Quinta, 12 de Outubro de 2017 - 17:00

Atrizes denunciam assédio e se unem contra Harvey Weinstein

Atrizes denunciam assédio e se unem contra Harvey Weinstein
Foto: AP Photo / Matt Sayles

O produtor Harvey Weinstein, de 65 anos, ganhador do Oscar por Shakespeare Apaixonado, fez pelo menos oito acordos não diculgados com mulheres, que envolviam "assédio sexual e contato físico indesejado" em seus 30 anos de carreira. Entre as vítimas estão as atrizes Ashley Judd, Rose McGowan, uma modelo e duas assistentes. Mas segundo o site do jornal New York Times, ele não foi condenado à Justiça americana pelos crimes. As mulheres o acusaram de ter as obrigado a vê-lo sem roupa e também de ter pedido favores sexuais em troca de suporte em suas carreiras.

 

Depois da repercussão da reportagem, Weinstein declarou que está saindo do seu cargo na sua empresa para procurar ajuda psicológica. “Eu admito que o jeito que me comportei com colegas no passado causou muita dor e peço sinceras desculpas por isso", disse ele à imprensa. "Embora eu esteja tentando melhorar, eu sei que tenho um longo caminho a percorrer. Eu me tratei com terapeutas e planejo tirar uma licença da minha empresa e lidar com essa questão de frente", completou o produtor.

 

Na terça-feira (10) a atriz Romola Garai, também relatou que se sentiu "violentada" depois de uma reunião com o produtor. Conhecida pelo seu papel no filme Desejo e Reparação, Romola relatou ao jornal The Guardian que passou, há muitos anos, por uma audição humilhante, na qual teve que comparecer ao quarto dele no hotel e ele abriu a porta usando apenas um roupão. A atriz tinha 18 anos na época e diz que o acontecimento ficou gravado em sua memória. 

 

Gwylneth Paltrow também diz te sido assediada pelo produtor, quando foi contratada para fazer o filme Emma. Antes das filmagens, ele a chamou para um hotel em Bervely Hills. A atriz alega que ele colocou a mão nela e sugeriu que eles fossem ao quarto para fazer massagens. Angelina Jolie também contou que Harvey a assediou em um quarto de hotel durante o lançamento do filme "Playing By Heart", no fim dos anos 90.

 

Meryl Streep, que já elogiou publicamente o produtor diversas vezes, foi pressionada pelo púlico para se pronunciar sobre o ocorrido. Ela enviou ao Huffington Post um comunicado para comentar o caso: "Harvey apoiava o trabalho intensamente, era exasperante mas respeitoso comigo em nossa relação de trabalho e com muitas outras pessoas com quem trabalhou profissionalmente. Eu não sabia que ele tinha reuniões particulares em seu quarto de hotel, seu banheiro ou de outros atos impróprios e coercitivos". A atriz considerou o comportamento dele como ofensivo e indesculpável.

 

Kate Winslet também se pronunciou e declarou que nenhuma mulher deveria ser tratada da forma que Weinstein tratou as atrizes mais novas. “É muito chocante e, ao mesmo tempo, é necessário coragem para expor alguns dos produtores mais reconhecidos e importantes do mercado. Essa conduta é inaceitável em qualquer ambiente de trabalho”, afirmou ela à Variety. 

Histórico de Conteúdo