Terça, 09 de Janeiro de 2018 - 08:05

O Globo de Ouro das mulheres de Hollywood por mulheres de todo mundo!

por Clara Gibson

O Globo de Ouro das mulheres de Hollywood por mulheres de todo mundo!
Foto: Frazer Harrison / Getty Images

Mesmo antes de acontecer o Globo de Ouro 2018, realizado no domingo (7), o evento prometia ser marcado por protestos. Poucas semanas antes do evento acontecer, artistas de Hollywood já haviam planejado utilizar trajes da cor preta para levantar o debate sobre os casos de assédio e desigualdade de gênero que acometeram a indústria cinematográfica no ano passado  (veja aqui). Outra medida tomada pelos artistas foi a utilização de um broche com a logomarca da iniciativa "Time's Up" (O Tempo Acabou), que levanta fundos para defender vítimas de abusos sexuais nos Estados Unidos (veja aqui).

Na noite da premiação, além dos trajes pretos e broches, utilizados por praticamente todos os presentes, foram ouvidos discursos e apelos para o fim dos casos de assédio e da desigualdade entre homens e mulheres. Oprah Winfrey, homenageada da noite e a primeira mulher negra a ganhar o troféu Cecil B. DeMille, fez um discurso que envolvia todos esses temas e enaltecia as mulheres que tiveram a coragem de contar as suas histórias de violência (veja aqui). “Falar a verdade é a arma mais poderosa que nós temos”, afirmou a apresentadora.

Nicole Kidman, vencedora do prêmio de Melhor Atriz em Minissérie ou Filme para TV pela série Big Little Lies, na qual vivia uma mulher vítima de violência doméstica, pediu em seu discurso que os debates sobre abusos e violência de gênero permaneçam vivos. Elizabeth Moss, vencedora da categoria de Melhor Atriz em Série Dramática interpretando a protagonista da Série The Handmaid’s Tale, leu um trecho do livro de Margaret Atwood, que deu origem à série, e completou com uma fala sobre a intolerância e injustiça, sinalizando que as mulheres não estavam mais nas beiras das páginas, nem nos espaços em branco, mas são a própria história, a qual também têm o poder de escrever.

Outro feito notável veio por parte da atriz Natalie Portman, que foi escolhida para apresentar o prêmio de Melhor Diretor ao lado de Ron Howard. Depois de esperar o colega terminar de falar, Portman anunciou: “Aqui estão todos os homens indicados”, frase que também sinalizava o fato de não haver mulheres concorrendo à categoria, mesmo que o filme Lady Bird, que ganhou o prêmio de Melhor Filme de Comédia, tenha sido dirigido por Greta Gerwig.

 

Mas não só de artistas se fez o Globo de Ouro. Atrizes como Meryl Strep, Emma Watson, Emma Stone, Laura Dern, Amy Poehler, Susan Sarandon e Shailene Woodley tiveram como acompanhantes no tapete vermelho personalidades que representam organizações e iniciativas que combatem a violência de gênero ao redor do mundo.

 

Mesmo que a maioria dos artistas tenham trajado preto na cerimônia, algumas pessoas ficaram de fora do padrão e usaram vestidos de outra cor. Blanca Blanco apareceu na premiação com um longo vermelho e Barbara Meier também optou por não aderir à campanha. Ambas foram duramente criticadas nas redes sociais. Blanco respondeu escrevendo em seu Twitter: “O problema é maior do que a cor do meu vestido”, enquanto Barbara, antes mesmo da premiação, já havia publicado um texto sobre a sua escolha: “Estamos lutando há muito tempo pela liberdade de vestir o que quisermos. Se restringirmos isso, porque alguns homens não podem controlar a si mesmo, isso é um enorme passo atrás, na minha opinião. Nós não devemos ter que vestir preto para sermos levadas a sério”.

Histórico de Conteúdo