Sexta, 28 de Março de 2014 - 09:00

Funcionário do Hopi Hari confirma negligência, diz MP

Funcionário do Hopi Hari confirma negligência, diz MP
Foto: Arquivo Pessoal / Silmara Nichimura
O funcionário do parque de diversões Hopi Hari teria confirmado, durante audiência realizada nesta quinta-feira (27) em Vinhedo (SP), uma das negligências que provocou a morte da estudante Gabriela Yukari Nichimura. A informação é do Ministério Público, já que a imprensa não pôde acompanhar a sessão. De acordo com o promotor Rogério Sanches, Rodolfo Rocha de Aguiar, que atua no setor elétrico do local, manteve o relato que havia feito à polícia durante as investigações do acidente, que aconteceu em fevereiro de 2012 no brinquedo “La Tour Eiffel”. “Ele confirmou que na madrugada do dia de funcionamento da atração, que vitimou a jovem, detectaram que havia um colete solto na sessão sabidamente composta de uma cadeira inoperante. Ao perceberem que ele estava solto, e jamais poderia estar, nenhuma providência foi tomada. Ele presenciou uma das negligências", explicou. O processo tem 12 réus acusados de homicídio culposo, quando não há intenção. Entre eles está o presidente do parque à época do acidente. A adolescente, de 14 anos, morava no Japão e passava férias com os pais e a irmã no Brasil. De acordo com o laudo do Instituto Médico Legal , ela sofreu politraumatismo depois de cair do brinquedo "La Tour Eiffel". A próxima audiência está prevista para 14 de abril, quando deve ser ouvida a prima de Gabriela, que estava em uma cadeira ao lado dela no momento da queda. A assessoria do Hopi Hari informou, em nota divulgada na quarta-feira (26) , que não iria se manifestar sobre a primeira audiência. Informações do G1.

Histórico de Conteúdo