Presidente da OAB repudia suposta investigação a ministro Edson Fachin pela Abin
Foto: OAB

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, repudiou as denúncias da revista Veja de que o governo teria usado a Agência Brasileira de Investigação (Abin) para investigar o ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF). "Se for confirmada a denúncia de que o presidente da República usa órgãos de Estado, como a Abin, para conduzir investigações políticas contra algumas autoridades, estaremos diante de um ataque direto ao Estado Democrático de Direito", afirma Lamachia. "A OAB repudia, com veemência, qualquer investigação ilegal contra ministro do Supremo Tribunal Federal, especialmente quando articulada por agentes públicos que possuem o dever de salvaguardar o Estado de Direito”, diz o comunicado. Segundo Lamachia, apesar das crises que o país atravessa, um dos grandes patrimônios conquistas pela população é a “solidez da nossa democracia”. “É preciso preservar as instituições e a lei, sob pena de termos retrocessos nos valores democráticos e republicanos que asseguram a continuidade e o desenvolvimento do Estado brasileiro”, pontua. “Não podemos aceitar que o Supremo Tribunal Federal seja vítima de arapongagem política. É preciso esclarecer os fatos e, se as acusações forem confirmadas, punir os responsáveis, pois ninguém está acima das leis e da Constituição da República”, conclui. 

Histórico de Conteúdo