Com Samuel Celestino

Receba Notícias do BN

Nome
E-mail *

Curtas do Poder

Curtas do poder

A pesquisa Ibope saiu na última quarta, mas trago hoje meus comentários sobre os números. Começo alertando que o DataNilo, o instituto de Marcelo Nilo que não é dele, mais uma vez enganou o Galego (JW). Falando em galego, me lembrei do propagandista Sidônio, que com a pesquisa e a derrota do Bahia deve ter tido uma das piores noites de sua vida. Posso definir a pesquisa com a mesma sensação que eu tive com Alemanha 5 e Brasil 0 aos 30 minutos do primeiro tempo. Não deixe de ler as Curtas do poder!

Veja mais

Pérola do dia

Marco Prisco

"Um governo que se diz ‘democrático’ querendo tirar os direitos políticos dos policiais? Como é isso? Na opinião de um Secretário de Estado, um militar não pode exercer seus direitos políticos como qualquer outro cidadão? Isso é democracia? Não foi o PT que, há alguns anos, quando era oposição, apoiou as mobilizações dos militares?”

Vereador de Salvador pelo PSDB e candidato a deputado estadual, ao responder trecho de uma entrevista dada pelo secretário de Segurança Pública da Bahia (SSP), Maurício Barbosa, ao Bahia Notícias, na qual o chefe da SSP se posicionou contrário à possibilidade de que uma pessoa que exerça "função de comando de um braço armado do estado possa ser candidato ao que quer que seja".

Veja mais

Entrevistas

Maurício Barbosa

O secretário de Segurança Pública da Bahia, Maurício Barbosa, está desde o início da gestão Jaques Wagner ligado ao governo do estado. Quatro anos como chefe de inteligência e os últimos quatro no comando da pasta de segurança, uma das criticadas, especialmente pelos rivais do governador baiano, que apontam a violência como um dos principais problemas a serem enfrentados nos próximos anos. Barbosa não deixa de reconhecer que ainda precisa se avançar muito no tema da segurança na Bahia, mas responde aos críticos que já estiveram no governo em outras gestões. "Falta? Falta muito. Mas nenhum outro governo contratou tantos policiais quanto o nosso. Temos indicadores para provar que nossa gestão na segurança pública foi muito melhor do que as gestões anteriores. Antigamente não se tinha gestão de segurança. Não vou entrar em seara de outros governadores que passaram porque segurança pública era feita por medidas meramente de respostas daquilo que estava acontecendo. Não tinha planejamento, não tinha absolutamente nada", diz em entrevista ao Bahia Notícias. O titular da SSP, que passou por duas greves de policiais, em 2012 e 2014, também alerta para o caráter eleitoral das paralisações e o risco de novos casos. "Já tivemos aqui duas greves, em outros estados até três greves. Vamos esperar o quê para tomarmos uma providência em relação a isso? Independentemente do governo que venha, daqui para frente está arriscado ter outra greve". Seja qual for o resultado das eleições em outubro, Barbosa indica que não deve continuar no cargo em caso de uma vitória da chapa da situação. "Tenho mais 15 anos na Polícia Federal. Então acho que tenho que procurar uma projeção de fazer algo diferente na minha carreira". Leia a entrevista completa:

Veja mais

Multimidia

Veja os lances de Vitória 0x0 Corinthians

Veja mais

Segunda, 02 de Julho de 2012 - 11:50

Dois de Julho: Lídice naturaliza manifestações de professores

por Evilásio Júnior / Rodrigo Aguiar

A senadora Lídice da Mata (PSB) considerou naturais as manifestações dos professores estaduais contra o governo na manhã desta segunda-feira durante o cortejo do Dois de Julho e disse que já esperava testemunhar os episódios ocorridos. “O movimento dos professores se mobilizou durante toda a semana, convocando nas redes sociais e nas escolas. Era natural que assim acontecesse”, minimizou. A exemplo do que outras figuras ligadas ao governo, a parlamentar destacou a natureza “democrática” dos protestos. “Houve tempos em que um professor em greve não chegava tão perto de um governador”, comparou. Lídice ainda considerou uma “simbologia equivocada” a exigência feita pelo movimento grevista de que Wagner negocie pessoalmente com a categoria. ‘Se o governador assumir pessoalmente, será obrigado a negociar com todas as categorias. Os secretários existem parta cumprir esse papel”, afirmou a senadora.

Comentar

   

Histórico de Conteudo

Site Auditado pelo IVC - Bahia Noticias

Enquete

Qual a principal mudança a ser atendida na licitação de ônibus?