Apoio:

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Apoio:

Apoio:

Pense Direito

Advogado é condenado a indenizar clientes por má prestação de serviço

Trabalhei durante mais de 05 (cinco) anos em vários processos trabalhistas nas Varas de Juazeiro-Ba. contra o Município de Sento Sé. Como é do conhecimento de todos os aludidos processos quando são transformados em precatórios, tanto as partes e os advogados ficam aguardando o pagamento dos respectivos pagamentos. O advogado Sebastião Nilton Ribeiro Braga OAB/BA 21.799 que era funcionário e procurador do Município de Sento Sé, em escancarado e vergonhoso PATROCÍNIO SIMULTÂNEO E PATROCÍNIO INFIEL crimes previstos NOS ARTIGOS 355 DO CÓDIGO PENAL duplicidade de atuações, enganou uma grande quantidade de reclamantes com dupla finalidade criminosa no ano das eleições obteve 675 votos em favor do seu irmão José do Ruffino. Houve várias denúncias em vários blogs pela sua conduta criminosa, fàcilmente constatável. Até aí, os meus direitos não tinham sido prejudicados em razão dos arbitramento dos meus honorários advocatícios no percentual de 20% (vinte) por cento, inclusive com a petição desse advogado Sebastião N.Pereira Braga que fossem arbitrados os meus honorários advocatícios em 20% (vinte por cento) deferido pela digna Juiza Maria Grazza em 25 de outubro de 2012 nos autos do Processo número 01078-2007.342.5.05 RT fls. 1244 dos autos. Com a aposentadoria o TRT nomeou o Juiz CARLOS JOSÉ SOUZA CONSTA, que de forma absurda e atrabiliária, revelando grande facciosidade, reduziu os meus horários aribtrados no ano de 2012 em 20% pela douta Juiza Titular da Vara Maria Grazza da 2a. Vara do Trabalho de Juazeiro, imaginem vcs. para 10% (dez0 por cento e os outros 10% (dez) por cento endereçados ao seu beneficiado SEBASTIÃO NILTON PEREIRA RIBEIRO BRAGA OAB/BA 21.799. É por demais primário querer mudar um decisum com trânsito em julgado que consistiu em um arbitramento não só nesse processo como em quase todos nas 1as. e 2as. Varas do Trabalho de Juazeiro. Estou ingressando com uma representação disciplinar contra esse juiz CARLOS JOSÉ SOUZA COSTA, que além de diminuir o meu percentual de honorários advocatícios de 20% para 10% e foi mais além que na 1a. parcela que recebí os 20% que fossem devolvidos os 10%. A denúncia que será encaminhada à Corregedoria do TRT que o juiz CARLOS JOSÉ SOUZA COSTA considerado suspeito e parcial seja, imediatamente, afastados de todos os processos em fase de precatórios que atuo diante desse absurdo procedimento processual, evitando-se, uma série de problemas que jamais aceitarei ser prejudicado por este juiz não cumpridor dos seus deveres legais, ferindo de morte o Estatuto dos Idosos em razão de que já tenho mais de de 72 anos. Como fundamento que a minha pessoa passou a residir e morar após a solução dos processos em outra Cidade, senão for cômico e trágico, tentativa de dividir os meus honorários advocatícios com Sebastião Nilton Pereira Braga que trabalho como advogado do Municipio de Sento Sé e foi Secretário do SAAE em Sento Sé. Basta clickar o blog do Zé carlos borges-sento sé-nilton ribeiro braga irá encontrar o curriculum vitae desse "sócio' dos meus honorários advocatícios por imposição do juiz CARLOS JOSÉ SOUZA COSTA. Deus está no controle, que não tira do justo para dar ao ímpio, ao contrário, tira do ímpio para dar ao justo. Essa palavra cumpre-se é verdadeira e fiel! Glória a Deus, Glória a Jesus, Aleluias!

25/08/2014 - 17:43

Aloísio Figueiredo Bittencourt

Levantamento aponta que candidatos a governador respondem a 327 processos

Os corruptos se sentem à vontade para se candidatarem, pois tem o apoio popular. Quem vota em corrupto é cúmplice.

25/08/2014 - 09:02

daniel fontes

Veja mais

Apoio:

Apoio:

Quinta, 16 de Fevereiro de 2012 - 17:46

Ministro do STJ morre sete horas depois da mulher

Ministro do STJ morre sete horas depois da mulher
O ministro aposentado do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Milton Luiz Pereira, faleceu na madrugada desta quinta-feira (16), aos 79 anos, na cidade de Curitiba (PR). Segundo informações do tribunal, o magistrado morreu sete horas depois do óbito de sua mulher, Rizoleta Mary Pereira, às 19h desta quarta-feira (15). Os dois tinham câncer. Em nota, o presidente do STJ, Ari Pargendler, comentou a morte do casal. “O falecimento do ministro Milton Luiz Pereira e de sua esposa, Dona Mary Pereira, constitui uma perda para o mundo. Formavam um casal harmonioso nutrido pelo amor que sentiam pelos filhos”, disse. Milton Pereira foi juiz federal na capital paranaense e atuou no STJ até 2002, quando se aposentou compulsoriamente. O enterro ocorrerá na manhã desta sexta (17), às 10h, no cemitério Parque Iguaçu, em Curitiba.

Comentar

   

Histórico de Conteudo

Apoio:

Apoio:

Apoio: