Quarta, 12 de Julho de 2017 - 08:05

Tapetes são ítens fundamentais na decoração

por Clara Gibson

Tapetes são ítens fundamentais na decoração
Foto: Pixabay

Podem até parecer um simples e dispensável acessório, mas a verdade é que os tapetes são peças chaves na composição de ambientes, responsáveis por criar uma atmosfera de conforto com personalidade. Indispensáveis no quesito charme, este  “grande” detalhe tem o poder de aumentar e diminuir a sensação espacial, tendo papel importante para garantir o estilo do local. Mas como usá-lo?


Sem dúvida alguma, é preciso cuidado na escolha do tapete ideal. Segundo a arquiteta Jéssica Araújo, o recomendado é que este seja o último item da composição do espaço, pois é necessário, antes, definir o conceito do ambiente. “A partir daí, conseguimos filtrar, seguir uma vertente e ser mais assertivo na escolha do tapete correto", explica. 


Além do estilo da decoração, é fundamental levar em conta o tamanho do local. De acordo com a arquiteta, “o correto é que o tapete funcione como um delimitador de áreas, ocupando todo o espaço”. Em uma sala de estar com sofás e mesas laterais, por exemplo, recomenda-se que o comprimento do tapete seja levemente mais extenso que a área montada. "Caso tenha apenas um sofá, ultrapasse cerca de 10 cm para cada lado”, ensina Jéssica.


Na sala de jantar, a regra é praticamente a mesma: o tapete deve ser grande o bastante para ocupar todo o espaço da mesa e das cadeiras em uso, ou seja, um pouco afastadas. “Neste ambiente, devemos considerar a dimensão da mesa e mais 70 cm para cada lado", explica.


Quartos Já nos quartos, observa a profissional, é indicado utilizar tapetes que consigam abranger desde o criado mudo até o final da cama. Contudo, é preciso deixar um espaço de “respiro” que vá além desses móveis, para que o acessório ocupe todo o espaço da mobília com sobras. 


Se a preferência, no entanto, for por tapetes menores, Jéssica avalia que os modelos inteiriços são os mais indicados. “Caso não seja possível, pode-se utilizar passadeiras no quarto de casal do mesmo tamanho das laterais da cama, deixando-as proporcionais e posicionadas à frente dos criados-mudos. No quarto de solteiro, esse tapete menor deve ser utilizado apenas de um lado”, complementa.


Dicas adicionais:


 Tapetes redondos: indicados para os halls de entrada e quartos infantis. “É uma nova tendência usá-los nos formatos de flores, nuvens, doces, seguindo o tema do quarto”, comenta a arquiteta. 


Tapetes felpudos: ideiais para espaços amplos, sobretudo, em áreas de home theater. “Além da função acústica, também oferecem um maior conforto ao local”.


Espessura:  A espessura dos tapetes varia. Os de 5mm são os que não possuem pelos e a própria trama é o seu desenho. Aqueles entre 10mm e  50mm são os de pelo alto, e os de 70mm são os de pelo mais alto. A profissinal explica que a grossura varia de acordo com a quantidade de pessoas que irão circular no ambiente. 


Modelos mais finos são ideais para lugares com pouca circulação de pessoas e onde não haja contato constante com o tapete. Já os mais grossos devem ser colocados em ambientes com maior circulação, nos quais as pessoas possam deitar e sentar no tapete. “Na sala de Tv, por exemplo, os felpudos de 70mm ou os de náilon de 30/40mm são confortáveis e convidativos para nos acomodarmos no chão”, pontua. 

Histórico de Conteúdo