Sábado, 08 de Julho de 2017 - 08:00

Referência feminina no mercado publicitário da Bahia

por Iga Bastianelli

Referência feminina no mercado publicitário da Bahia
Foto: Bahia Notícias

Laura Passos é uma das mulheres mais influentes no mercado publicitário da Bahia: hoje é vice-presidente da Engenhonovo e conselheira do Sindicato das Agências de Propaganda do Estado da Bahia (Sinapro-BA). Formada na Unifacs em design gráfico, ela começou na área de comunicação estagiando em uma produtora de vídeo durante dois anos e logo depois foi trabalhar com o pai Fernando Passos na agência. “Aqui na Engenho passei por algumas áreas estratégicas para poder me capacitar ao cargo que ocupo hoje, que é o de vice-presidente da empresa”. Para Laura, estar na agência é como se estivesse em casa, bem à vontade. A Engenhonovo já recebeu inúmeros prêmios na área de criação, planejamento, mídia e social, mas os prêmios específicos que Laura se orgulha são: o que acabou de receber em Gramado como publicista latino americana pela Associação Latina Americana de Propaganda (Alap) e o de dirigente do ano pela Associação Baiana do Mercado Publicitário (ABMP). Como se não bastasse ser vice presidente da Engenhonovo, Laura é sócia da COM inteligencia digital e Plural comunicação. Vamos conhecer um pouco mais desta profissional que é pura inspiração.

 

Qual foi o desafio mais marcante em sua vida profissional?

O maior desafio foi a abertura das filiais da Engenhonovo em Angola, Brasília e Recife. Montar uma empresa em um local que não é o que você já está acostumado é realmente um desafio. Relacionamento com o mercado, contratação dos profissionais, entender a linguagem de cada local. Mas Angola foi o mais marcante. Ir para um país na África, que não tem um mercado de comunicação maduro, diferente de tudo o que já vivi, uma cultura completamente diferente, uma língua que apesar de ser o português tem muitas expressões diferentes, uma logística complicada, país recém saído da guerra. Não foi nada fácil, mas foi realizador.
 

Num ambiente bem competitivo, você é uma das poucas mulheres a ocupar cargos de destaque em Propaganda e Publicidade. Quais orientações poderia dar a quem está começando e quer ter sucesso nesta área? 

Dedicação, esse é o grande desafio que nós mulheres temos. Porque nesse mercado é importante a dedicação e hoje muitas mulheres não querem abrir mão de sua vida pessoal. Longe de mim achar que devemos abrir mão da nossa vida pessoal, mas não é fácil se dividir entre casa, família e empresa.

 

Você concorda que o mercado de propaganda e publicidade é machista? Existe alguma política na Engenhenovo de valorização e incentivo às mulheres ? 

Infelizmente o mercado ainda é machista, mas vem mudando a cada dia. Nós mulheres temos sempre que provar que somos capazes. Diferente das estatísticas de mercado, a Engenhonovo tem mais mulheres do que homens trabalhando na agência, mas não existe uma política específica de incentivo. Acho que tem a ver com o perfil das lideranças de cada empresa.

 

Que conselhos você daria aos empresários e empreendedores que estão se recolocando, recomeçando e querem dar visibilidade ao seu negócio? 

Fizemos uma pesquisa no final de 2015 com vários empresários baianos e surpreendentemente os negócios que estavam estáveis eram os que ainda continuavam anunciando. Por exemplo, enquanto o mercado imobiliário estava estagnado, um cliente nosso se estimulou a fazer um feirão de imóveis em plena crise e os números foram surpreendentes. Isso comprovou que a comunicação eficiente e planejada faz a diferença. Não estou aqui dizendo que propaganda é a solução dos problemas mas, sem dúvida, é um estímulo para o consumidor se encorajar.
 

Na sua opinião a propaganda mudou, a forma de comunicar mudou? O que funciona hoje?  

Todo dia muda, nosso mercado está veloz. Mas não existe uma fórmula. Cada cliente tem uma estratégia diferente, essa onda do digital, que tudo é digital é um erro. Quantas vezes sentei com clientes que pediram pra transferir a maior verba dele para o digital porque todo mundo estava fazendo isso. Um erro. A comunicação digital hoje é fundamental sim, mas não é tudo. Temos que pensar a estratégia de forma ampla, sempre com foco no consumidor.   
 

Fale um pouco da influência e exemplo de seu pai em sua carreira. Ele que é considerado um dos grande profissionais nesta área.

Meu pai, como o mercado todo sabe, é um exemplo de profissional. Uma pessoa ética que tem um pensamento mercadológico como poucos que conheço, um ser humano incrível. Como não me inspirar com tudo isso? Ele é minha referência, sempre quando preciso tomar alguma decisão penso: o que meu pai faria? 

 

Estamos falando aqui no BN Mulher, a primeira editoria a tratar de forma especial temas femininos na Bahia.  Não poderia deixar de perguntar, pois como mulher temos sempre o desafio de conciliar alguns papéis. Como você, que é um exemplo de sucesso, consegue conciliar os 3Cs: Casamento, Crianças e Carreira? 

Infelizmente sempre alguém sai perdendo. Quantos dia das mães na escola eu faltei, filho com febre e eu em outro continente. Hoje em dia, muitas amigas minhas pediram demissão dos seus trabalhos para se dedicarem aos filhos, e eu entendo essa atitude porque sei como é difícil essa conciliação. Nós somos guerreiras. Mas eu amo tudo isso, amo a minha profissão, por isso que acho que faço as coisas com tanto tesão


Histórico de Conteúdo