Segunda, 26 de Junho de 2017 - 17:00

Atleta grávida completa corrida e é aplaudida nos EUA

Atleta grávida completa corrida e é aplaudida nos EUA
Foto: Reprodução / Getty Images

A corredora norte americana Alysia Montaño, 31, vestindo um top da mulher maravilha e grávida de 4 meses do seu segundo filho, completou a prova de 800 metros rasos na quinta feira (22) no torneio de atletismo USA Track and Field Championships.

 

Mesmo sem medalhas, a atleta foi aplaudida no estádio de Sacramento, na Califórnia. Segundo o site da revista Cláudia, em 2014 Montaño já tinha corrido grávida de oito meses “Todos estavam me dizendo ‘desta vez você correrá até mais rápido, porque está menos grávida'”. Eu respondia: ‘pessoal, ainda assim eu estou grávida'”, ela disse depois da prova. Nesasa corrida, ela foi 11 segundos mais rápida que há 3 anos.

Cansaço mental é diferente de estresse e atrapalha a produtividade
Foto: Shutterstock

É muito comum ouvir, em meio à correria do dia a dia, as pessoas reclamarem que estão estressadas, mas o que muita gente não sabe é que existe diferença entre estresse e cansaço mental. Diferente das irritações do dia a dia, o cansaço mental é contínuo e envolve sintomas como a perda da criatividade, memória e vontade de acordar cedo, além da sensação de cansaço, dificuldade para acordar e poucos motivos para felicidade.

 

Patrícia Cândido, escritora e conferencista explica para o site da revista Glamour que cuidar da energia mental é tão importante quanto zelar pelo corpo como um todo. “A nossa mente é quem comanda a energia dos demais sistemas do corpo. Ela é quem faz a distribuição desta força para que órgãos vitais como fígado, coração e pulmões funcionem na frequência necessária para a manutenção de nossa saúde. O cansaço mental demonstra que a energia da mente está comprometida e falha”, diz ela.

 

Alguns maus hábitos do cotidiano contribuem para potencializar o cansaço mental. A má alimentação, estresse, pressão social, autocobrança, necessidade de controle total das situações e sono sem qualidade são alguns exemplos. O corpo envia sinais de que algo está errado e a mente precisa de uma trégua, por isso é importante se alimentar bem, ter um sono adequado, beber muita água e praticar atividades físicas. Os momentos de lazer também são de fundamental importância para o relaxamento da mente, por isso é recomendado que as pessoas realmente tenham tempo para descansar.

O que se deve levar em conta ao escolher um papel de parede
Foto: Shutterstock

Papeis de parede são uma boa alternativa para quem quer mudar o visual da casa sem passar por obras, quebrar paredes e gastar altos. De acordo com o site da revista Casa e Jardim, é preciso ter cuidado na hora de escolher o papel de parede ideal para o ambiente desejado e é essencial levar em consideração alguns aspectos antes de comprá-lo.

 

Disposição do ambiente: é preciso pensar em como as portas, janelas, quadros, estantes e paredes estão posicionados para fazer a escolha. Uma sala com muitas janelas e quadros pode não ter muito espaço na parede para um revestimento estampado, pois ele pode ficar ofuscado por outros itens de decoração.

 

Tamanho das paredes: o tamanho vai influir diretamente no preço da aplicação do papel, por isso é essencial calcular o espaço que vai receber o revestimento e avaliar a melhor opção para o projeto, pois as vezes o dinheiro gasto com a cobertura de toda a superfície da sala pode ser gasto em outros aspectos da decoração que também podem dar um ar diferente ao ambiente.

 

Estampa: não se trata somente de gostar da estampa, é preciso avaliar o tamanho e a disposição. Se a estampa for muito grande, ela fica melhor em ambientes com paredes espaçosas sem muitos objetos de interferência, por exemplo.

 

Umidade: para aplicar revestimento em banheiros e cozinhas, é melhor se certificar antes se o modelo escolhido é resistente à umidade do ar pois o vapor pode prejudicar a qualidade do papel de parede.

 

Presença de crianças: existem papeis feitos especialmente pra crianças, feitos com material lavável, resistente a mãos sujas e lápis coloridos. Quem tem filhos pequenos pode optar por um modelo feito com vinílico, por exemplo.

Moda sustentável: Tendência 'slow fashion' aposta no artesanato
Foto: Stockvault

Se a cada estação as vitrines exibem as novas tendências e estimulam o consumo de peças que seguem os padrões velozes da moda, o "slow fashion" firma-se na contramão da sazonalidade frenética incentivando a produção artesanal. Agora, o que está realmente em alta é a valorização da criatividade e, sobretudo, o "do it yourself": peças feitas a mãos com carinho e dedicação especial ao produto.

 

Nesse cenário, o artesanto é o principal aliado da desaceleração do consumo, trazendo o foco para a qualidade e exclusividade das peças e para o trabalho dos artesãos. O lucro, portanto, apesar de importante, perde espaço para a sustentabilidade tanto dos produtos quanto do processo de venda, baseado no “compro de quem faz” – o que permite um maior conhecimento sobre o ciclo de produção e maior consciência sobre o que é adquirido.

 

Além de estimular que todos repensem no próprio consumo, esta vertente da moda sustentável colabora, também, para o reconhecimento da diversidade e das riquezas das tradições culturais locais. Por meio do artesanato, é possível enaltecer as singularidades de cada região, fazendo do produto uma parte pequenina de uma imensa cultura, que pode ser vestido ou exibido como decoração.

 

É exatamente assim, aliás, que o artesanato consagrou-se no Brasil, sendo de fato expressão das diferentes tradições espalhadas pela vastidão do país. A variedade de peças produzidas pelas mãos hábeis dos artesãos brasileiros é incontável: roupas, bolsas, tapetes, instrumentos musicais, bijouterias, sapatos, redes, vasos, toalhas, entre tantos outros.

 

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), existem cerca de 8,5 milhões de pessoas no Brasil trabalhando com artesanato. A Bahia ocupa o segundo lugar no ranking nacional de artesãos cadastrados atrás apenas de Alagoas.

 

O que usar/comprar

Apesar da variedade que a "slow fashion" oferece por meio do artesanato, second hand shops e brechós, muitos não sabem exatamente o que fazer para empreender uma mudança significativa no guarda-roupa. O Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) fornece alguma dicas e informações:

 

  • Priorize peças atemporais como sobretudos, calças e blusa. Itens básicos que fazem parte de qualquer guarda-roupa e nunca saem de moda;

 

  • Roupas feitas à mão e a produção em baixa escala valorizam o produto e geram peças exclusivas, em oposição as grandes lojas de departamento;

 

  • Escolha tecidos mais nobres, naturais e duráveis, como algodão, linho e seda, e cores neutras ou suaves, que são mais fáceis de combinar;

 

  • Se a princípio peças de decoração e roupas artesanais pareçam mais caros, a qualidade e a durabilidade compensam e garantem o investimento da compra. 
Domingo, 25 de Junho de 2017 - 17:00

Mitos sobre a menstruação

Mitos sobre a menstruação
Foto: Shutterstock

Embora a menstruação seja comum na vida das mulheres, muitas delas ainda carregam dúvidas simples sobre o assunto. Normalmente, são informações passadas de geração para geração, mas que nem sempre têm uma explicação médica. O ginecologista Gilberto Nagahama, do hospital San Paolo, em São Paulo, esclarece alguns mitos criados ao longo dos anos sobre a menstruação.

