Investigado por assédio sexual, diretor do New York City Ballet pede demissão
Foto: AP Foto / Evan Agostini

O dinamarquês Peter Martins pediu demissão do cargo de diretor artístico do New York City Ballet. Na segunda-feira (1º), ele anunciou a aposentadoria depois de receber acusações e começar a ser investigado por assédio sexual. O diretor estava de liença desde dezembro, logo depois que as denúncias foram divulgadas. A função era ocupada por ele há 23 anos, no entanto, desde 1981 ele já tinha cargos de direção na companhia americana. 

 

Em uma carta comunicando a sua retirada do New York City Ballet, Martins, de 71 anos, aformou que o escândalo havia "cobrado um doloroso preço de mim e de minha família". O diretor também disse que continua negando as acusações de assédio sexual e abuso a membros da companhia, inclusive bailarinas.

 

O NYC Ballet contratou um escritório de advocacia para estudar o caso depois de receber uma carta amônima com denúncias e anunciou no mês de dezembro que Martins tiraria uma licença da companhia e da School of American Ballet, enquanto as investigações estivessem em andamento. 

 

De acordo com o site do jornal O Globo, o presidente do NYC Ballet, Charles Scharf, elogiou Martins, relatando que ele fez uma "grande contribuição ao Ballet da cidade de Nova York como diretor e chefe por mais de três décadas, levando a companhia a alcançar um nível artístico e conquistas excepcionais". Apesar disso, o presidente afirmou que as investigações contra o ex-diretor iriam continuar. "A direção leva a sério as acusações realizadas contra ele e esperamos que a investigação independente sobre essas denúncias seja concluída em breve", informou ele. 

Histórico de Conteúdo