Quarta, 23 de Agosto de 2017 - 00:00

Maior parte das atendidas pela Ronda Maria da Penha são independentes, diz comandante

por Ana Cely Lopes

Maior parte das atendidas pela Ronda Maria da Penha são independentes, diz comandante
Foto: Reprodução / Esplanada Agora

Negras e pardas, religiosas e independentes. Essas são as características da maior parte das mulheres atendidas pela Ronda Maria da Penha, operação que acompanha mulheres que estão sob medida protetiva judicial por violência doméstica. De acordo com a comandante da Ronda na Bahia, major Denice Santiago, de 45 anos, a operação assiste a 36% de mulheres negras autodeclaradas e cerca de 40% de pardas, o que soma mais de 70% do total de atendidas. Quem pensa que as mulheres que sofrem violência doméstica normalmente são dependentes economicamente dos maridos pode estar enganado. "Mais de 70% das mulheres que a gente atende são responsáveis pelo sustento delas mesmas ou da família. São mulheres com vidas equilibradas, que não estão dependentes economicamente dos homens", informou Denice. A religião aparece em mais de 40% dos casos, sendo grande parte das mulheres evangélicas, testemunhas de Jeová ou católicas. "Muitas mulheres que eu atendo já passaram por dogmas e repressão em relação à religião. Como é possível admitir que o homem que ela escolheu para ser seu companheiro é seu maior algoz? Aquele que todo mundo olha na rua e fala que seu casamento é maravilhoso?", explicou a major, ressaltando que muitas pensam que é "ruim com o marido e pior sem ele". Quando se tratam de aspectos políticos e socioeconômicos, Denice aponta que não tem como "fechar" um perfil. "Tenho mulheres na Cidade de Plástico, mas também no Alphaville, Horto Florestal e Loteamento Aquarius. A violência doméstica não é um lugar delimitado e qualquer mulher está susceptível", disse. Há agressores pós-doutores e analfabetos funcionais, assim como as vítimas. "Não é porque o homem usa drogas ou está desempregado, essas coisas são subterfúgios", falou a major, explicando que a na hora de agir não é possível enquadrar os casos. “Não dá para fechar em uma caixinha porque parece que a ação tem que ser em um lugar só", reiterou.

Terça, 22 de Agosto de 2017 - 20:00

Mulher é demitida por menstruar durante trabalho

Mulher é demitida por menstruar durante trabalho
Foto: iStock

Entre os diversos sintomas da menopausa estão listados a fadiga, dores no corpo, alteração de humor e vazamentos menstruais inesperados. Em 2015, Alisha Coleman estava passando pelo período pré-menopausa enquanto trabalhava como atendente de ligações de emergência no instituto Bobby Dodd e estava na empresa há quase uma década quando foi demitida por um ocorrido causado pelos sintomas do período.

 

Em 2015, a americana teve dois vazamentos de sangue enquanto trabalhava devido a fluxos inesperados e intensos, que também são comuns durante a fase. "Nenhuma mulher gosta de passar pelos transtornos da menstruação quando não está preparada, mas nunca achei que pudesse ser demitida por isso”, disse ela ao site Popsugar. Quando o primeiro vazamento aconteceu, Alisha recebeu um aviso prévio. A empresa disse que "ela seria demitida se sujasse outra cadeira". Após o segundo fluxo inesperado, a americana foi mandada embora.

 

“Ser demitida por um vazamento de menstruação acidental foi humilhante. Não quero que outra mulher passe por essa situação, então vou combater isso”, afirmou ela. Alisha está processando a empresa pela segunda vez e agora conta com a ajuda da ONG American Civil Liberties Union (Ucla). A diretora executiva da ONG disse que sua cliente foi humilhada e rebaixada por uma função corporal fora de seu controle.

 

De acordo com o site Metrópoles, ao fim do primeiro processo, o juiz sentenciou que "a pré-menopausa não é uma condição protegida na lei contra discriminação”. A defesa de Alihsa, entretanto, recorreu contra essa decisão. “Empregadores não têm que policiar corpos femininos ou seus ciclos menstruais", declarou Andrea. "Demitir uma mulher por isso insulta todas as mulheres que trabalham”, finaliza ela.

Terça, 22 de Agosto de 2017 - 17:00

Vendedora de pães se torna modelo após aparecer por acaso em foto de rapper britânico

por Estadão Conteúdo

Vendedora de pães se torna modelo após aparecer por acaso em foto de rapper britânico
Foto: Reprodução / Instagram

Em um ano, a vida da nigeriana Olajumoke Orisaguna se transformou completamente. Ela vendia pães pelas ruas de Lagos, capital do seu país natal, para dar de comer para os seus filhos, lucrando apenas cerca de 10 centavos por pão vendido.

 

Tudo mudou quando Olajumoke saiu na foto do rapper britânico Tinie Tempah. O cantor estava gravando um shooting pela cidade e a vendedora estava apenas passando quando foi clicada. A fotógrafa Ty Bello ficou encantada com a expressão da mulher e postou em seu perfil do Instagram que ela deveria se tornar uma modelo: "Eu ficarei feliz em ajudá-la a criar um portfólio, se ela estiver interessada", disse na publicação.

 

No mês seguinte, Olajumoke se tornou capa da revista nigeriana This Day Style. Em entrevista à BBC, a modelo conta sobre como foi a transição de seu modo de vida: "No início, foi difícil para mim, mas as pessoas me ensinavam como posar para fotos, me maquiar, me vestir. Agora estou acostumada com isso". Em seu perfil do Instagram, ela se define como a Cinderela moderna, e já possui 248 mil seguidores.

Terça, 22 de Agosto de 2017 - 14:00

Puberdade precoce é uma disfunção que deve ser tratada

Puberdade precoce é uma disfunção que deve ser tratada
Foto: Thinkstock

A puberdade é comandada pelo eixo hormonal hipotálamo-hipófise-gônada, quando este eixo é ativado antes da idade habitual, ocorre a puberdade precoce, que pode ser central, ocasionada por alterações no sistema nervoso central, muito mais frequente, ou periférica, que é mais rara e tem origem em outras partes do corpo, como tumores nos ovários ou testículos, problemas das glândulas adrenais e outros.

 

São diversas as possíveis causas da puberdade precoce, dentre elas estão as de origem familiar, idiopática (sem causa aparente) ou orgânica, como tumores e meningite, por exemplo. É importante ressaltar que, apesar dos pais poderem carregar o gene para puberdade precoce, ela não é hereditária. As meninas, por exemplo, tendem a menstruar pela primeira vez próximo à idade da primeira menstruação da mãe, mas isso também não é uma regra. Nos meninos o problema é menos comum, mas suas causas podem indicar problemas mais sérios no sistema nervoso central ou nos testículos ou nas glândulas suprarrenais.

 

“As crianças que apresentam desenvolvimento dos caracteres sexuais precocemente devem ser examinadas e em muitos casos, precisam ser tratadas" alerta Luis Eduardo Caliari, Professor Assistente da Faculdade de Ciências Médicas e Médico-Assistente do Departamento de Pediatria da Santa Casa de São Paulo. "O principal objetivo do tratamento é impedir que a criança chegue à puberdade antes do tempo desejado e possa, assim, manter seu desenvolvimento cronológico compatível com a idade óssea. As crianças mais desenvolvidas do que colegas da mesma idade podem desenvolver problemas de ordem psicológica e social, como depressão e discriminação. O diagnóstico e o tratamento precoces impedem o desenvolvimento, e previnem estas consequências indesejáveis”, finaliza ele.

