Domingo, 18 de Março de 2012 - 07:18

Municípios: 90% das cidades baianas estão quase quebradas

Municípios: 90% das cidades baianas estão quase quebradas
Segundo Índice Firjan, Salvador, 3.373º do ranking, não tem boa gestão fiscal
O Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF) aponta que nada menos que 90% das cidades baianas estão próximas da falência. De acordo com o estudo, que levou em consideração o período entre 2006 e 2010, o estado possui 82 municípios entre os 500 piores do país na gestão das contas e custo da dívida. As 10 prefeituras em situação mais alarmante, segundo o levantamento, são Ibicaraí, Caém, Ubatã, Itapé, Floresta Azul, Jitaúna, Canavieiras, Iuiú, Buerarema e Ibirataia. Elas só figuram o ranking nacional das melhores a partir da posição 5,2 mil. O IFGF aponta que há elevados gastos de pessoal, dificuldade na administração dos restos a pagar e investimentos reduzidos. A própria sede estadual não é considerada um dos bons exemplos. Salvador aparece apenas como a 23ª melhor capital do Brasil, 136ª da Bahia e 3.373 do país. “A capital baiana é um exemplo de que ter elevada geração de receitas próprias não é garantia de uma boa gestão fiscal”, sentencia a pesquisa. As cidades baianas em melhor situação, segundo o ranking Brasil, são Jaborandi (68ª), Alcobaça (181ª), Araçás (189ª), São Desidério (420ª), Lajedinho (433ª), Cairu (441ª), São Francisco do Conde (447ª), Medeiros Neto (477ª), Barrocas (480ª) e Lajedão (610ª). Ao todo, 374 dos 417 municípios do estado foram investigados.

Histórico de Conteúdo