 

É impossível engravidar durante a menstruação: Na teoria, realmente não é possível, já que menstruação é a "descamação" do endométrio, camada que é preparada para receber a gestação. Porém, o corpo não é uma máquina que trabalha com exatidão, por isso é sempre bom tomar medidas preventivas para evitar o risco.

 

Mulheres com muita convivência menstruam simultaneamente: Não é verdade. Cada pessoa tem o seu corpo, com manifestações totalmente individuais, portanto o período menstrual não tem relação alguma com o de outras mulheres.

 

As relações sexuais são mais prazerosas durante a menstruação: O período de maior desejo sexual é justamente o de ovulação que corresponde aproximadamente ao 14° dia do ciclo menstrual. Acreditamos que muitas pacientes têm a sensação de mais prazer justamente por ficarem despreocupadas com o risco de engravidar.

 

É errado fazer exercícios físicos durante a menstruação: Exercícios físicos são essenciais para manter a qualidade de vida em qualquer momento. No período menstrual, eles ajudam a controlar a dor das cólicas devido à liberação de hormônios de prazer, como endorfinas.

 

Mulheres virgens não podem usar absorventes internos: Mais um mito. O hímen tem até 2,5 cm de abertura na puberdade e o absorvente interno até 1,9 cm.

 

Ter relações sexuais menstruada aumenta risco de contrair DSTs: Não é verdade. A realidade é que, com ou sem menstruação, fazer sexo desprotegida aumenta o risco de contrair qualquer doença sexualmente transmissível.

Domingo, 25 de Junho de 2017 - 14:00

Decotes para cada tipo de corpo

Decotes para cada tipo de corpo
Foto: Reprodução / Pinterest

Os decotes podem ser grandes aliados para valorizar o corpo mas também podem destruir um look caso sejam mal utilizados. Segundo o site da revista Vogue, para acertar na escolha dos modelos, cada mulher precisa ter consciência do tipo de corpo que tem e a sua finalidade ao usar esse estilo de roupa.

 

Em V: Para quem deseja a sensação de alongamento no pescoço, esse modelo é o mais adequado. É ideal para quem tem o pescoço mais curto ou quer que ele pareça mais comprido. É uma boa escolha também para quem quer disfarçar ombros largos pois chama a atenção para o centro do corpo, valorizando todos os tamanhos de seios.

 

Canoa: Esse decote cria uma linha horizontal na parte alta do tronco e dá uma impressão de ombros maiores. Ótima escolha para quem tem quadris largos e ombros nem tanto, pois equilibra as proporções dessas partes do corpo.

 

Gola redonda: Dá a impressão que os seios são maiores pois "fecha" o colo. Para quem tem pouco busto é excelente, mas as donas dos seios maiores devem ficar atentas ao resultado pois pode não agradar. Para disfarçar o volume, um colar de peso, que vá até o meio dos seios, pode ser usado com a gola redonda, dando impressão que a gola é em V, chamando mais atenção para alongamento do pescoço.

 

Tomara que caia: Ideal para quem tem seios pequenos, pois eles "seguram" o decore, ajudando a equilibrar as proporções entre os ombros e o busto e deixando o corpo mais harmonioso para quem tem quadris largos e tronco estreito. Quem tem seios mais avantajados deve usar esse tipo de decote caso se sinta confortável, sem puxar a blusa ou vestido para cima o tempo todo.

 

Turtleneck: É o tipo de blusa que tem a gola alta e fecha o colo. Esse modelo pode ser usado sem preocupaçõpes por quem tem busto médio ou pequeno, mas as mulheres que tem seios grandes devem tomar os mesmos cuidados da gola redonda ao usar esse estilo de gola.

Projeto pretende aumentar o número de mulheres nas agências de publicidade
Foto: Reprodução / Tumblr

No mundo da publicidade, as mulheres representam 20% das pessoas contratadas em uma agência e seus salários ainda são 30% menores que o dos homens, e se a mulher for negra, esse salário fica 60% menor do que o de um homem. Assim começa o texto de descrição do projeto Find the Woman (veja aqui). Tendo em vista os seguintes dados, uma dupla criativa se uniu para fazer um projeto no qual destacam as diversas imagens divulgadas por agências ao redor do mundo, onde se veem apenas uma mulher em um ambiente repleto de homens.

 

Segundo o site Catraca Livre, o projeto convida, na sua página no Tumblr, pessoas de todo o mundo para mandar as oportunidades de trabalho das suas agências e em troca de receber indicações de mulheres para a vaga. De acordo com Gabriela Ramalho, redatora por trás do Find the Woman, “O projeto nasceu para provar que lutar pela igualdade de gêneros na publicidade é necessário, não estamos inventando um problema onde não há. As fotos são reais, e o problema também". Mas o objetivo dele é ainda maior, e a diretora de arte Neyla Alana, co-criadora da iniciativa complementa "Queremos mostrar que existem mulheres totalmente capazes de criarem campanhas incríveis”.

Sábado, 24 de Junho de 2017 - 17:00

O corretivo certo para cobrir manchas, olheiras e acne

O corretivo certo para cobrir manchas, olheiras e acne
Foto: ThinkStock

A cobertura ideal depende de um produto específico para cada área a ser corrigida. Olheiras, manchas e acne podem contribuir para que a maquiagem não fique tão perfeita e por isso devem ser cobertas com o tipo certo de corretivo. Veja abaixo qual o melhor produto para cobrir essas imperfeições e como aplicá-los.

 

Olheiras: segundo o site da revista Cláudia, para disfarçar as olheiras, o corretivo precisa ter a cor da sua pele, pois se for mais claro deixará uma mancha em baixo dos olhos. Olheiras suaves devem ser cobertas com corretivos líquidos, com texturas leves e aplicado com um pincel de cerdas rígidas. Nas olheiras moderadas devem ser aplicados corretivos hidratantes, espalhando com os dedos e dando leves batidinhas. Para as mais intensas, corretivos coloridos são essenciais, com tons amarelados para as olheiras roxas e salmão para as acinzentadas.

 

Manchas: o corretivo em pó é o mais indicado quando esse tipo de imperfeição é leve. Para manchas moderadas, os corretivos cremosos são melhores por serem mais pigmentados e fáceis de espalhar, disfarçando bem e sem marcar. Em manchas intensas, corretivos de longa duração com fórmulas hidratantes são os melhores para o caso. Para potencializar a cobertura, deve ser aplicada a base e em seguida o pó.

 

Acne: o corretivo em lápis são ideais para cobrir a acne leve pois o seu formato propicia uma aplicação precisa e pontual. Na acne moderada, o corretivo em bastão, com fórmula muito concentrada e seca previne o excesso de oleosidade e deve ser aplicado moderadamente sobre os pontos de vermelhidão. A acne intensa pode ser coberta com corretivos oil free. Nas áreas onde se concentra uma quantidade maior de acne podem ser utilizados corretivos fluidos, fáceis de espalhar e livres de óleo, evitando que o problema se agrave.

Sábado, 24 de Junho de 2017 - 14:00

Como usar tênis no trabalho

Como usar tênis no trabalho
Foto: Pixabay

Usar tênis é a garantia que você vai se sentir confortável o dia inteiro. Já não vale mais aquele mito que dizia que andar de tênis é sinônimo de estar desarrumada e segundo o site da revista Galmour, se forem combinados de forma correta, podem ser usados até mesmo no ambiente trabalho.

 

Com vestido: tênis e vestido é um combo em alta entre as fashionistas. O vestido dá conta de conferir um visual mais feminino, enquanto o tênis traz o equilíbrio perfeito para deixar o look mais descolado. Dos menores até os longos, todos caem bem com tênis, mas se for de cano alto, o ideal é que o vestido seja mais curto para não deixar a silhueta achatada.

