Com Samuel Celestino

Receba Notícias do BN

Nome
E-mail *

Curtas do Poder

Curtas do poder

A pesquisa Ibope saiu na última quarta, mas trago hoje meus comentários sobre os números. Começo alertando que o DataNilo, o instituto de Marcelo Nilo que não é dele, mais uma vez enganou o Galego (JW). Falando em galego, me lembrei do propagandista Sidônio, que com a pesquisa e a derrota do Bahia deve ter tido uma das piores noites de sua vida. Posso definir a pesquisa com a mesma sensação que eu tive com Alemanha 5 e Brasil 0 aos 30 minutos do primeiro tempo. Não deixe de ler as Curtas do poder!

Veja mais

Pérola do dia

Walter Pinheiro

“As eleições foram prostituídas. O sujeito da eleição de 2016 já está fazendo campanha desde agora.”

Senador pelo PT-BA, ao defender a urgência da implantação da reforma política.

Veja mais

Entrevistas

Maurício Barbosa

O secretário de Segurança Pública da Bahia, Maurício Barbosa, está desde o início da gestão Jaques Wagner ligado ao governo do estado. Quatro anos como chefe de inteligência e os últimos quatro no comando da pasta de segurança, uma das criticadas, especialmente pelos rivais do governador baiano, que apontam a violência como um dos principais problemas a serem enfrentados nos próximos anos. Barbosa não deixa de reconhecer que ainda precisa se avançar muito no tema da segurança na Bahia, mas responde aos críticos que já estiveram no governo em outras gestões. "Falta? Falta muito. Mas nenhum outro governo contratou tantos policiais quanto o nosso. Temos indicadores para provar que nossa gestão na segurança pública foi muito melhor do que as gestões anteriores. Antigamente não se tinha gestão de segurança. Não vou entrar em seara de outros governadores que passaram porque segurança pública era feita por medidas meramente de respostas daquilo que estava acontecendo. Não tinha planejamento, não tinha absolutamente nada", diz em entrevista ao Bahia Notícias. O titular da SSP, que passou por duas greves de policiais, em 2012 e 2014, também alerta para o caráter eleitoral das paralisações e o risco de novos casos. "Já tivemos aqui duas greves, em outros estados até três greves. Vamos esperar o quê para tomarmos uma providência em relação a isso? Independentemente do governo que venha, daqui para frente está arriscado ter outra greve". Seja qual for o resultado das eleições em outubro, Barbosa indica que não deve continuar no cargo em caso de uma vitória da chapa da situação. "Tenho mais 15 anos na Polícia Federal. Então acho que tenho que procurar uma projeção de fazer algo diferente na minha carreira". Leia a entrevista completa:

Veja mais

Multimidia

Veja os lances de Vitória 0x0 Corinthians

Veja mais

Sábado, 04 de Agosto de 2012 - 08:20

'Dormia a nossa pátria mãe tão distraída', diz Gurgel após pedir prisão imediata de 36 réus do mensalão

'Dormia a nossa pátria mãe tão distraída', diz Gurgel após pedir prisão imediata de 36 réus do mensalão
Procurador citou canção de Chico Buarque |Foto: STF
A Procuradoria-Geral da República defendeu nesta sexta-feira (2) a prisão imediata dos réus que forem condenados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no julgamento do mensalão. O procurador Roberto Gurgel pediu a condenação de 36 dos 38 réus. "A Procuradoria-Geral da República requer desde já a expedição de mandados de prisão imediatamente após a sentença", disse Gurgel. O pedido visa evitar que embargos de declaração atrasem o cumprimento da pena. O procurador destacou que não cabe recurso do mérito da decisão que vier a ser tomada pelo STF , afirmou ter obtido "todas as provas possíveis" e destacou que o escândalo aconteceu entre quatro paredes dentro do Palácio do Planalto, em referência ao ex-ministro José Dirceu (PT). "O Ministério Público só não conseguiu provas impossíveis", afirmou. Segundo ele, "jamais um delito foi tão fartamente comprovado" e o julgamento é "histórico". Gurgel aproveitou ainda para dizer que foi vítima de ataques "grosseiros e mentirosos" desde que apresentou as alegações finais ao processo mantendo as acusações contra quase a totalidade dos réus. "Foi tudo para constranger e intimidar procurador", acusou. Ele afirmou que este comportamento é "inaceitável" e "inútil". "Não nos intimidaremos jamais". E encerrou a sustentação oral com uma citação ao compositor Chico Buarque, notório simpatizante do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). "Dormia a nossa pátria mãe tão distraída, sem perceber que era subtraída em tenebrosas transações".

Comentar

   

Histórico de Conteudo

Site Auditado pelo IVC - Bahia Noticias

Enquete

Qual a principal mudança a ser atendida na licitação de ônibus?

Artigos

Valdir Gomes Barbosa
Assunção à reflexão

Veja mais