 

Aparecimento de mamas e/ou de pelos pubianos em meninas com menos de 8 anos de idade e/ou menstruação antes dos 9 anos de idade, aumento do pênis e/ou dos testículos e/ou aparecimento de pelos pubianos em  meninos com menos de 9 anos podem ser sinais de puberdade precoce. O período considerado “normal” é de 8 a 13 anos para meninas e de 9 a 14 anos para meninos.

 

Se não diagnosticada e tratada, esta alteração pode ter impacto psicológico e social na criança, além de afetar seu desenvolvimento. No início, essas crianças são, em geral, mais altas que seus amigos ou familiares da mesma idade. Essa aceleração do desenvolvimento ósseo na criança, antes do tempo considerado normal, pode resultar em baixa estatura na vida adulta. O problema pode ocorrer também pela administração de hormônios de forma indevida, seja via oral (com medicamentos ou suplementos) ou cutânea (alguns cremes ou pomadas com estrógeno na composição).

 

Além das situações sem causas aparentes, também há maior risco de a criança desenvolver puberdade precoce se a criança está com o peso muito acima do que é recomendado para a sua idade e altura, se foi exposta aos hormônios sexuais (estrogênio e testosterona) antes do tempo, por meio do uso de cremes, pomadas ou suplementos para adultos que contenham estes hormônios, se tiver outras condições médicas, como Síndrome de McCune-Albright, hiperplasia adrenal congênita e, em casos raros, hipotireoidismo ou se tiver recebido tratamento com radiação no sistema nervoso central, como os utilizados para tratar tumores, leucemia, entre outros.

 

Diagnóstico: é realizado por um conjunto de informações, a partir do histórico clínico da criança, exame físico e testes complementares, como dosagem hormonal e exames de imagem como raio X de punho para avaliação da idade óssea e sua comparação com a idade cronológica.  Os médicos especializados são os pediatras e endocrinologistas pediátricos.

 

Tratamento: O tratamento da puberdade precoce depende de sua causa. Visa a regressão ou estabilização dos caracteres sexuais secundários e retorno do ritmo de crescimento da criança aos padrões considerados normais. Além disso, tem como objetivo também promover um ajuste psicossocial na criança, bem como alívio da ansiedade dos pais.  Com o monitoramento constante e tratamento adequados, a criança pode voltar a ter um crescimento e desenvolvimento compatíveis com sua idade cronológica.

Consumo de nozes pode reduzir riscos de desenvolver obesidade e diabetes
Foto: Reprodução / Saúde Dica

Ricas em ômega-3 e outras substâncias, se consumidas regularmente, as nozes podem reduzir os riscos de desenvolver obesidade e diabetes. O alimento, que é considerado uma ferramenta eficiente para a perda de peso, também é capaz de reduzir o apetite. A descoberta foi feita por cientistas do Centro Médico Beth Israel Deaconess, nos Estados Unidos. Segundo informações da Veja, eles avaliaram a forma como nove pacientes obesos reagiam a uma dieta com fruto. Para a análise, os participantes foram divididos em dois grupos. Enquanto uns tomaram uma vitamina com 48 gramas de nozes, o equivalente a cerca de sete nozes inteiras, outros tomaram placebo com o mesmo sabor e conteúdo calórico.

Diante disso, os resultados apontaram que quando os participantes observavam fotos de alimentos gordurosos, a atividade da ínsula, região de cérebro que controla o apetite e os impulsos, era maior naqueles que consumiram a bebida com nozes. "Elas podem alterar a forma como vemos a comida e impactar nosso apetite", explicou Olivia Farr, principal autora da pesquisa, ao The New York Times. A conclusão confirma a opinião dos especialistas que costumam recomendar o consumo de nozes como parte de uma dieta saudável.

Disney lança campanha para inspirar garotas a buscarem ser mais do que princesas
Fotos: Reprodução / Kate T. Parker

Em 2016, a Disney lançou uma campanha global chamada #DreamBigPrincess. No site da campanha foram adicionadas novas fotos de 19 fotógrafas, a fim de "criar uma série de imagens empoderadas mostrando mulheres e meninas da vida real”. A empresa também pede a interação do público, pedindo para os internautas compartilharem suas fotos com a mesma hashtag. De acordo com o site da revista Cosmopolitan, a partir dessa semana até o dia 11 de outubro, a Disney doará até 1 milhão de dólares para a fundação Girl UP da ONU por cada curtida e compartilhamento que as fotos com a hashtag tiverem. O objetivo é ensinar as crianças a sonhar e ser muito mais do que uma princesa da Disney.

 

Tijolinhos de solidariedade, uma iniciativa para estimular o voluntariado entre os jovens

A Rede Amigas de Dulce promoveu, durante as primeiras semanas de agosto, o engajamento social com estudantes do ensino médio e fundamental das escolas de Salvador. A iniciativa, consistiu em incentivar a solidariedade com o objetivo de desenvolver a cultura do voluntariado entre os jovens por meio do envolvimento deles com a venda simbólica de “tijolinhos” pelo valor de dez reais.

 

O apoio das escolas consistiu em arrecadar fundos que serão revertidos para reforma e aquisição de equipamentos da Unidade Dona Dulce, espaço que será voltado para o atendimento de pacientes oncológicos já assistidos pela OSID.  “ A intenção foi envolver das diversas instituições de ensino para mostrar aos estudantes e as suas famílias a importância do legado de Irmã Dulce e de tudo o que tem sido feito por meio da OSID”, explicou Maria Rita, superintendente da OSID.

 

De acordo com as coordenadoras desta ação, as voluntárias Clara Martins e Alana Gonzales, no total 18 escolas aderiram a campanha: Sacramentinas, Módulo Criarte, Nossa Infância, Antônio Vieira, Pequenópolis, Kimimo, Apoio-Villas do Atlântico, Anchieta, Tempo de Criança, Dorilândia, Módulo, São Paulo, Sartre Coc, Anchietinha, Colégio São José, Salesiano, Experimental e Nossa Senhora do Salete.

“Buscando a parceria com as escolas nosso objetivo foi despertar a cultura do voluntariado e aproximar os jovens da OSID, mostrando a importância dos serviços prestados pelas Obras para os mais carentes e a necessidade de todos ajudarem a perpetuar os trabalhos de Irmã Dulce. O restante do valor necessário, no entanto, será arrecadado por meio de doações voluntárias de pessoas físicas e jurídicas”, explicou Rosemma Maluf, Coordenadora Geral da Rede Amigas de Dulce.

 

Conheça mais:

Rede Amigas de Dulce – Grupo de mulheres que atuam voluntariamente para mobilizar, articular parcerias e captar recursos, por meio de projetos e ações colaborativistas. O objetivo central é garantir a continuidade do legado de Irmã Dulce, viabilizando fundos para o atendimento gratuito aos mais necessitados.

 

OSID em números – Com 58 anos de fundação, as Obras Sociais Irmã Dulce abrigam atualmente um dos maiores complexos de saúde com atendimento 100% gratuito do Brasil, com quase 4,5 milhões de atendimentos ambulatoriais por ano a usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), incluindo idosos, pessoas com deficiência e com deformidades craniofaciais, crianças e adolescentes em situação de risco social, dependentes de substâncias psicoativas e pessoas em situação de rua. Somente em Salvador, são 954 leitos hospitalares e cerca de 2 mil pessoas atendidas diariamente na sede da OSID. A entidade também responde anualmente pela realização de 10 mil cirurgias e 16,5 mil internamentos, além de 1,3 milhão de refeições servidas a seus pacientes. Mais de 4 mil profissionais trabalham na instituição filantrópica, sendo mais de 2 mil funcionários somente no complexo da capital baiana, local onde atuam ainda 320 médicos e 125 voluntários.