 

Com saia: Tênis com saia deixam a produção com uma pegada esportiva. Quase os mesmos princípios de combinar o tênis com vestido são válidos para as saias, mas a combinação pode ficar mais casual se uma camiseta for escolhida para compor o look, ou mais sofisticada se for usada uma camisa. 

 

Com macacão: para não ficar muito casual, pode ser escolhido um modelo de seda ou outro tecido mais fino, equilibrando o estilo de rua do calçado.

 

Com calça: é a combinação mais comum com tênis, mas não deixa de ser estilosa. Pode ser usado com qualquer tipo de calça, das soltas as mais retas. Combinando um modelo básico nos pés, pode ousar no resto da produção com peças mais marcantes. Para as baixinhas que são loucas por salto, existem tênis com plataforma, como os modelos flare que ficam ótimos com calça.

Sábado, 24 de Junho de 2017 - 11:00

Amigas se unem para formar marcenaria

Amigas se unem para formar marcenaria
Foto: Reprodução / Instagram

A Lumberjills é uma sociedade constituída por uma mulher formada em hotelaria e outra com formação em turismo. Sabendo qual a vocação original das duas, nunca seria possível imaginar que na verdade, a Lumberjills é uma marcenaria. Segundo o site imulherempreendedora, Fernanda Sanino e Letícia Piagentini são amigas há muitos anos e as duas resolveram empreender juntas quando descobriram por acaso o talento para a marcenaria. “Reformei os móveis de minha avó e minha tia, e recebi tantos elogios que percebi que levava jeito para a marcenaria. Comecei a pensar nessa ideia”, lembra Fernanda. “Resolvi, paralelamente à carreira corporativa, investir em uma nova área. Sempre adorei desenhar e na busca por um curso, me interessei em fazer o de desenho de mobiliário. Fazendo as aulas, percebi que além e desenhar, queria construir os móveis”, conta Letícia.

 

A marcenaria funciona em São Paulo e o nome da marca veio do inglês. A palavra Lumberjills é o feminino de Lumberjack, que significa lenhador. Muitas mulheres tiveram que assumir funções masculinas na Segunda Guerra Mundial e uma das profissões que começaram a ocupar foi a de lenhador. As sócias explicam que ser mulher em um setor majoritariamente masculino é um desafio que está sendo vencido. “Entendemos que a nossa presença no setor ainda é novidade, e as pessoas estão se acostumando. Quando iniciamos o projeto, não foi para levantar uma bandeira ou provar alguma coisa, foi porque queríamos abrir uma marcenaria. Quando enfrentamos algum tipo de preconceito ou machismo, encaramos de uma maneira leve e mostramos nossa competência no trabalho final”, diz Fernanda.

 

Outro grande desafio que as duas enfrentam veio das famílias, que desejavam que elas escolhessem outra área. “Por sermos mulheres e altamente qualificada (eu e a Fernanda temos pós-graduação, vivência no exterior e falamos quatro idiomas cada uma), nossos familiares não entendiam nosso desejo de fazer um trabalho tão braçal. Mas com o tempo eles aceitaram e hoje admiram e respeitam nossa escolha”, conta Letícia. Antes do negócio, Letícia e Fernanda trabalhavam em cargos de confiança com bons salários em uma empresa. “Abrir mão dessa segurança e trocar o certo pelo duvidoso não foi uma decisão fácil, mas nossa fé no projeto Lumberjills que nos deu a força que precisávamos”, completa.

 

Letícia diz que no início, parecia uma loucura, mas após um estudo de mercado, souberam que havia uma carência de jovens que fizessem moveis a preços acessíveis e perceberam o potencial que o projeto tinha. Além do talento natural para a marcenaria, elas fizeram diversos cursos no Senai e em outras escolas para aprimorar suas técnicas e aprender novas, e enfim conseguir abrir o negócio.

 

 “Primeiro desenvolvemos projetos para amigos e familiares, para testar e nos aperfeiçoar. Só depois de seis meses lançamos a marca no mercado digital. Preferimos crescer aos poucos, sem pressa. Nosso sonho da loja virtual, por exemplo, só irá se concretizar nos próximos meses, quando teremos uma maior estrutura de estoque. Começamos em uma garagem e só agora estamos indo para um lugar maior, onde poderemos ter funcionários”, conta Letícia.

 

Os clientes da Lumberjills chegam principalmente através de indicação, o restante fica conhecendo a marcenaria através do Instagram e outras redes sociais. Tendo em vista essa parcela de consumidores que vem da internet, elas pretendem lançar uma loja virtual, mas por enquanto possuem um site no qual apresentam seu trabalho (veja aqui). Elas também pretendem abrir aulas e cursos para mulheres “A ideia é capacitar novas marceneiras e também ensinar as mulheres a realizar pequenas tarefas dentro de casa, como pendurar um quadro e consertar um móvel quebrado”, diz Letícia.

'Foi um momento mágico', disse Marcia Freire, uma das principais mulheres da música baiana
Foto: Divulgação

Márcia Freire é uma das principais figuras femininas da música baiana com diversos sucessos como “Baiana Merengueira”, “Que Arerê”, “Rebentão”, entre tantos outros. Os mais de 20 anos de carreira parecem não pesar nem um pouco para esta artista, que está sempre se reinventando, subindo em diferentes palcos e atraindo um público cada vez mais eclético. Conhecida como Furacão Loiro, Marcia Freire participou no último domingo (18) da 21a Parada de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros (LGBT) em São Paulo  e confessa que se surpreendeu com as milhares de pessoas que se concentraram na Avenida Paulista. “Foi um momento mágico”. Clique aqui e leia a entrevista completa!

São João na RBN Digital: Curta três horas de forró sem intervalos
Foto: Divulgação / Nova Escola

A rádio RBN Digital entrou em clima de São João! E para não deixar nossos ouvintes com vontade de dançar um arrastapé, nós traremos neste sábado (24) três horas de forró tradicional, sem intervalos, para quem quiser ensaiar os últimos passos antes de partir para os festejos. Nossa playlist de São João já fez sucesso nessa sexta-feira (23) e nesta tarde serão mais três horas inteiras com forró pé de serra, xote, baião e xaxado. Você vai ouvir Flávio José, Dominguinhos, Luiz Gonzaga e muito mais! Nossa proramação junina vai ao ar a partir das 15h. Se já tem nosso aplicativo, é só clicar e nos acompanhar. Se ainda não tem, baixe o aplicativo para iPhone https://appsto.re/br/40Rrjb.i, ou para Android https://goo.gl/gXprSH. Você também pode ouvir a RBN Digital pelo www.rbndigital.com. Um bom São João a todos. Anarriê!

A cientista brasileira premiada por pesquisa em cosméticos cruelty free
Foto: Divulgação

O Lush Prize é uma parceria entre as marcas 100% vegetarianas e 83% veganas Lush e Ethical Consumer para apoiar a toxicologia livre de animais. O prêmio tem um fundo de 250.000 libras por ano e já distribuiu mais de 1,5 milhão de libras para 76 vencedores em 17 países, incluindo o Brasil. Em 2015, a brasileira Bianca Marigliani, bióloga especializada em biotecnologia, vencei o prêmio da marca na categoria Jovem Pesquisador. Atualmente, Bianca está finalizando o mestrado em biotecnologia na Unifesp e está envolvida em um projeto para acabar com o uso de soro bovino em testes cosméticos.

