'Hospital do Amor', na China, lucra separando maridos e mulheres infiéis dos amantes
Foto: Pixabay

Na China, surgiu uma nova forma de fazer negócio: empresas que ajudam maridos e mulheres a separarem seus cônjuges infieis dos amantes. O serviço é chamado "desaparecimento do amante" e custa milhares de dólares. 

 

Quem pede pela ajuda dessas empresas geralmente são mulheres, que contam com muitas semanas de aconselhamento e lições de positividade sobre como ser uma esposa melhor e mais dedicadoa. Ming Li, cofundadora do Weiqing, o Hospital do Amor mais famoso do ramo em Shangai, aconselha as mulheres sobre os "segredos de um casamento bem sucedido" e sobre como prender a atenção do marido. 

 

Ming Li e seu sócio, Shu Xin possuem o hospital há 17 anos e dizem que já atenderam um milhão de clientes, com diversos serviços. Shu Xin garante que existem 33 maneiras de fazer uma amante desaparecer. "Há diversos tipos de problemas em um casamento, e ter um caso extraconjugal é um dos piores. É muito sério, ruim para a família e para a estabilidade da sociedade", contou ele à BBC.

 

De acordo com o site Uol, alguns dos métodos utilizados pelo Hospital envolvem convencer o amante a procurar outro amor, informar os familiares do amante sobre o caso a fim de que seja feita uma intervenção e difamação do homem ou mulher para o seu (ou sua) amante, fazer o chefe do cônjuge infiel realocá-lo para outra cidade, entre outros.

 

O escritor e colunista social, Zhang Lijia, acredita que o fenômeno dos hospitais do amor pode ser parcialmente explicado de acordo com as novas leis chinesas do divórcio. A partir de 2011, as mulheres que pretendem se divorciar não recebem nada do patrimônio do casal se o marido comprovar que foi ele quem trouxe os bens para a família. A Justiça também garante que os homens tenham custódia integral das crianças, principalmente em áreas rurais. 

Histórico de Conteúdo