Segunda, 21 de Agosto de 2017 - 20:00

Tratamento ideal para cada necessidade do cabelo

Tratamento ideal para cada necessidade do cabelo
Foto: PeopleImages / Getty Images

Hoje em dia há tratamentos diferentes para os mais variados tipos de cabelo, sendo capazaes de dar nova vida aos fios, resgatando o brilho, a cor, o movimento e a maciez. As ginecologistas Natalia Cymrot e Valéria Campos, de São Paulo, explicaram ao site da revista Cláudia algumas técnicas posíveis para tratar e recuperar o cabelo.

 

Nutrição: também conhecida como umectação, ela ajuda a repor os lipídios. Seu principal objetivo é devolver a gordura e a oleosidade dos fios, mantendo-os saudáveis e alinhados. É recomendado para fios que necessitam recuperar a vitalidade e força ou para cabelos longos e médios, como prevenção.

 

Reconstrução: essa técnica é indicada para cabelos ressecados, quebrados, danificados ou que sofreram processos químicos (progressivas, alisamentos, tinturas, etc). A reconstrução devolve a massa, a proteína e os aminoácidos que podem ser perdidos naturalmente ou depois da química.

 

Hidratação: serve para repor a água e os nutrientes perdidos pelas fibras capilares devido a agressões, entre as quais sol e vento, e uso de equipamentos quentes como secadores e chapinhas.

 

Reparação: após passarem por químicas ou sofrerem danos extremos ao sol, poeira, vento e poluição, os cabelos têm a porosidade afetada e acabam ficando quebradiços. A reparação serve para restaurar e devolver as propriedades naturais do cabelo.

 

Antifrizz: o frizz é um indicativo de que o cabelo não está bem, o procedimento, portanto, recupera o brilho e a elasticidade, eliminando o frizz, que acontece quando os fios, geralmente secos, ficam fora do lugar quando em contato com umidade do ar mais elevada. O frizz também pode acontecer por conta da quebra e queda dos fios, provovadas pelo uso frequente de secador, chapinha, tintura e até estresse.

 

Modelagem: o objetivo é deixar os cabelos, especialmente os cacheados, com um visual mais bonito, com aparência natural durante o dia, personalizado de acordo com o gosto pessoal.

Segunda, 21 de Agosto de 2017 - 17:00

Irmãs gêmeas viram ícones de moda da favela brasileira

Irmãs gêmeas viram ícones de moda da favela brasileira
Fotos: Reprodução / Instagram

As irmãs gêmeas Tasha e Tracie Okereke, tem 22 anos e são negras e moradoras da favela no Jardim Peri, em São Paulo. As duas tem em comum a paixão pela moda e juntas criaram, em 2014, o blog Expaensive $hit, além de outros projetos focados em proporcionar a autoestima a mulheres negras por meio de cultura, música e moda. Apesar de um passado marcado por complexos a respeito de relacionamentos e cabelo afro, o gosto pela moda, principalmente moda africana, já estava presente em suas vidas, seja por causa da influência que veio do pai nigeriano, ou pela inspiração em cantores como Tupac, Snoop Dog e Diana Ross.

 

Tudo começou quando elas ganharam uma blusa e deixaram a peça mais parecida com elas. Com a tesoura, transformaram-na em uma cropped. A partir daí elas passaram a garimpar roupas em brechós a um ou dois reais e colocavam nelas suas identidades, cortando-as ou fazendo intervenções com canetas, para conseguir uma "estampa". Customizando roupas desde então, hoje a dupla se considera It-Favela. De acordo com o site da revista Estilo, a proposta do blog sempre foi "mostrar que é possível se vestir escandalosamente bem com MUITO pouco (muito mesmo)!”, dizem elas. A ideia conquistou jovens de periferia, que encontraram ali editoriais de moda lindos e sem custar mais de 20 reais.

Esse ano, a dupla fez o primeiro desfile próprio, junto com o coletivo Mulheres Pretas Independentes da Favela (Mpif). No evento, apenas mulheres negras da favela poderiam desfilar, em oposição à “higienização” da indústria que prefere “pintar de preto uma pessoa branca”. As irmãs também seguem fazendo festas e tem o intuito de lançar à periferia cursos profissionalizantes e aulas de história. O sonho delas é lançar uma marca própria. “Que o dinheiro do preto volte para o preto e todo mundo enriqueça, é uma ambição bem grande”, declaram.

Segunda, 21 de Agosto de 2017 - 15:20

Sem doses a vencer em setembro, Salvador não vai ampliar público de vacina contra HPV

por Ailma Teixeira

Sem doses a vencer em setembro, Salvador não vai ampliar público de vacina contra HPV
Foto: Renan Viana / Ascom Uepa / Fotos Públicas

Como não possui vacinas com vencimento até setembro, Salvador não vai ampliar a faixa etária para vacinação contra HPV pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A medida, orientada pelo Ministério da Saúde na última quinta (17), alcança agora homens e mulheres entre 15 e 26 anos nos municípios com estoque para esse prazo (veja aqui). Segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a capital baiana não conta com vacinas prestes a vencer ainda no segundo semestre deste ano, sendo dispensável a participação na campanha do governo federal.

Doces para substituir o bem casado nas lembranças de casamento
Fotos: Reprodução / Pinterest

Bem casados já não são a única opção de lembrancinha para oferecer aos convidados nos casamentos. O número de casais que está abandonando a tradição do docinho para adotar diferentes mimos que serão entregues depois da festa está crescendo cada vez mais. De acordo com o site da revista Cláudia, o fim da hegemonia do bem casado está acontecendo, em partes, por causa do preconceito que muitos têm pelo doce, que quando mal executado fica com cheiro ou gosto de ovo. A proposta agora é fugir da escolha comum e escolher doces que retratem um pouco mais da personalidade dos noivos.

 

Brownie: embalado individualmente, os brownies podem conter pedaços de damasco, nozes, pistache ou coco queimado.

Macaron: o docinho francês conquistou seu espaço nos casamentos brasileiros. Não precisa nem ser servido apenas na mesa de bolo, eles podem ser embalados individualmente ou oferecidos em caixinhas.

Verrine: é um bolo servido dentro de um pote com as suas camadas aparentes e recheio generoso. Tem uma aparência apetitosa, sabores marcantes e são práticos. Para garantir o sucesso da lembrança, o material deve ser de qualidade, bonito e bem vedado para que o doce fique conservado.

Balas de coco: antes, eles eram exclusividade das festas infantis, mas em versão gourmet, eles ganham novas opções de recheio e podem ser servidos como lembranças nos casamentos.

Usar cinta depois da gravidez divide opinião entre especialistas
Foto: Reprodução / Instagram

Thais Fersouza, depois de emendar uma gravidez na outra, contou que precisou recorrer ao uso de cinta para conseguir diminuir a barriga e voltar à forma antiga. Segundo ela, o barrigão da segunda gravidez foi causado pelo curto intervalo após o nascimento da sua primeira filha, Melinda. Pouco menos de um mês depois de dar à luz Teodoro, a atriz falou no Instagram sobre o uso do acessório. "Superdica para as mamães que acabaram de ter neném, como eu, e querem ficar com o shape bem direitinho e voltar à forma antiga", diz ela ao mostrar a cinta que usa. "O fecho é de colchete, fica mais apertadinha para ajudar a cintura a voltar para o lugar", explicou.