 

Ela explica ao site da revista Glamour sua pesquisa vencedora do Lush Prize, que tem como foco os testes de sensibilização cutânea: "A ideia é determinar se um produto pode ou não causar alergia no consumidor. Mas, em vez de testar na pele de um coelho, por exemplo, tentamos prever o resultado usando células humanas cultivadas em laboratório. A gente aplica a substância que queremos testar na cultura de células e observamos as reações. Já entendemos quais vias são ativadas quando há um processo alérgico e também temos a tecnologia para avaliar essas reações e entender se aquele produto vai ou não causar provocá-las -- tudo sem precisar usar os animais".

 

Bianca conta que estava na metade do doutorado enquanto, paralelamente, tocava um projeto sobre métodos alternativos, pórém estava sem financiamento. Quando conversou com uma amiga sobre o assunto, surgiu a ideia de mandar o seu empreendimento para a Lush Prize. Considerando o sua pesquisa muito simples para o porte do prêmio, a bióloga fez uma outra opção "lembrei de uma coisa que sempre me incomodou muito desde o meu primeiro dia no mestrado no laboratório, que é o uso do soro bovino fetal. Para mim é um contrassenso usar produtos de origem animal, principalmente aqueles que sabemos que são cruéis. Fiz o projeto sobre isso e ganhei! E aí, financiaram a minha pesquisa que está sendo desenvolvida agora" diz ela.

 

Quando questionada sobre o sexismo existente na área em que atua, Bianca reflete que apesar de existente, ele é velado e ela sofre mais por ser vegana do que por ser mulher "Já ouvi coisas do tipo: 'Ah, mas será que colocamos ela no laboratório? O biotério é logo ali... Será que ela não vai abrir as gaiolas e libertar os animais?’. Mas a gente tem uma responsabilidade científica, por mais que a minha vontade seja libertar todos eles. A gente entende que é um processo".

Sexta, 23 de Junho de 2017 - 17:00

Como evitar que os produtos vazem na necessaire

Como evitar que os produtos vazem na necessaire
Foto: Shutterstock

Nessa época do ano, muita gente aproveita para viajar, mas não há nada pior do que, ao começar a desfazer a mala no hotel, perceber que um frasco estourou e derramou algum cosmético em tudo. Se você já passou por isso, veja essas dicas da dermatologista Larissa Viana que contou alguns truques à revista Vogue para nunca mais passar por essa situação novamente.

 

- É melhor não levar frascos novos e completamente cheios, é bom colocar as substâncias dentro de embalagens vazias próprias para viajar;

 

- Frascos com tampas de encaixe são pouco confiáveis, prefira as tampas de enroscar para não correr riscos;

 

- Embrulhe os frascos em papeis aderentes e duplique a segurança utilizando uma nécessaire de plástico (que é mais fácil de limpar) para os produtos líquidos, separando-os dos outros conteúdos de higiene;

 

- Se a tampa do produto estiver um pouco solta, para maior segurança, coloque um papel aderente cobrindo o gargalo e feche a tampa, como se fosse uma "saia" para o frasco;

 

- Aperte os produtos em bisnaga para sair o ar antes de guardar na nécessaire, isso reduz a pressão e diminui a probabilidade de estourar;

 

- Os frascos de perfume podem ser colocados em embrulho de papel bolha para amortecer os possíveis impactos. Antes de embalar, coloque uma fita adesiva na saída do spray.

Comprimento de roupas infantis provoca mobilização na indústria de moda
Foto: Rawpixel / ThinkStock

As lojas de departamento no setor infantil são divididas entre meninos e meninas, com estampas, modelagens e cores diferentes para cada grupo. De acordo com o site da revista Cláudia, um detalhe que passa despercebido e que vai além dos estereótipos de gênero (que determina que rosa é para meninas e azul é para meninos) é o tamanho das roupas das meninas, muito menores em relação às dos meninos. “Enquanto as roupas dos meninos são feitas para serem confortáveis e utilitárias, as das meninas são criadas para enfatizar ou minimizar suas formas. Leggings coladas, blusas ajustadas e shorts super curtos são a norma” aponta Rachel Simmons, cofundadora da Girls Leadership, organização dedicada a empoderar mulheres, ao HuffPost Canadá. “Oferecer apenas essas opções envia às garotas a mensagem de que parecer magra é mais importante do que sua liberdade de movimento“, completa ela.

 

As marcas canadenses Girls Will Be e Free To Be Kids, pensando nessa situação, começaram a criar roupas mais confortáveis para as meninas. “Não acreditamos que as meninas deveriam ter que procurar no setor masculino para encontrar coisas que amem. E mais, nem todas as garotas querem usar aquele estilo largo e despojado que encontram por lá”, disse Sharon Choksi, da Girls Will Be.

 

A marca de Choski notou que os shorts das meninas costumam ter menos da metade do comprimento das bermidas masculinas, pensando nisso ela criou vestimentas com o comprimento maior, tanto nos shorts quanto nas camisetas.“Não há razão alguma para tal disparidade de tamanhos”, disse Courtney Hartman, da Free To Be Kids.

 

No Brasil, a PUC e Alexandre Herchocovich são algumas das marcas que atentam para essas distinções e já começaram a apostar em linhas infantis sem distinção de gênero.

Sexta, 23 de Junho de 2017 - 11:00

Como ajudar no alívio da retenção de líquido

Como ajudar no alívio da retenção de líquido
Foto: Thinkstock

Retenção de líquido é um inchaço no corpo que ocorre em áreas como perns, braços, rosto (abaixo dos olhos, por exemplo) e na barriga. Entre os sintomas do inchaço podem estar as dores corporais e pele ressecada, irritabilidade, desconforto intestinal e dificuldade na digestão. A nutricionista Andréa Farah explicou para o site da revista Glamour como podemos identificar a retenção “Quando pressionamos a área inchada, podemos observar uma covinha que se forma por alguns minutos”.

 

A retenção de líquido aumenta o peso na balança, podendo dar um resultado alternativo na pesagem. Esse aumento pode acrescentar de 1 a 3kg de líquido no corpo durante o período pré menstrual. Porém, “Devemos ter cuidado com o termo ‘ganho de peso’, pois normalmente, essa mudança não corresponde a um ganho de gordura corporal”, diz a nutricionista Lara Natacci.

 

É mais comum nas mulheres que nos homens justamente por causa das alterações dos hormônios durante a menstruação e mais tarde na menopausa. De acordo com as médicas, não é difícil perder esse peso. No entanto, a mulher precisa ser acompanhada por um médico para que seja possível tratar corretamente o ganho de peso.

Alimentos enlatados, embutidos (como salsicha, presunto e salame), industrializados e comidas ricas em sódio devem ser evitados durante o período pois contribuem significativamente para o aumento de peso por causa do cloreto de sódio, ou sal de cozinha, que retém a água se consumido em excesso. Os temperos industrializados também devem ser evitados, bem como os carboidratos simples (pão, massa e farinha), e as bebidas alcoólicas, sucos em pó, de caixinha e refrigerantes.

 

Alimentos ricos em potássio, como batata, feijão, abóbora, abacate, banana, mamão e damascos secos, além de frutas e verduras, podem ajudar a diminuir o inchaço. Também se pode optar por chás como os de boldo, hibisco e verde que tem função diurética. O consumo de água é de fundamental importância para ajudar no funcionamento e purificação e também para que faça mais xixi e se sinta menos inchada.

Sexta, 23 de Junho de 2017 - 08:10

Melhor aderir à moda ou valorizar um estilo próprio?

