Um advogado de São Paulo e sua esposa foram condenados a indenizar por danos materiais 11 clientes em razão da má prestação de serviço. A condenação foi proferida pela 14ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP). O advogado e a esposa deverão pagar ainda R$ 100 mil de indenização por danos morais aos ex-clientes que foram lesados. O advogado foi contratado para atuar em uma execução hipotecária. O relator do caso, desembargador Carlos Henrique Abrão, destacou em seu voto que, ao longo do trabalho, o réu apresentou relatórios inconvincentes, majorou valores e, ainda, pediu que fossem feitos depósitos na conta da esposa. O desembargador afirmou que o advogado prejudicou os autores das ações e violou a lei de responsabilidade civil, estatuto da Ordem dos Advogados do Brasil. O magistrado ainda pontuou que o defensor atuou de forma indevida e desistiu das ações de sua responsabilidade sem justificativa “eternizando o sofrimento e agonia, fatos que não podem passar ao largo da análise plural da questão”.

Histórico de Conteúdo