 

De acordo com o site M de Mulher, o uso da cinta depois do parto é polêmico. Alguns médicos alertam que o acessório não deve ser associado a uma questão de estética, como uma solução para diminuir a barriga e remodelar a cintura. A ginecologista e obstetra Elizabeth Nasser, membro da Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo, diz que a cinta não tem como objetivo recuperar a forma da mulher, mas ajudar a dar firmeza na postura após o parto, dando maior segurança aos movimentos. A médica também acrescenta que a peça é recomendada tanto após um parto normal quanto um parto cesárea. A diferença é que mulheres que já passaram por uma cesariana devem esperar até a retirada do curativo do corte para colocar a cinta, e no caso do parto normal, ela pode ser usada logo após o nascimento.

 

Outros profissionais, entretanto, criticam a cinta e contestam os verdadeiros benefícios da peça para o bem-estar da mulher. A fisioterapeuta Julianna Bambicini diz que, ao invés de ajudar, o acessório na verdade atrapalha a recuperação dos músculos abdominais por conta da compressão excessiva durante todos os movimentos. Bambicini é especialista em obstetrícia e diz que os efeitos negativos da cinta são sentidos a longo prazo, ao deixar os músculos mais fracos e flácidos, podendo acarretar em alterações posturais, dores lombares e desconfortos ocasionados pela fraqueza abdominal.

 

Em caso de dúvidas, o melhor a fazer é pedir orientação de um médico ou especialista sobre a necessidade do uso da cinta após o parto. Se decidir usar, a mulher precisa ter em mente que a cintura nunca deve ficar apertada ou causar dores.

Segunda, 21 de Agosto de 2017 - 08:05

Customização de roupas por moda mais consciente, uma alternativa para economizar

por Clara Gibson

Customização de roupas por moda mais consciente, uma alternativa para economizar
Foto: Divulgação

Com a constante renovação das coleções, estar na moda se torna um verdadeiro objetivo de vida para muitas pessoas. Prova disso é que, de acordo com levantamento do Sebrae, divulgado em 2014, 36% dos brasileiros compram novas peças ou acessórios a cada dois meses. Mas com a crise financeira que o país está vivendo, essa realidade está mudando e segundo dados do Google, o número de pesquisas por roupas usadas e consertos cresceu respectivamente 97% e 145%. 

 

De uns anos para cá, a transformação e a customização de peças vêm ganhando espaço no guarda-roupa dos brasileiros. Além de ser uma alternativa mais barata, elas permitem que uma roupa seja exclusiva e, assim, que a pessoa mantenha a própria identidade. “Se adaptar à constante mudança da moda é uma tarefa bastante difícil, além de não ser nada barata”, comenta Paulo Alexandre, CEO da Arranjos Express, empresa que oferece serviços de adaptação de roupas.

 

De acordo com Milena Araújo, designer de moda e especialista em customização de roupas, as pessoas procuram muito ela em seu ateliê para transformar principalmente peças jeans e também t-shirts. Segundo ela, as peças podem ser alteradas com apliques de pedrarias, tecidos, rendas e outras opções. A profissional acredita que o mercado de customização está em expansão. “Tem gente que só trabalha com tênis, ou só com jeans, ou só com camiseta, só bolsa, as pessoas estão procurando profissionais cada vez mais especializados”, explica ela.

 

Esse tipo de serviço pode ser considerado parte do slow fashion, conceito que busca combater o consumo desenfreado proposto pela indústria da moda – ele está alinhado à sustentabilidade e propõe o consumo apenas de marcas que incorporem o cuidado ao meio ambiente, a responsabilidade social e o estímulo à compra consciente. “Cada vez mais, as pessoas não querem consumir mais, mas sim, consumir melhor e dar vida nova ao que já têm”, finaliza Paulo. Milena também ressaltou a importância ecológica dessa alternativa: “A customização vai muito além de só reaproveitar uma peça. A gente está falando de um reaproveitamento, mas ele se relaciona também com a ecologia, essa atitude contribui para a diminuição dos resíduos e quanto mais você reutiliza uma peça, mais você tá contribuindo para o meio ambiente”, acrescentou Milena. 

Taylor Swift faz doação para fundação que ajuda vítimas de abusos sexuais
Foto: Kevin Winter / Getty Images

Taylor Swift disse que faria doações para ajudar vítimas de abusos sexuais e cumpriu a promessa. A fundação escolhida foi a Joyful Heart, comandada pela atriz Mariska Hargitay, que também é sua amiga pessoal.

 

De acordo com o site M de Mulher, o compromisso foi firmado depois dela ter vencido o processo contra o apresentador de rádio e dj David Mueller, que em 2013 colocou a mão por baixo da saia da cantora e apertou a bunda dela. David foi demitido da rádio na rádio que trabalhava e processou Taylor por ter prejudicado a vida profissional dele. Ela então decidiu processá-lo por assédio sexual, pedindo um dólar como indenização.

 

O valor da doação não foi revelado, mas de acordo com Maile Zambuto, CEO da organização, Taylor fez "um investimento extremamente generoso". "Espero que a experiência pública de Taylor – e sua decisão de falar – não só ajudem a capacitar outras vítimas para denunciar e agir, mas que também as ofereça solidariedade”, falou Mariska ao Huffington Post.

Monalysa Alcântara, Miss Piauí, desbanca 26 candidatas e vence concurso nacional
Foto: BE Emotion / Facebook

A Miss Monalysa Alcântara, candidata do estado do Piauí, venceu o concurso Miss Brasil 2017, na noite deste sábado (19), no Teatro Vermelhos, em Ilhabela, São Paulo. A eleita é negra, estudante de administração e tem 18 anos. Ao todo, 27 candidatas disputaram o concurso que no ano passado teve Raissa Santana, do Paraná, como vencedora. Na colocação, a modelo Juliana Mueller, de 25 anos, representante do Rio Grande do Sul ficou em segundo lugar e a estudante de engenharia de produção Stephany Pim, 23 anos, do Espírito Santo, conquistou o terceiro lugar.

Movimento que restringe acesso de crianças a hotéis e restaurantes gera polêmica
Foto: Arquivo Pessoal / Debora Oliveira

Miguel Figueiredo tem seis anos e já foi pajem de cinco casamentos, mas, no ano passado, foi proibido de ir a uma festa. A restrição foi exigência da noiva, que não desejava que nada atrapalhasse o divertimento dos adultos convidados na comemoração. "Quando ela entregou o convite, disse: 'não quero criança no meu casamento'. Achei surreal. Se eu fosse com meu filho, quem deixaria de curtir a festa seria eu, não ela", contou Roberta Figueiredo, mãe do garoto. "As pessoas que não têm tanta afinidade com criança tendem a enxergá-las como uma forma de incômodo. Mas as crianças são parte da sociedade, isso é um pouco de intolerância", completa ela, que acabou deixando o filho em casa.