Melhor aderir à moda ou valorizar um estilo próprio?
Foto: Divulgação

Crescemos acreditando que deveríamos aderir aos modismos do momento e moldar nosso guarda-roupa conforme o que as semanas determinavam como "in". Não tem jeito. Ainda que o desenho da peça não nos favoreça ou não tenhamos expectativa alguma de usar aquele item depois que a moda passar, de alguma maneira achamos natural investir recurso financeiros, materiais e até mesmo ambientais em algo que tem data de validade.

 

Não quero dizer aqui que devemos ser resistentes à moda, ou ela não teria nenhuma razão de existir. Gostamos de novidades, nossos estilistas e designers borbulham em criatividade. Seria um desperdício não valorizar esses elementos. Quero dizer, no entanto, que precisamos aprender a tornar a moda uma aliada nossa e fazer com que as peças durem o máximo que pudermos. O meio ambiente agradecerá!

 

Existe aquela máxima de que a moda passa, mas o estilo permanece. A moda é transitória por estar diretamente associada às mudanças de hábito, costumes e realidades de uma sociedade. Ainda que anos mais tarde modismos que marcaram uma determinada época voltem à atualidade, repaginados ou com outro nome. O veludo molhado, a calça flare (ou seria boca de sino?), as jaquetas esportivas que estiveram presentes nos anos 70 e 80 são alguns exemplos.

 

E eu uso isso mesmo para reforçar meu argumento em defesa de um estilo, acima de qualquer modismo. Porque o estilo está relacionado ao autoconhecimento e transcende o ciclo da moda. E se nos vemos num estilo mais casual, ou mais clássico, ou em um que valorize mais a sensualidade, conseguiremos comprar com mais consciência e usar aquelas peças que nos deixarão mais confortáveis. E não haveremos de nos preocupar com a validade daquele modismo, já que ele se tornará uma peça usual do nosso guarda-roupa.

 

Mas não se preocupem, leitoras, que isso não quer dizer que estacionaremos no tempo e deixaremos de acompanhar as novidades do mundo da moda. Os elementos que chegarem às araras e prateleiras serão um ótimo aliado para atualizar nossas composições. Isso vale para cor, modelo, tamanho, truque, estampa. Lembrando sempre que isso deve estar em função do seu estilo, não o contrário.

Combinado?

Estela Marques é jornalista, repórter de política e autora do blog Moça Criada. Defende que as mulheres vistam e calcem itens que as deixem confortáveis, independentemente dos padrões. Acompanhe seu trabalho em www.mocacriada.com.br.

São João na RBN Digital: Curta três horas de forró sem intervalos
Foto: Reprodução / Nova Escola

A rádio RBN Digital entrou em clima de São João! E para não deixar nossos ouvintes com vontade de dançar um arrastapé, nós traremos nesta sexta-feira (23) e sábado (24) três horas de forró tradicional, sem intervalos, para quem quiser ensaiar os últimos passos antes de partir para os festejos. Nossa playlist de São João começará nessa sexta, a partir das 21h. Serão três horas inteiras com forró pé de serra, xote, baião e xaxado. Você vai ouvir Flávio José, Dominguinhos, Luiz Gonzaga e muito mais! Mas se você continuar com vontade de ouvir forró, não tem problema. No sábado, nossa proramação junina volta ao ar a partir das 15h, com mais três horas de forró sem intervalos. Se já tem nosso aplicativo, é só clicar e nos acompanhar. Se ainda não tem, baixe o aplicativo para iPhone https://appsto.re/br/40Rrjb.i, ou para Android https://goo.gl/gXprSH. Você também pode ouvir a RBN Digital pelo www.rbndigital.com. Um bom São João a todos. Anarriê!

'Sou mulher, negra e de favela', destaca cantora da banda De Mainha ao rebater preconceitos
Foto: Paulo Victor Nadal / Bahia Notícias

Com o empenho em se desprender dos preconceitos, seja dos estilos musicais, seja por ser mulher e negra, a cantora Dammys Monteiro da banda “De Mainha” está há quase dois anos à frente dos vocais do grupo baiano, com canções que reforçam o poder feminino e misturam o sertanejo com o forró estilizado. Em entrevista ao Bahia Notícias, a vocalista contou que tem buscado referências musicais diversas, de Milionário e José Rico a Marília Mendonça. “Nós cantamos o sertanejo de raiz com referências do forró da Bahia, para fazer o sertanejo estilizado”, explicou. Dammys não é apegada às nomenclaturas dos estilos em que transita, mas diz que gosta “de música boa”. Ela defende que há espaço para tudo que é feito com qualidade, no São João, e que cabem vários estilos desde que surjam do desejo do público.

 

A atual música de trabalho “De Mainha” é “Amor Roxo”, umas das 10 canções autorais do CD ao vivo. Segundo a cantora, durante a seleção do repertório a preocupação é trazer letras que não rebaixem a imagem da mulher, diante de uma sociedade cheia de preconceitos.  A cantora, neste ponto, destacou um equívoco relacionado ao empoderamento: “As pessoas confundem muito e acham que a mulher pra ser poderosa tem que ser gostosa”. “Sou mulher, sou negra e não está distante de mim o preconceito.  Mulher pra ser poderosa precisa ser bonita por dentro e por fora. O empoderamento feminino é muito bom, mas não adianta ter uma capa bonita e por dentro ser ruim”, criticou a artista, referindo-se ao fato de resumirem a mulher a um corpo. “O que deixa a mulher poderosa é o conhecimento. Sou negra, de favela, de uma comunidade pobre de Camaçari. Hoje o que me torna diferente, o que me coloca em destaque não é a beleza, é o conhecimento, a educação”, afirmou Dammys ao usar como exemplo de poder feminino a sua vó. “Uma sertaneja semianalfabeta, grande em caráter e poderosa. Criou seis filhos e os netos... Tudo que tenho eu devo a ela”.

A cantora lembrou ainda que sofreu com o machismo tanto no meio musical como em outros setores da sociedade. “Muitas vezes me senti discriminada por ser mulher. Existe muito preconceito, principalmente com a mulher negra. Não é vitimismo. A gente lida com isso em vários setores, como produto, por ser mulher. Na música, infelizmente, às vezes a gente é vista só como um rostinho bonito, um corpinho bonito, sendo que a gente tem muito a oferecer”, desabafou. Mas Dammys acredita que o trabalho das mulheres na música tem ganhado espaço e mudado aos poucos os paradigmas. “Hoje a gente vê mulheres conquistando o mercado musical, como Marília Mendonça, sem ter o padrão colocado pela sociedade. A gente não precisa ser magra para cantar. A música prova que tem força suficiente pra ofuscar qualquer questão exterior”, concluiu. Para quem ainda não conhece o show da banda liderada por Dammys Monteiro, durante o período das festas juninas o grupo vai se apresentar em pelo menos oito cidades baianas. Confira a agenda:

 

Agenda de shows

22/06- Conceição do Almeida

23/06- Muniz Ferreira

23/06 - Varzedo

24/06- Camaçari

24-06- Laje- Ba

25/06- São Felipe

29/06- Ipecaetá

30/06/ - São Sebastião do Passé 

Mãe é chamada de gorda por sua filha e dá lição sobre imagem corporal no Instagram
Foto: Reprodução / Instagram

A escritora Allison Kimmey transcreveu em seu Instagram um diálogo com os seus filhos sobre aceitação da imagem corporal, ensinando a ele uma importante lição sobre o assunto. Kimmey contou que foi chamada de gorda pela menina quando pediu que ela e irmão saíssem da piscina, contrariando a vontade dos dois. De acordo com o site da revista Marie Claire, após o insulto, a americana chamou os filhos para conversar.

 

"Eu: ‘O que você disse sobre mim?’

