiros meses de seu governo (saúde, segurança pública e educação) e, diante de especulações sobre possíveis nomes para as secretarias, declarou que os terá somente em dezembro e nada ainda foi conversado. Em relação a uma possível eleição de Aécio Neves, Rui é bem taxativo ao perfilar os seus adversários tucanos. “A má vontade do PSDB com o nordeste é histórica e está presente nos dias de hoje”, comenta o governador da Bahia a partir de 2015. Costa aponta a interferência política como o principal motivo do adiamento da operação comercial, contudo, garante que os prazos das obras não foram prejudicados.

Veja mais

Multimidia

Veja os gols de Bahia 1x1 Atlético-MG

Veja mais

Quarta, 17 de Outubro de 2012 - 00:00

Coronel João Sá: Prefeito derrotado acusa Justiça Eleitoral de comprometer eleição e pede anulação do pleito

por David Mendes

Coronel João Sá: Prefeito derrotado acusa Justiça Eleitoral de comprometer eleição e pede anulação do pleito
Carlos Sobral perdeu eleição por diferença de 104 votos | Foto: Bahia Notícias
O atual prefeito de Coronel João Sá, Carlos Sobral (PMDB), entrou com uma ação na Justiça Eleitoral com um pedido de anulação do pleito municipal do último dia 7 de outubro, no qual disputou a reeleição, mas foi derrotado por Romualdo Costa (PSD). O adversário venceu com 50,51% dos votos válidos (5.175), uma diferença de 104 votos para Sobral, que obteve 5.071. A eleição contou apenas com os dois postulantes. Para o atual gestor, a derrota nas urnas se deu após uma atitude, considerada por ele “arbitrária”, do juiz da 51ª Zona Eleitoral, Antonio Henrique da Silva, e do promotor eleitoral da Comarca, Leonardo Cândido. Segundo o peemedebista, os representantes da Justiça Eleitoral no município do nordeste baiano ordenaram a prisão de pessoas que usavam camisas da cor adotada pela sua campanha. “No dia da eleição, por volta das 12h30, o juiz mandou prender todo mundo que estava de camisa vermelha. Não importava se era camisa de manga comprida, curta ou camiseta. E não tinha nome de candidato nenhum e os que estavam com camisa vermelha não realizavam panfletagem. A Polícia Militar, de armas em punho, começou a prender as pessoas. Quem não ficou na mira dos policiais saiu correndo e foi a maior confusão. Na verdade, foi um terror”, contou Sobral, em visita ao Bahia Notícias. Segundo o alcaide, 24 pessoas foram detidas e acomodadas em um ônibus que estava à disposição da Justiça Eleitoral. “Após as prisões, eu me dirigi ao juiz e perguntei a ele o que estava acontecendo já que ninguém entendia a ação e as detenções. O juiz me disse: ‘vocês mandaram na cidade até hoje. A partir de hoje quem manda sou eu. Acabou a palhaçada’. Então, virei para o juiz e para o promotor e disse que eles tinham prejudicado a minha eleição, porque o ue povo tem mais medo no interior é de juiz, promotor e da Polícia Militar. Por conta disso, ninguém mais foi votar por medo”, cogitou.
 

Carlinhos Sobral, como é conhecido, informou ainda que muitos eleitores foram barrados nas seções de votação e obrigados a tirar as vestes, o que teria contribuído ainda mais para a dispersão dos votantes, já que a notícia teria se espalhado pela cidade e muitos teriam ficado com receio de ser detido pela polícia. “O juiz ordenou que as pessoas que estavam na fila de votação de uma seção na beira da estrada retirasse e entregasse as camisas. Com isso, se espalhou que quem tivesse de camisa vermelha iria preso. A partir daí era gente abandonando as seções, gente correndo por dentro dos pastos com medo de se encontrar com a polícia. As pessoas que vinham dos distritos nos ônibus mandavam parar no meio do caminho para descer, já que recebiam ligações de parentes informando as prisões. Teve até duas mulheres que votaram apenas de sutiã, após tirar a camisa e entregar à Justiça. Moral da história: 2.134 abstenções. E isso porque muitas pessoas deixaram de votar com medo”, relatou. O prefeito assegurou que coletou assinaturas de mais de 201 eleitores, anexadas ao processo, que deixaram de votar por medo de serem presos.

Comentar

   

Histórico de Conteudo

Site Auditado pelo IVC - Bahia Noticias

Enquete

Vencedores da licitação do ônibus em Salvador vão operar por 25 anos. Muda algo?

Artigos

Dilson Jatahy Fonseca Neto
Lula e Pompeu

Cada vez que abro um novo livro, ou conheço um novo relato da história, observo que os eventos são sempre os mesmos, mudando apenas os nomes, as datas e os lugares. A minha constatação, desta vez, é baseada nas eleições, tanto nas atuais quanto nas de Roma Antiga. Assistindo ao horário político, recentemente, me lembrei de uma pequena obra que li ano passado. O título é simples e direto, transmitindo o propósito da obra: “Como ganhar uma eleição”.

Veja mais

Viagem no tempo

Samuel Celestino, anos atrás
Publicado no jornal A Tarde em 25 de novembro de 1982 - O que será do PMDB baiano?

Não era o líder oposicionista de Feira quem estava, na segunda-feira última, na casa de Roberto Santos. O deputado Francisco Pinto estava lá, sobretudo, como secretário nacional do PMDB e sua missão, mais do que discutir o resultado das eleições, era sentir o ânimo do candidato Roberto Santos, que já não tinha qualquer esperança de uma mudança no quadro das apurações. Mário Kertész havia chegado pouco antes e, embora triste, não estava abatido.

Veja mais