 

De acordo com o site do jornal O Globo, relatos de situações semelhantes circulam frequentemente nas redes sociais, com depoimentos de famílias que se sentem excluídas por não conseguirem levar seus filhos para certos estabelecimentos ou eventos. Recentemente, surgiu o movimento "Child Free" ("livre de criança") para apoiar aqueles que não desejavam ter filhos e se sentiam alijados por esse motivo, mas em pouco tempo o movimento adquiriu outras proporções e passou a incluir pessoas que não gostam de crianças. O debate sobre a restrição de acesso dos pequenos a restaurantes, pousadas e albergues, dentre outros locais, ganhou fôlego com uma publicação feita por Debora Oliveira no Facebook, no início do mês de agosto, questionando a foto de uma placa no restaurante Underblog, em São Paulo, na qual era possível ler "Aqui seu cão é bem-vindo!!! Mas crianças favor amarrá-las ao poste". Mãe de dois filhos, ela comentou no Instagram do estabelecimento pedindo explicações e foi respondida com hostilidade. Depois do acontecimento, criticou a postura do estabelecimento em sua rede social e teve mais de 1.200 compartilhamentos. O restaurante argumentou que as placas eram brincadeira, e em diversas publicações, ofendeu os que criticavam a placa: "Ativistas, feministas, machistas, mãesistas, ‘istas em geral’ e salvadores da pátria (por internet) [...] preguem menos e façam mais amor em casa, que pelo visto está escasso". Debora defende que acha normal um estabelecimento não se sinta preparado para receber crianças, "o que não acho normal é comunicarem isso como se a criança fosse um animal. A questão mais profunda disso tudo é a desvalorização da infância", completa.

 

 

Uma publicação compartilhada por @underdogbar em

A questão divide opiniões e de um lado, os familiares clamam por mais empatia e argumentam que a restrição aos filhos, em uma sociedade machista pode fazer com que as mães evitem circular nos espaços. Do outro lado, algumas pessoas ponderam que o comportamento das crianças e a omissão dos seus pais com as suas condutas acabam sendo um estorvo. Alguns usuários chegam também a relatar que muitas vezes escolhem a mesa do restaurante levando em consideração a ausência de crianças por perto.

 

Entre os especialistas, a opinião também é dividida. Não é ilegal restringir o acesso de acordo com a faixa etária, mas existem argumentos que uma prática assim possa ser convertida em um ato discriminatório, atentando as liberdades individuais asseguradas pela Constituição.

 

Silvana Moreira, presidente da Comissão dos Direitos da Criança e do Adolescente da OAB-RJ, pontua que os pais devem garantir o bem-estar das crianças e evitar lugares onde elas não são bem-vindas. De acordo com ela, a situação de proibir as crianças em certos espaços não tira a liberdade dela de ser criança. "Não vejo essa restrição como ilegalidade. É uma utilização dentro da sua entidade particular do mesmo jeito que há estabelecimentos que não admitem menores de 18 anos, de 16 e de 12. A questão está no livre arbítrio de quem oferece o serviço", comenta.

 

Já para a advogada do Instituto Alana, Isabella Henriques, a restrição é discriminatória e evidencia uma questão ética grave: "As garantias fundamentais dadas pela Constituição comportam restrições em alguns casos, mas um restaurante que abre as portas na hora do almoço e por simples conveniência não permite a entrada de criança faz uma escolha", comenta ela. "É como não querer idosos ali, porque são muito velhos. Se fosse assim, locais começariam a criar restrições para pessoas com deficiência, negros. Que sociedade é essa que quer colocar as crianças embaixo do tapete, porque não consegue aguentar um choro?", questiona a advogada.

Cronograma de beleza ideal para as noivas deve começar com seis meses de antecedência
Foto: Tekomolika / iStock

As noivas que estão planejando casamento e organizando os compromissos pendentes deve se lembrar de colocar na agenda os tratamentos de beleza e transformações estéticas que deseja fazer. Veja o cronograma ideal, de acordo com o site iCasei, para programar a rotina de beleza antes do casamento:

 

Seis meses antes: uma mudança drástica no visual, como cortes ou colorações mais ousadas, devem ser experimentados pelo menos com seis meses de antecedência. "Se a noiva desejar cortar as madeixas ou trocar completamente a tonalidade dos cabelos, precisa fazer isso com tempo suficiente para se acostumar com o novo visual e poder voltar atrás, caso se arrependa", diz a hair stylist Nadja Vasconcelos.

 

Cinco meses antes: nessa hora, é tempo de investis nos tratamentos mais invasivos para cuidar da pele, como peelings faciais para suavizar cicatrizes, manchas e sinais. Também deve ser procurado um designer de sobrancelhas, pois além de fazer a adaptação às novidades, remediando também qualquer excesso na depilação, pois esses são pelos que demoram mais para crescer.

 

Três meses antes: é bom começar a investir nos programas de tratamento faciais, de corpo e cabelo, que deseja fazer. Bronzeamentos, alongamentos e massagens lipomodeladoras devem começar a ser realizadas.

 

Um mês antes: nessa época, é bom começar os procedimentos padrão de beleza. Limpeza de pele e drenagem linfática, por exemplo, devem ser feitos com um mês de antecedência.

Modelo com vitiligo compartilha foto nas redes sociais incentivando o amor próprio
Foto: Reprodução / Instagram

Winnie Harlow, modelo reconhecida internacionalmente pelo talento e beleza única, foi descoberta em 2014 pelo reality show America's Nest Top Model e desde então vem quebrando paradigmas no mundo da moda. A canadense estrela campanhas para grifes renomadas e possui em seu rosto, tronco e membros marcas de vitiligo, doença caracterizada pela perda da pigmentação em diversas partes do corpo.

 

Por causa da sua doença, a modelo alea que já foi vítima de discriminação, mesmo com todo o reconhecimento profissional. Mas os comentários preconceituosos não atingem a modelo, que ama ser quem ela é e inspira diariamente seus seguidores nas mídias sociais. De acordo com o site Vix, a modelo costuma compartilhar fotos valorizando sua beleza única, servindo de inspiração para muita gente que sofre preconceito, não só relacionado ao vitiligo, mas também causas como aparência física e diversidade de gênero.

 

Ela compartilhou recentemente uma foto vestindo apenas uma calcinha, mostrando suas marcas e evidenciando o quanto se acha linda. Na legenda, ela diz: “A diferença real não é a minha pele. É o fato de eu não encontrar minha beleza nas opiniões dos outros. Sou linda porque sei disso. Comemore sua beleza única hoje (e todos os dias)!”. E completa o texto questionando o que é realmente belo.

 

Mindfulness tem o mesmo efeito de antidepressivos, segundo pesquisa
Foto: ThinkStock

Respirar é uma ação automática, natural e instintiva. Ao prestar atenção nela, problemas diversos como estresse, ansiedade, quadros depressivos, falta de concentração e de atenção podem ser solucionados. De acordo com um estudo publicado na revista científica britânica Lancet, que comparou os resultados obtidos por remédios antidepressivos e terapias baseadas em mindfulness, chegou à conclusão que os dois resultados foram muito parecidos, o que significa que os exercícios podem ser uma alternativa ao uso de medicamentos.

 

De acordo com o site da revista Cláudia, o mindfulness pode ser traduzido como atenção ou consciência plena. A técnica é baseada no princípio que estamos aqui e agora, onde e quando quer que isso signifique. O conceito vem para concentrar ação e pensamento, lembrando de olhar com generosidade e consciência de cada uma das nossas sensações, devaneios e atitudes.

 

Entre os benefícios, um deles fazer com que a pessoa se torne mais real e inteira, que também vêm da ativação da consciência plenamente.  O método também ajuda as pessoas a se tornarem mais calmas, seguras e serenas, melhorando as relações profissionais, amorosas, familiares e consigo mesmas. As práticas do mindfulness nasceram a partir da meditação budista e está ganhando cada vez mais adeptos por todo o mundo.