Ela: ‘Eu disse que você é gorda, mamãe, me desculpe‘

Eu: ‘Vamos falar sobre isso. A verdade é que eu não sou gorda. Ninguém É gordo. Não é algo que você possa SER. Mas eu TENHO gordura. Nós TODOS temos gordura. Ela protege nossos músculos e nossos ossos e nos fornece energia para manter nosso corpo funcionando. Você tem gordura?’

Ela: ‘Sim! Eu tenho um pouco aqui na minha barriga’

Eu: ‘É isso aí. Eu também e seu irmão também!’

O irmão dela: ‘Eu não tenho nenhuma gordura, eu sou o mais magro, eu só tenho músculos’

Eu: ‘Na verdade, todos, cada pessoa no mundo tem gordura. Mas cada um de nós tem diferentes quantidades’

O irmão dela: ‘Certo! Eu tenho um pouco para proteger meus grandes músculos! Mas você tem mais do que eu’

Eu: ‘É, isso é verdade. Algumas pessoas têm um monte e outras não têm muita gordura. Mas isso não significa que uma pessoa é melhor do que a outra, você entende?'"

 

Na mesma publicação, a escritora explicou que sempre tenta lidar com esses temas com cuidado e que os termos gordo e gordura não são xingamentos em sua casa para não reforçar a utilização dessas palavras como insultos. A intenção é retirar o estigma de que "ser gordo é indigno, grosseiro, cômico e indesejável".

Quinta, 22 de Junho de 2017 - 17:00

Dicas para onde ir no São João

Dicas para onde ir no São João
Fonte: Freepik

Vai chegar o feriado e você ainda não sabe o que fazer? E na correria do trabalho não sabe para onde ir no final de semana? Vamos lá: os dias mais animados  da festa são sábado (23) e domingo (24) – 24 é o verdadeiro dia do São João. Confira algumas sugestões de destinos pertos da capital baiana.

 

  • Amargosa – com uma das festas mais tradicionais da Bahia, esse ano entre os dias 22 e 25 de junho receberá atrações como Danniel Vieira, Maiara e Maraisa, Estakazero, Zé Ramalho e Simone e Simaria. A cidade fica a 240 km de Salvador, entre 3 e 4 horas de ônibus ou carro. As passagens de ônibus para lá saem a partir de R$46,00;

 

  • Santo Antonio de Jesus – cerca de 3 horas de distância da capital baiana, 208 km, também terá arraiá, este ano cantores como Aldemário Coelho e Targino Gondim participarão da festa que vai de 21 a 25 de junho, mesmo indo na sexta-feira da pra dançar bastante. As passagens de ônibus estão a partir de R$40,00;

 

  • Cruz das Almas – uma das cidades mais famosas não só pelo São João, mas pela linda guerra de espadas, promete Elba Ramalho e Zé Ramalho entre as atrações dos dias 22, 23, 24 e 25 de junho. Apenas 150 km separam essa cidade de Salvador, dentro de 2 horas de carro ou ônibus se chega lá. As passagens de ônibus estão por R$32,00;

 

  • Serrinha – cidade famosa pela vaquejada, não poderia ficar de fora do São João, sempre um dos destinos mais procurados, esse ano vai ter sua festa de 23 a 25 de junho. A cidade receberá nomes como Del Feliz e Matheus & Kauan. Relativamente perto, 183 km separam Serrinha de Salvador, isso que dizer que a viagem de ônibus ou carro dura cerca de 2h e 30 mim. As passagem de ônibus estão a partir de R$40,00.

 

  • Camaçari – se o interior, por mais perto, ainda está longe, vale apena ir na região metropolitana de Salvador, com o nome bastante famoso, o “Camaforró” vai contar com Naiara Azevedo e Maiara e Maraisa do 22 ao dia 24 de junho, serão no total 40 atrações. Camaçari fica há 50 minutos da capital, dá até para ir de ônibus coletivo que fazem linha entre as cidades, com menos de R$6,00 se chega no destino final;

 

Para saber a lista completa de atrações e em quais dias estarão nas respectivas cidades, confira nos sites e redes sociais das prefeituras locais.

Mitos e cuidados dos cabelos das mulheres da terceira idade
Foto: Shutterstock

A clientela com mais de 60 anos está cada vez mais preocupada com a aparência e por isso o mercado de beleza está se inovando cada vez mais para atender a essa parcela de mulheres, visto que elas possuem maior disponibilidade para ficar no salão de beleza por mais tempo. Como o corpo muda com a idade, certas coisas não permanecem como antes, principalmente os cabelos, que ficam com uma textura diferente de antes e é preciso saber o que é válido e o que é mito para essa faixa etária.

 

É uma característica própria do fio grisalho ser mais grosso e ressecado, por isso necessita de hidratação. “A tendência é que o fio amarele, então precisa de produtos contra o amarelamento, que são os shampoos prata ou roxo”, diz Sylvio Rezende, hairstylist do salão 1838, em São Paulo. Diego Queiroz, expert do mesmo salão, diz que uma hidratação semanal é ideal para quando os sinais da idade chegam. ”É preciso ter cuidado com os produtos utilizados, porque alergias costumam aparecer quando a pele e o couro cabeludo ficam mais sensíveis. Por isso, fazer testes sempre que um novo produto for utilizado é obrigatório”.A proteção térmica dos fios também é superimportante antes de fazer qualquer procedimento e proteger o cabelo do sol é essencial para deixá-los saudáveis e bonitos, além de evitar o uso de secador e chapinha.

 

Eles também esclarecem, no site da revista Cabelos&cia, os mitos que rondam as mulheres dessa idade:

 

Mulher mais velha não pode ter cabelo comprido: Diego Queiroz afirma: “é realmente mentira porque o comprimento do cabelo tem a ver com o formato do rosto e estilo da cliente, e não com a idade. Logo, se você analisar e ver que os fios mais longos combinam com aquele perfil, dá sim para uma senhora ter cabelo comprido”.

 

Quanto mais madura, mais cabelos brancos: Assim como existem adolescentes em que os fios brancos começam a aparecer cedo, também existem idosas que não ficam com os cabelos grisalhos.

 

Cabelo grande esconde as rugas: Para Sylvio Rezende, os cabelos mais longos ressaltam ainda mais as rugas “Tudo depende do formato de rosto. Porém, se a cliente quiser apostar nos fios um pouco mais longos, aconselhe um desfiado ou repicado porque os quadrados deixam o rosto pesado”.

 

Mulher não fica velha, fica loira: Diego explica que “Nem toda mulher precisa ficar loira e descolorir os fios. Há aquelas que podem conviver normalmente com os fios grisalhos e continuarem linda”.

 

Curto é o comprimento mais fácil para as senhoras: Como os cabelos na terceira idade tendem a ficar mais finos e perder o volume, a opção pelo curto torna-se a mais escolhida. Mas hoje vários produtos existem para fortalecer os fios desde o bulbo, trazendo mais volume e peso às madeixas.

Quinta, 22 de Junho de 2017 - 11:00

Recipientes para suculentas

Recipientes para suculentas
Foto: Reprodução / Pinterest

Por serem típicas de lugares muito quentes, as suculentas conseguem acumular água durante muito tempo, portanto são muito resistentes e precisam de pouca água. São perfeitas para decorar o lar de quem não tem muito tempo para cuidar de plantas ou para aquelas pessoas esquecidas que deixam as plantas de casa morrerem. Como elas não precisam ser regadas diariamente, os recipientes em que habitam não precisam ter furinhos, abrindo inúmeras possibilidades de lugar para serem colocadas.

