Mulheres negras e LGBT se unem para formar empresa de tecnologia
Foto: Reprodução / Facebook

É difícil encontrar atualmente empresas que apostam na diversidade na hora de contratar seus funcionários. Pensando nisso, um grupo de mulheres negras e LGBT se uniu para fundar a InfoPreta, a primeira e única empresa de tecnologia que rompe um padrão já estabelecido na sociedade em relação à esse tipo de prestação de serviço.

 

Segundo o jornal americano Huffington Post, a sede do Facebook, na Califórnia, Estados Unidos, tem 33% da sua equipe de funcionários formada por mulheres, sendo apenas 2% negros. No Google, o número desce para 30% de mulheres e também 2% de negros. Além disso, no Brasil, uma mulher negra ganha menos 60% que um homem branco.

 

A fundadora da InfoPreta, Buh D'Angelo, é formada nos cursos técnicos de eletrônica, automação industrial, manutenção, tecnologia da informação e robótica e com sua empresa, pretende combater o preconceito do modelo empresarial regular, contratando apenas mulheres negras, LGBT, transexuais e travestis no Brasil. "As empresas falam que aceitam a diversidade, mas a diversidades dele é o ‘padrão’: pessoas brancas, hétero e homens. A InfoPreta foi criada para combater esse padrão da sociedade, porque se for analisar as pessoas que trabalham lá, ninguém é padrão”, disse ela ao Huffington Post.

Histórico de Conteúdo