Sábado, 19 de Agosto de 2017 - 08:05

E se a moda deixasse de trazer algo novo para reciclar modismos antigos?

por Estela Marques

E se a moda deixasse de trazer algo novo para reciclar modismos antigos?
Foto: Divulgação

Faz um tempo que me questiono quando algo inovador e inusitado será lançado à moda. É porque tenho a impressão que não há mais pra onde ir. A fonte da criatividade foi esgotada. Todos os recortes, comprimentos, estampas e cores já foram utilizados. A impressão que eu tenho é que tudo o que se lança hoje é tipo um remake de novela: contextualiza com a realidade, mas as personagens são as mesmas. Ou seja: muda pouca coisa.

Daí que eu nunca tive coragem de expor esse raciocínio publicamente porque, afinal, isso só reflete o quanto minha mente é limitada e o quanto eu certamente preciso de um estímulo para pensar fora da caixa, ter um insight criativo, ou até mesmo deveria parar de pensar sobre esse tipo de coisa. Afinal, é moda estar na moda e reverenciar tendências e tudo mais.

Até que Lars Svendsen disse algo que me chamou a atenção em 'Moda - Uma Filosofia'. Ele fala que dos anos 1960 pra cá, a moda se tornou uma reciclagem de estilos passados, não mais trouxe algo novo, cujo único objetivo era substituir o que era considerado velho. Olha só, minhas elucubrações que antes considerava serem aleatórias e solitárias encontraram um quê de fundamento.

Falamos constantemente que a moda é cíclica - e há relatos de que desde o século XV estilos anteriores eram repetidos ao longo dos ciclos da moda - e pouco refletimos sobre o que isso quer dizer. Mas é uma realidade. Olha aí o veludo molhado de volta?! Notam que as referências aos anos 1980 vieram com tudo neste ano, predominando no outono/inverno? E a calça que hoje chamamos de MOM'S Jeans, mas que há anos atrás era só Bag mesmo?!

De tudo isso, por outro lado, temos que tirar algo de positivo. Reciclar a moda (e aqui uso o mesmo termo que Svendsen) pode ser uma alternativa para tornar o consumo um pouco mais sustentável. Afinal de contas, se temos uma peça que esteve no seu auge em um determinado momento e posteriormente ela volta à moda, não haveria por que comprarmos mais daquilo ali. Talvez com isso a indústria se fragilizasse, haja vista a redução da demanda. Não sei.

Ainda que não tenhamos respostas que digam com certeza o que esperar de algo tão caro à vida em sociedade, vale a reflexão. Será que a moda perdeu seu papel? Será que é tempo de ressignificarmos a moda, sua influência e seu potencial criativo? Que uso devemos fazer desse artifício que diz tanto sobre quem somos?

 


 

Estela Marques é jornalista, repórter de política e autora do blog Moça Criada. Defende que as mulheres vistam e calcem itens que as deixem confortáveis, independentemente dos padrões. Acompanhe seu trabalho em www.mocacriada.com.br.

Sexta, 18 de Agosto de 2017 - 20:00

São Paulo terá menores da América Latina, com 10m²

São Paulo terá menores da América Latina, com 10m²
Foto: Divulgação

São Paulo vai receber o apartamento mais compacto da América Latina, com apenas 10m². A menos planta do condomínio Palmeiras-Nova Higienópolis, da construtora Vitacon, estará localizado na rua das Palmeiras, próximo ao centro da cidade. O espaço planejado comportará um sofá-cama, televisão, guarda-roupa, bancada para cooktop, pia e mesa embutida. De acordo com o site da revista Casa e Jardim, o empreendimento contará com 111 unidades, sendo 72 com 10m², 14 com 15m², duas com 19m², 22 com 77m² e uma com 77m². Os preços partem da quantia de R$99 mil, equivalendo a quase R$10 mil por metro quadrado.

 

Desembargador se recusa a ouvir advogada por causa da roupa que ela estava usando
Foto: Arquivo Pessoal

Um desembargador do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 18ª região, em Goiânia, se recusou a ouvir a sustentação oral de uma advogada pois considerou que a roupa dela não se enquadrava ao decoro que o local exige. Em um vídeo gravado durante a sessão, o desembargador Eugênio Cesário diz que a advogada "tem que estar à altura na forma e na aparência com o exercício dessa atividade". A controvérsia ocorreu na quarta-feira (16) e terminou quando um advogado emprestou seu terno para a profissional, que estava com um vestido com os ombros à mostra.

 

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), emitiu um comunicado repudiando a atitude do desembargador. O TRT da 18ª região, por meio de uma nota, lamentou o ocorrido, que foi classificado como "incidente isolado". O advogado Lucas Jabur, de 28 anos, gravou a cena e enviou as imagens para o jornal O Globo, e contou que a mulher só conseguiu fazer a sustentação oral diante dos magistrados após vestido o paletó emprestado. "Mas isso ocorreu depois que ela ouviu muitas coisas do doutor Eugênio", contou Lucas. "Ela saiu chorando da tribuna. Os advogados ficaram bem exaltados e ficaram a favor dela, mas não tinham muito o que fazer por estarem diante de autoridades", completou ele, ressaltando que o desembargador não poderia ter agido daquela forma.

 

Em nota, o TRT disse acreditar na "manutenção das boas relações mantidas com a nobre classe dos advogados ao longo dos seus quase 27 anos de existência, sempre pautadas pelo mútuo respeito às prerrogativas próprias do exercício das relevantes funções igualmente indispensáveis à administração da justiça".

Sexta, 18 de Agosto de 2017 - 15:10

Anvisa faz alerta para uso anticoncepcional por mulheres com hepatite C

por Júlia Marques | Estadão Conteúdo

Anvisa faz alerta para uso anticoncepcional por mulheres com hepatite C
Foto: Getty Images

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou na quinta-feira (17) um alerta sanitário para mulheres que usam o medicamento Viekira Pak no tratamento de hepatite C. Segundo o órgão, mulheres que fazem tratamento com esse medicamento não devem usar anticoncepcionais orais contendo etinilestradiol - hormônio semissintético. Segundo a Anvisa, há risco de reações adversas pela interação entre os dois medicamentos. O órgão orienta, ainda, que as pacientes consultem um médico para informações sobre a troca ou interrupção do anticoncepcional ou se sentirem cansaço, fraqueza, falta de apetite, náusea, vômito e fezes descoloridas durante o tratamento com o Viekira Pak.

O uso dos anticoncepcionais com etinilestradiol deve ser suspenso, de acordo com a Anvisa, aproximadamente duas semanas antes do início da terapia com Viekira Pak. Durante o tratamento, as pacientes podem usar remédio contraceptivo que contenha outro tipo de hormônio ou substituir por métodos de contracepção não hormonais. Ainda de acordo com a Anvisa, o uso dos anticoncepcionais só pode ser retomado duas semanas, aproximadamente, após o fim da terapia com Viekira Pak. Desde agosto de 2016, a Anvisa, em parceria com o Ministério da Saúde, monitora efeitos adversos pelo uso de novos medicamentos que foram incorporados no SUS em junho de 2015 para tratamento da hepatite C.