 

Quase tudo pode ser um vaso para uma suculenta. Elas podem ser colocadas nos mais diversos tipos de lugares essa é a sua maior vantagem. Em vasos comuns, pequenos ou grandes, regadores, bules, jarros, engradados de madeira, recipientes de vidro, como copos, aquários antigos, entre outros. Vasos grandes podem abrigar várias suculentas, formando um mini jardim. Lugares pequenos também cabem esse tipo de planta, podem ser xícaras, canecas, saboneteiras de porcelana e até mesmo casca de ovos. Elas também podem ser postas suspensas, em cestos ou vasos, o que vale é usar a criatividade e conseguir enxergar em objetos não mais utilizados com frequência uma possibilidade de abrigar essa planta.

Quinta, 22 de Junho de 2017 - 10:20

Eunápolis: Uneb demite professor acusado de assediar alunas e docentes

por Ana Cely Lopes

Eunápolis: Uneb demite professor acusado de assediar alunas e docentes
Foto: Reprodução/TV Santa Cruz

Após quase um ano da abertura de processo disciplinar por assédio, o professor de sociologia do campus de Eunápolis da Universidade do Estado da Bahia (Uneb), Alex Sandro Macedo (leia mais), foi demitido. O docente é suspeito de ter assediado mais de dez alunas e professoras da universidade. Em decreto publicado na manhã desta quinta-feira (22), o reitor da Uneb José Bites de Carvalho afirma que a medida foi tomada por conta da prática de “incontinência pública e conduta escandalosa”, cujo enquadramento decorre de violação de deveres previstos no Estatuto do Servidor Público do Estado da Bahia. Segundo o texto, é esperado que os servidores mantenham “conduta compatível com a moralidade administrativa e que guardem sigilo sobre assuntos confidenciais em razão do cargo ocupado”. Em nota enviada ao BN, o suporte jurídico das vítimas afirmou que o resultado do processo quebra o silêncio em torno dos casos de violência, assédio sexual e moral. “A sanção administrativa de demissão do professor Alex Sandro Macedo certamente servirá como caso emblemático para todo serviço público, principalmente às escolas e universidades”, informou. Apesar da finalização do caso na instância da universidade, as vítimas, por meio de sua sua advogada Anhamona de Brito ressaltam que a “luta não cessou”. Duas docentes ainda aguardam a relocação para outras unidades por não possuírem condições psicológicas de prosseguir com as atividades no local onde a violência ocorreu. Além disso, elas aguardam o desfecho das denúncias ao Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA), pela prática de ato de improbidade administrativa. O órgão está apurando se a conduta “comissiva do professor Alex Sandro fere princípios como os da integridade e moralidade, que devem nortear a conduta de todos os servidores públicos, em especial dos formadores de opinião como é o caso da classe dos professores”, consta no inquérito. 

Quinta, 22 de Junho de 2017 - 08:00

A pele pode ressecar no frio

A pele pode ressecar no frio
Foto: George Hodan

Com a mudança de temperatura a pele do rosto e lábios pode apresentar alguns sintomas como ressecamento e até leves sangramentos. Cada pele reage de uma forma diferente às baixas temperaturas, principalmente quando é muito frio e com baixa umidade do ar.

 

De acordo com a dermatologista Naira Villar, é preciso ter alguns cuidados a mais nesta época, como usar e abusar do hidratante e a ingestão de muita água para hidratar. A dermatologista explica que os óleos que as mulheres gostam de usar durante o banho na verdade não hidratam a pele e sim promovem um "brilho". “Seria o mesmo que comparar ao funcionamento de um lustra móveis. O indicado mesmo são os bons hidratantes dermatológicos”, orienta Naira Villar.

 

Outro hábito comum é passar a língua nos lábios na tentativa de hidratar, mas segundo a médica a saliva por ser muito ácida termina piorando o problema. “Eu recomendo usar algo muito simples e que resolve esta questão das rachaduras nos lábios, a banha de cacau”, disse ela.

 

Naira Villar ainda alerta que o banho quente é o mais confortável, mas não é o recomendado, pois a água quente retira a gordura natural que protege a pele. “O banho frio é mais saudável e até melhora o sistema imunológico”, conclui a dermatologista.

 

Nossa reportagem consultou, também, o site Dermatologia.net, que mostra formas de driblar alguns problemas como a pele ressecada, descamação, aumento da oleosidade e rachaduras labiais. Confira:

 

Pele ressecada

Para quem sofre com isso, o site indica: evite banhos muito quentes, não use muito sabonete, beba muita água e use hidrantes indicados por dermatologistas.

 

Oleosidade

O contrário da pele ressecada. Para quem sofre com esse mal evitar hidrantes a base de óleo e alimentos muito gordurosos.

 

Rachaduras labiais

O melhor é se prevenir, cuidar antes que rachem. Beber muita água, usar hidratantes labiais e manter a boca limpa são algumas dicas importantes.

 

Mas independente das dicas, procure sempre um dermatologista, diga o que se passa que ele lhe indicará a melhor forma de tratar e cuidar da sua pele.

Assembleia de Carinho mobiliza deputados, prefeitos e UPB para ajudar Aristides Maltez
Foto: Vaner Casaes / AL-BA

A Assembleia de Carinho, grupo de voluntariado ligado à Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), tem buscado apoio de deputados e da União dos Municípios da Bahia (UPB) para aumentar o apoio ao Hospital Aristides Maltez, referência nacional no tratamento do câncer. Depois da AL-BA retomar um convênio com a Liga Bahiana Contra o Câncer (relembre aqui), que administra a unidade, 20 anos depois da suspensão, agora as mulheres dos deputados estaduais e as parlamentares da Casa têm investido em aumentar o apoio que prefeituras baianas dão ao hospital mensalmente. De acordo com Eleusa Coronel, presidente da Assembleia de Carinho, apenas 85 municípios contribuem atualmente com a manutenção do serviço, com um valor de R$ 1,1 mil mensais. Porém, com o início do trabalho de convencimento dos gestores, esse número já teria ultrapassado 100. "Nós estamos fazendo uma campanha com todos os prefeitos da Bahia. Aristides Maltez Filho fez um desafio: se nós conseguirmos colocar metade dos municípios conveniados com a Liga Bahiana Contra o Câncer ele vai nos proporcionar uma festa política para mostrar isso à sociedade", explicou Eleusa, que é mulher de Angelo Coronel, presidente da AL-BA. “Nessa campanha todos estão engajados. As parceiras dos deputados que estão pedindo diretamente aos maridos para pedirem aos prefeitos das suas bases que contribuem. As deputadas também estão pedindo diretamente em suas bases que os prefeitos assinem os convênios”, completou. A expectativa do grupo é conseguir, até o final de 2017, que ao menos 210 prefeituras contribuam mensalmente para o hospital, que atende diariamente cerca de 3,5 mil pacientes do SUS de vários municípios e estados do país. "É um convênio que, para a prefeitura, é um valor irrisório. Porque R$ 1,1 mil para uma prefeitura, por mais que o município seja pequeno, não é nada que não possa fazer. Até porque eu acredito que não existe um município na Bahia que não teve, não tem ou não terá um paciente internado ou fazendo tratamento lá no Aristides Maltez. Então a gente está retribuindo o que já recebe de muito tempo. Essa também é uma luta da Assembleia de Carinho, com apoio da AL-BA", defendeu Eleusa. Entre as medidas empreendidas pela Assembleia de Carinho, estão a formação de uma comissão para participar de reuniões com prefeitos do interior e a busca do apoio do presidente da UPB, Eures Ribeiro, que já teria iniciado as conversas com demais gestores. "Ele se mostrou muito solícito, já entrou inclusive nessa campanha com a doação do município dele, que é Bom Jesus da Lapa, e também já passou mensagens pedindo apoio a todos os prefeitos e primeiras-damas. E me garantiu que nas reuniões itinerantes dele ele vai puxar essa pauta", detalhou. A Assembleia de Carinho foi instituída há pouco mais de 2 meses e inclui as oito deputadas estaduais, além das esposas dos demais parlamentares baianos. O grupo tem realizado diversas ações sociais e, além de encabeçar o retorno do apoio ao Aristides Maltez, também foi responsável pela criação de um projeto que permitirá a obtenção de uma “renda extra” pelas Obras Sociais Irmã Dulce (Osid) (entenda aqui) e por um forró solidário que arrecadou fraldas geriátricas para idosos.

