Entrevistas

‘Mesmo quando fui para Rapina, nunca deixei de ser Falcão da Guig’, diz cantor sobre retorno

O cantor Falcão reassumiu os vocais da Guig Ghetto em novembro de 2013 e se prepara para gravar o novo DVD da banda dentro Festival Swinga Aracaju, na capital sergipana, no próximo dia 18 de outubro. Em entrevista ao Bahia Notícias, o artista falou sobre as influências musicais, a comparação com Xanddy e revelou quem considera a grande promessa do pagode baiano. Falcão também comenta as modas da ostentação e do pagode com letras apelativas. Não deixe de ler a entrevista na Coluna Holofote!

Veja mais

Frase da Semana

Vina Calmon

“Aí fiz o biquinho. Só que ele veio com a boquinha aberta... Tomei um susto, mas não teve língua”

Vina Calmon, vocalista da banda Cheiro de Amor, explicando como rolou o beijo na boca com o astro internacional Julio Iglesias.

Veja mais

Segunda, 06 de Setembro de 2010 - 18:18

Fôlego de Ivete Sangalo é elogiada pela imprensa americana

por Fernanda Fahel

 

A imprensa americana ficou impressionada pelo fôlego da cantora Ivete Sangalo, durante o show que aconteceu no último sábado (4), no Madison Square Garden, em Nova York. O evento juntou por volta de 15 mil pessoas, das quais 5 mil eram brasileiros, entre eles, muitos famosos que saíram do Brasil só para prestigiar a musa do axé transformar a arena numa verdadeira micareta. Os jornalistas americanos também notaram as danças e empolgação do público e afirmaram que a “febre brasileira” tomou conta do Madison. Outro fato que causou surpresa na imprensa internacional foi Ivete ter subido ao palco, abraçada com toda a equipe de produção do show e o público ter cantado “Eu sou brasileiro com muito orgulho, com muito amor”, ao final da apresentação. No entanto, apesar dos tantos elogios, os críticos afirmaram que ainda assim seria difícil para Ivete se tornar uma pop star internacional, como Beyoncé ou Madonna, devido a “barreira lingüística” e ao “ritmo acelerado” de suas músicas.


Comentar

   

Histórico de Conteudo

Enquete

Qual a razão do repouso forçado de Ivete Sangalo?

Curtas e Venenosas

Curtas e venenosas da semana

Vina Calmon, minha gatona, vai aqui um conselho de quem entende do babado: se fosse pra ter uma Mulher Farofa na Banda Cheiro, meu amigo Cabeção (Windson Silva) não teria tirado Alinne Rosa. Portanto, deixe de piriguetagem e vá cantar. Se quiser mais conselhos já sabe onde me encontrar. Outra coisa, essa lance de Manno Góes e Tuca Fernandes rivalizarem até na política tá engraçado. Será que Dilma e Aécio acham mesmo que o apoio dos sujeitos vai lhes render votos? Leiam as Curtas e venenosas da semana!

Veja mais

Colunistas

Luis Ganem

Colunista

14/10/2014 - 09:10

A morte da música da Bahia - homicídio ou suicídio?

03/09/2014 - 16:17

O que o entretenimento espera do próximo governador?

O mercado artístico e cultural tem reclamado muito de certo amadorismo no que tange a logística de shows e eventos no estado. Sendo que alguns fatores são sempre preponderantes para essa reclamação. Seja pela falta de espaço próprio para o desenvolvimento do segmento como casas de shows e um novo e moderno centro de convenções, seja pela falta de investimentos das autoridades para com a classe, o fato é que insatisfações como esta fazem com que o mercado, que vive somente contando com o Parque de Exposições agropecuárias ou então um ou outro local improvisado, tenha realmente razão para reclamar do declínio dos grandes eventos em geral que deixaram de vir para a Bahia.


Paulo Victor Nadal

Colunista

20/10/2014 - 17:31

Quebradeira baiana: Conheça a arrochadeira, gênero musical que vem ganhando destaque na Bahia

Você conhece a 'arrochadeira'? Ela vem ganhando grande destaque no cenário musical baiano, conquistando dezenas de fãs e atraindo diversas novas bandas e artistas para um novo gênero musical.

20/10/2014 - 17:30

BN lança sua nova coluna, Quebradeira Baiana, com foco em pagode e arrochadeira

O Bahia Notícias inaugura esta semana sua nova coluna de Holofote, a "Quebradeira Baiana", que será comandada por Paulo Victor Nadal. Nos textos, Paulo falará sobre artistas baianos que “botam para quebrar”, em especial do pagode e da arrochadeira, mas que acabam não conseguindo ter grande espaço na imprensa para divulgar suas músicas.


Veja mais