Sexta, 18 de Agosto de 2017 - 14:00

Orientações sobre etiqueta empresarial

Orientações sobre etiqueta empresarial
Foto: Pixabay

Etiqueta Empresarial é um conjunto de cerimônias usadas no trato entre pessoas e empresas, regidas pela boa educação, bom comportamento, convenções sociais, ética profissional e prescrições oficiais. É comum as pessoas não prestarem a devida atenção ao tema, deixando escapar a importância desse tipo de etiqueta, pois esse tipo de comportamento é fundamental para a manutenção e o crescimento de uma empresa. Contudo, é ele que, muitas vezes, explica porque pessoas altamente profissionais e competentes no que fazem acabam sendo demitidas de suas empresas e outras – nem tão competentes assim - permanecem, atingindo promoções e melhores oportunidades de carreira. Logo, podemos concluir que competência técnica não é tudo e quem não têm uma boa habilidade para criar relacionamentos, ou seja, etiqueta no convívio, acabam tendo menores chances de sucesso.
 

Veja algumas dicas de etiqueta empresarial:

1. A vestimenta diz muito para as outras pessoas assim é recomendável roupas discretas, sem modismos. Decotes e cores berrantes, dentre outros erros devem ser evitados, sob pena de perder com a seriedade. Tome cuidados com higiene pessoal.

2. O ditado a primeira impressão é a que fica deve ser levado a sério, assim, sempre seja cordial e prestativo já em um primeiro contato, saiba ouvir e falar na hora certa e tenha sempre cartões profissionais disponíveis. Ao entrar em um local peça licença, busque cumprimentar todas as pessoas que estiverem no local, mas só estenda a mão se o interlocutor o fizer primeiro, e só se sente se for convidado por ele.

3. Se comunique corretamente com as pessoas, busque olhar nos olhos, demonstre atenção no que estão falando, não se distraia durante a conversa e busque estabelecer um diálogo.

4. Mantenha uma postura correta, não cruze os braços, evite se sentar de qualquer jeito, jogando o corpo na cadeira, como também não se sente na beirada da cadeira. É importante uma boa acomodação, porém ereto e de forma adequada.

5. Seja organizado e demonstre issoPlaneje adequadamente seu tempo e sua mesa, mantenha os papéis e arquivos de computador nos devidos lugares, onde não só você, mas qualquer membro da empresa consiga localizar quando necessário.

6. Respeite os colegas e o espaço de trabalho. Não precisa ficar mudo durante o expediente, mas evite ao máximo assuntos que exponham o seu lado pessoal ou o de alguma outra pessoa. Fofocas nunca combinaram com o ambiente profissional. Além disso, adeque a altura da sua voz ao ambiente.

7. Cuidado com a utilização de celulares no trabalho, evite ligações pessoais e caso estas ocorram, busque ir para um local privado. Não fale demasiadamente alto e muito menos utilize termos de baixo calão. Também é necessário cuidado com outras ferramentas tecnológicas.

8. Bom humor é uma necessidade nas empresas. Quando estiver tendo um dia difícil, reflita se alguém do trabalho tem a obrigação de compartilhar as dificuldades com você. Contudo, cuidado com as brincadeiras. Um ambiente de trabalho descontraído é positivo desde que sejam feitas apenas brincadeiras saudáveis, que promovam um ambiente alegre e equilibrado.

9. Busque ter “jogo de cintura” na hora de imprevistos e ouça a opinião dos outros muitas vezes de opiniões divergentes se chega a um ponto em comum correto. É preciso saber argumentar e também, ceder.

Rastreamento do câncer: Programa que oferece mamografias gratuitas chega a Ilhéus
Foto: Sesab

Após visitar 39 municípios, o programa Saúde sem Fronteiras Rastreamento do Câncer de Mama chegou a Ilhéus nesta quinta-feira (17), onde deve permanecer até o dia 2 de setembro. A expectativa é atender cerca de três mil mulheres, com idades entre 50 e 69 anos. Exame que detecta precocemente casos de câncer de mama, a mamografia será feita dentro da unidade móvel, estacionada no Centro de Convenções da cidade, na Avenida Soares Lopes. O período de atendimento será sempre das 7h às 18h. Para ser atendida, a mulher deve apresentar o Cartão do SUS, um documento de identidade e um comprovante de endereço. "Sabemos que o câncer de mama, para ser detectado precocemente é preciso que a mulher realize a mamografia e, com isso, se positivo, ela poderá ter todo o tratamento necessário para a sua recuperação", explicou Jucélia Nascimento, diretora de Programas Estratégicos da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab). O programa também faz o acompanhamento das mulheres com mamografias inconclusivas, com a oferta de exames complementares para o diagnóstico e o encaminhamento ao tratamento. No caso de mulheres com diagnóstico positivo, o tratamento cirúrgico, quimioterápico ou radioterápico será realizado em unidades de alta complexidade em oncologia.

Produtos de beleza direcionados a mulheres negras podem não ser tão seguros
Foto: Getty Images

Uma pesquisa divulgada pelo American Journal of Obstetrics and Gynecology divulgou que as mulheres negras estão sendo expostas a mais níveis de químicos tóxicos em produtos de beleza, em comparação as mulheres brancas. Segundo o estudo, 1 em cada 12 produtos comercializados para mulheres negras contém ingredientes prejudiciais. Enquanto 40% dos itens de beleza destinados a mulheres brancas são considerados seguros, um número inferior a 25% dos itens para beleza afro representariam uma ameaça mínima, sendo considerados minimamente seguros.

 

De acordo com o site da revista Elle, a pesquisa diz que muitas mulheres usam cremes faciais clareadores que possuem esteroides de mercúrio em sua composição, além de relaxantes e alisadores para os cabelos, que podem conter estrogênio. A exposição excessiva a essas toxinas pode até mesmo causar danos a gravidez, caso sejam utilizados durante o período de gestação. “A pressão para atender os padrões ocidentais de beleza significa que as mulheres negras, latinas e asiáticas estão usando mais produtos de beleza e, portanto, estão expostas a níveis mais altos de produtos químicos conhecidos como prejudiciais para a saúde”, disse Amy Zota, a epidemiologista ambiental da George Washington University em um comunicado. “O uso do produto de beleza é uma fonte crítica, mas subestimada, de danos reprodutivos e injustiça ambiental”, completou ela.

Ângela Fraga, diretora da Fundação Casa de Jorge Amado, fala da 1ª Edição da Flipelô
Foto: BN Mulher

Ângela Fraga Buarque de Sá é diretora da Fundação Casa de Jorge Amado, advogada com especialização em administração de empresas, há 20 anos trabalha na instituição onde desempenhou a função de assessora da diretoria, administrou os contratos e convênios firmados pela Instituição e coordenou outros diversos projetos da Fundação. Nunca pensou em assumir o cargo de diretora, era o braço direito da mãe até que depois do falecimento de Myriam Fraga o Conselho da Casa a convidou para dar continuidade ao trabalho que foi iniciado por Myriam, idealizadora da Fundação juntamente com Jorge Amado e Zélia Gattai.

 

Nos últimos anos Ângela vem se dedicando aos projetos vinculados à digitalização do acervo, de revitalização da exposição da Fundação,  participou dos trabalhos em torno da criação do Memorial Casa do Rio Vermelho de mãos dadas com Paloma Amado, a curadoria de algumas exposições e recentemente realizou a 1a Edição da Flipelô.