CEO da Microsoft implanta medidas para aumentar o número de mulheres na empresa
Foto: Reprodução / Pinterest

Paula Bellizia está a frente de uma das maiores empresa do mercado de tecnologia. Ela é CEO da Microsoft no Brasil há quase dois anos (que serão completos em julho) e considera um desafio encarar esse mercado sendo mulher. Ela adicionou a sua lista de prioridades na empresa programas de empoderamento e representatividade feminina para melhorar o mercado e sua meta é refletir a diversidade da nossa sociedade dentro dele. "Desde que assumi, em julho de 2015, defini três prioridades abrangentes – implantar uma liderança transformadora, crescer os negócios na nuvem com parceiros e reforçar o nosso compromisso com o Brasil por meio do apoio à jornada empreendedora, englobando educação e empreendedorismo, que começa com a capacitação de crianças e jovens em tecnologia, estimula a criação de ideias inovadoras e a geração e desenvolvimento de startups. Quando falo em liderança transformadora, isso inclui a transformação pessoal e a mentalidade de crescimento, mudando o modelo de negócio, empoderando as pessoas e criando uma equipe que tenha como base a diversidade com foco total no cliente. Faz parte da liderança transformadora dar prioridade a diversidade e inclusão", diz Paula em entrevista com a Glamour.

 

Ela afirma que o mercado tecnológico não chega a ser hostil com as mulheres, mas há uma diferença significativa no número de homens e mulheres no ramo. "Lembro que quando entrei na faculdade éramos apenas seis mulheres, num ambiente de mais ou menos 40 alunos. Tive ótimos exemplos de mulheres no meu curso, mas quando entrei no mercado de trabalho, vi que era uma área predominantemente masculina. Isso é uma característica histórica, as áreas tecnológicas sempre foram vistas como sendo muito masculinas. Desde aquela época, meninas simplesmente eram obrigadas a aceitar como verdade a imagem de que esta não era uma área para elas, sem de fato conhecer para ver se elas teriam ou não interesse e se seriam ou não boas profissionais nessas áreas", conta a CEO. Pensando nessa situação, ela criou vários programas voltados para a formação de mulheres na computação, como o "Eu Posso Programar para Meninas", que objetiva atrair e treinar jovens para a área de programação.

 

A diversidade é tema recorrente para a executiva e não para só com a pauta feminina. "Precisamos de uma equipe diversa para gerar mais criatividade e inovação, que irá desenvolver os produtos e serviços que o mercado precisa. E, neste contexto, precisamos ter uma cultura inclusiva para que todos os talentos se sintam motivados a participar e contribuir para a evolução da empresa", comenta ela. Para incentivar a participação de pessoas que sejam diferentes, foi criado um comitê com quatro pilares (Mulheres na Microsoft, Blacks at Microsoft, LGBT e Pessoas com Deficiência), garantindo a diversidade na multinacional.

 

Paula se diz muito feliz pelo trabalho realizado pelo recrutamento de estagiários baseado nos quatro pilares e resultado já é visível: do grupo total, cerca de 50% são mulheres. Outra ação que aumentou a porcentagem feminina na empresa foi uma política que definiu que em cada processo de recrutamento, deve haver pelo menos uma mulher entre os candidatos finalistas. A CEO explica "Isso não garante a contratação, porque escolheremos o melhor profissional para a vaga, mas significa que elas terão uma chance real, serão seriamente consideradas para todas as vagas e os recrutadores precisam ir mais longe na busca por talentos".

Atriz de Mulher-Maravilha não teria ganhado salário menor que ator de Superman; entenda
Foto: Reprodução / O Vício

A polêmica sobre as diferença entre os salários de homens e mulheres nos filmes de Hollywood ganhou força novamente esta semana. Isso aconteceu porque foi noticiado que Gal Gadot – interprete de "Mulher-Maravilha" – teria ganhado salário muito inferior a Henry Cavill, ator que deu vida do "Superman" (lembre aqui). A revolta criou força porque ambos os atores, na época das produções, eram pouco conhecidos. Segundo a atualização da matéria da revista Elle, a informação da discrepância salarial é falsa. “Os relatórios de que Henry Cavill ganhou US$ 14 milhões para o Homem de Aço não foram confirmados”, dizia a publicação. A revista ainda afirmou que “embora a diferença salarial persista em Hollywood, este exemplo não é adequadamente suportado pela informações disponíveis”. Contudo, não há dados oficiais de quanto os atores receberam para fazer os filmes, mas é necessário ponderar que, em geral, os contratos em Hollywood são acrescidos de bônus. Os atores podem receber um valor básico ao qual é somado um percentual relativo à bilheteria.

Maior grafite do mundo feito por uma mulher foi inaugurado no Rio de Janeiro
Foto: Divulgação

Luna Buschinelli, paulista de apenas 19 anos pintou o mural de 2500 m², que fica atrás da Escola Municipal Rivadávia Corrêa no centro do Rio de Janeiro. O grafite se chama "Contos" e é a primeira das 20 obras do projeto Rio Big Walls, da Secretaria Municipal de Cultura, que pretende valorizar os espaços urbanos por meio da arte de rua.

 

Luna trabalhou durante um mês das 8 às 18h para pintar todo o mural. Segundo o site Hypeness, o grafite foi inaugurado no dia 16 de junho e vai ser apresentado ao Guinness Book como o maior grafite do mundo protagonizado por uma mulher. 

 

 “Esse mural representa uma mãe ou professora analfabeta que, mesmo não sabendo escrever ou ler, conta uma história para as crianças como se estivesse lendo. E é tão real, mágico e cheio de detalhes que as crianças realmente acreditam que ela é capaz de ler” disse a artista à Agence Franxe Presse (AFP).

Artista cria esculturas no próprio cabelo e impressiona internautas
Foto: Reprodução / Instagram

A artista africana, da Costa do Marfim, Laetitia KY conquistou a internet quando começou a colocar fotos de esculturas feitas no seu próprio cabelo. Ela descreve em seu Instagram que é uma aficionada por arte e que aspira ser uma design de moda. De acordo com o site da revista Glamour, Laetitia deixou as pessoas impressionadas com a sua arte nos cabelos por sua criatividade e principalmente pelo modo como ela conseguiu moldar os fios da forma como bem entende. As esculturas têm formatos variados, que vão de mãos a bailarinas e árvores.

Para o site A Plus, a artista comentou que os estilos de cabelos das mulheres negras por muito tempo não são vistos como bonitos. “Com o retorno do cabelo natural à comunidade negra, os estilos de cabelo têm se tornado um importante acessório de beleza, um jeito de se afirmar. Por isso, usar esses tipos de cabelo como meio expressão fala com todas as mulheres negras que, por muito tempo, foram levadas a acreditar que o cabelo delas não era bom o suficiente”.

Histórico de Conteúdo