Mas antes de falar da Flipelô, Ângela revelou um segredo que era guardado a sete chaves pela mãe dela e por Paloma Amado. Se trata do acervo de correspondências de Jorge Amado que antes de morrer pediu a Myriam Fraga que zelasse por este acervo e que só abrisse depois de 50 anos. “Logicamente minha mãe falou: mas daqui há 50 anos nem eu estarei viva ... e ele disse use o bom senso", contou Ângela. O primeiro fruto deste acervo já virou livro, é o recém lançado Com o Mar Por Meio, que tem as correspondências trocadas por Jorge Amado e Saramago, um trabalho de pesquisa de Paloma Amado e Bete Capinan coordenadora editorial da Fundação Casa de Jorge Amado e que foi editado pela Cia das Letras. (Clique aqui para entrevista completa) 

Quinta, 17 de Agosto de 2017 - 21:40

Mudar nome de varas de Violência Doméstica pode silenciar mulheres, diz 'TamoJuntas'

por Cláudia Cardozo

Mudar nome de varas de Violência Doméstica pode silenciar mulheres, diz 'TamoJuntas'
Foto: Divulgação

A proposta do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) de mudar o nome das Varas de Violência Doméstica e Familiar em Justiça pela Paz em Casa não foi bem aceita pelo movimento feminista. A mudança foi proposta pela desembargadora Nágila Britto (clique aqui e saiba mais). A líder do grupo TamoJuntas, que presta assessoria jurídica gratuita a mulheres, Laina Crisostómo, lançou uma petição contra a medida, por considerar que mais mulheres serão violentadas e silenciadas com a medida. “É a própria Lei Maria da Penha que determina que as varas se chamem Violência Doméstica e Familiar para que a gente fique com isso, porque não há possibilidade de paz, pois a própria lei diz que tem que haver educação, prevenção, e quando o homem é agressor, é preciso passar por um processo, que dialoguem sobre isso, que haja tratamento psicológico, porque alguns já passaram por violência na infância, são reprodutores. Mas essa mulher precisa ter certeza que valeu a pena denunciar”, afirma. Na petição, ela indica que 500 mulheres são agredidas por hora, sendo que uma mulher é estuprada a cada 11 minutos e uma mulher é assassinada a cada 1h30. Laina ainda repudia a iniciativa do tribunal de se aplicar conceitos da Justiça Restaurativa nas varas de Violência Doméstica. “O grande problema é minimizar a questão da violência doméstica, porque pensar em justiça restaurativa significa tratar a violência doméstica como um crime de menor potencial. Acredito que é preciso que se tenha uma pena real, que haja punição para os casos de violência doméstica, porque senão, isso gera impunidade e corre o risco da mulher ser agredida de novo e nada disso acontecer”, assevera. Ela ainda exemplifica a situação. “Você pensa em uma mulher que vai na Deam [Delegacia Especializada da Mulher] dar uma queixa, vai na Vara de Violência, aí se tenta o diálogo porque houve aquela violência. O homem diz que errou, e aí se faz o que? Perdoa? Volta a relação? Isso vai prejudicar o pensamento das mulheres se vai valer a pena denunciar. Se hoje ela já tem dificuldade em denunciar, sabendo que a Justiça é lenta e há impunidade, imagina uma situação de mediação de conflito. Isso significa dizer que, de fato, não é necessário, ou vai servir de alguma coisa negociar”, reclama. A mediação já é aplicada nas áreas de família. Segundo Laina, em um dos casos que o grupo TamoJuntas acompanhou, uma mulher sofreu agressões brutas, tanto que ela e os filhos tiveram medidas protetivas decretadas. As audiências eram para tratar de uma execução de alimentos, que o agressor não pagava há muito tempo. “Forçaram a mediação de conflito, em duas audiências. Mediar o quê se há violência? Não ha possibilidade de mediação quando se trata de violência. No final das contas, quem sai no prejuízo é a mulher, e aí, faz com que essa mulher se silencie diante da violência, porque ela não vai acreditar que vai haver justiça”, diz.  A petição pretende chamar a atenção do TJ-BA, do próprio Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Supremo Tribunal Federal (STF) “para que desfaçam essa loucura cometida no estado e que o CNJ e STF não permita que isso ocorra no restante do Brasil”. A presidente do STF e do CNJ, ministra Cármen Lúcia, estará em Salvador nesta sexta-feira (18) para participar da Jornada da Lei Maria da Penha e inaugurar a 3ª Vara de Violência Doméstica. A petição pode ser conferida aqui.

Quinta, 17 de Agosto de 2017 - 20:00

Mulher obesa tenta matar melhor amiga que emagreceu

Mulher obesa tenta matar melhor amiga que emagreceu
Foto: Reprodução / Metro Jornal

Duas amigas obesas que sempre haviam compartilhado suas frustrações pelo excesso de peso desde a adolescência acabaram rompendo a relação de muitos anos por causa de uma dieta. Tudo começou quando uma delas decidiu sair de férias em Turbaco, na Colômbia. No meio da viagem, sua irmã, que estava preocupada com o seu estado de saúde, decidiu colocá-la em uma dieta. A mulher, seguindo à risca as instruções da irmã, conseguiu perder 20 quilos em quatro meses com a ajuda de exercícios físicos e trabalho aeróbico. O resultado despertou inveja na amiga, identificada como Teresa de Jesús, que encarou mal a mudança, e justificou: "Agora todos andam atrás de você”. Em revolta contra a nova imagem da amiga que emagreceu, ela chegou a pegar um facão para matá-la, mas sua má condição física não permitiu que ela alcançasse a vítima. De acordo com o site Metro, a polícia local prendeu a mulher, que deve responder por tentativa de homicídio, mas antes irá passar por um teste psicológico. 

Dicas ajudam a transformar lavanderias de forma criativa e funcional
Foto: Dell Anno Curitiba

Áreas de serviço, como a lavanderia, geralmente são deixadas de lado na hora do planejamento de uma reforma ou renovação de interiores. Por ser um cômodo pouco visitado por convidados, e utilizado para serviços domésticos, é comum não se preocupar com a estética ou com o design do local. Hoje em dia, entretanto, já existem projetos que contemplam o espaço de forma simples, prática e bonita, deixando tudo em harmonia com o resto da residência. A arquiteta Juliana Pippi, reuniu ambientes que servem de inspiração para quem deseja transformar o ambiente. Confira:

Priorizando a organização e a funcionalidade, essa lavanderia de paleta de cores neutras, como o bege e branco, foi projetada de forma que todos os cantos fossem aproveitados da melhor maneira possível, seja por meio de armários, varais, tanque, ou até mesmo uma cervejeira, que encontrou abrigo logo ao lado da máquina de lavar.

Com o intuito de imprimir modernidade ao espaço, mas sem perder a sofisticação conferida ao resto dos ambientes da residência, a arquiteta optou pelo uso de fórmica colorida, que entra em composição com a banca clara e eletrodomésticos brancos, tornando o local muito mais estiloso.

Para que a área de serviço não ficasse totalmente conectada à cozinha, foi criado um tipo de despensa de madeira com porta, que torna possível a integração dos cômodos, se assim desejado. Com toques pontuais de cor, como as estantes vermelhas usadas para guardar potes de condimentos e alimentos, o ambiente se tornou moderno e versátil.

Esbanjando cores e estampas, esse projeto, além de incrível para os olhos, focou todas as funções e aparelhos em apenas um lado do espaço, na enorme bancada com armário azuis, de modo que a comodidade e a organização predominassem. Um dos diferenciais, entretanto, são os azulejos que revestem uma parede inteira e imprimem no ambiente um ar divertido.

Histórico de Conteúdo