Quarta, 10 de Janeiro de 2018 - 11:15

Presidente do Bahia comenta pagamento por Jean e revela parcela para 2019

por Ulisses Gama

Presidente do Bahia comenta pagamento por Jean e revela parcela para 2019
Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia

Uma das vendas do Bahia após a temporada de 2017 envolveu o goleiro Jean, que foi para o São Paulo por cerca de R$ 9 milhões, além da cessão definitiva do meia Régis. Entrevistado pela Rádio Metrópole, o presidente do clube, Guilherme Bellintani, não revelou os detalhes do pagamento por questões contratuais, mas deixou claro que o atleta não será pago pelo clube paulista em 24 vezes.

 

Bellintani também informou que existe uma parcela de pagamento para o próximo ano. A justificativa dada pelo mandatário é o maior valor a receber no período.

 

"O pagamento não é à vista e não é em 24 vezes. Tem uma cláusula contratual que nos impede de dizer a forma de pagamento. Tem uma parcela para 2019, não tenho porque esconder. Faz parte da estratégia de negociação. Preferimos deixar uma parcela para 2019, que é maior do que se fosse paga em 2018. O contrato foi muito bem feito e prefiro ter um pagamento alongado e maior, do que um pagamento à vista, desesperado, e receber menos por isso. Entendemos a negociação como adequado e sustento isso como relevante ao clube", explicou.

 

Ainda sobre a negociação, o mandatário tricolor afirmou que existe mais um jogador a ser trazido do Sâo Paulo, mas a escolha ainda não foi feita. O clube tem um prazo de 60 dias.

 

"Ainda não identificamos um atleta que nos agrade plenamente. Estamos participando de um processo de avaliação. O Dade está analisando. Temos direito a mais um atleta alem do Régis e estamos sendo cautelosos. Temos 60 dias para tomar essa decisão. Nunca falei em Iago Maidana, era uma hipótese, mas não foi possível", indicou.

 

Bellintani também falou sobre o meia Zé Rafael, destaque do Bahia e cobiçado pelo Cruzeiro. O dirigente indicou que houve sondagem, mas seguiu o caminho do diretor de futebol Diego Cerri e afirmou que é difícil que chegue uma proposta.

 

"Há muita sondagem. Se o Bahia ganhasse R$ 10 sobre cada especulação sobre Zé Rafael, a gente tinha um dos maiores orçamentos do Brasil. Se fosse isso, estaríamos bem. Zé é um jogador do clube, importantíssimo, uma grande marca do clube. Chegando proposta muito vantajosa, a gente pode analisar. Mas não vejo um clube que tenha condição de levar Zé Rafael no preço que acreditamos que ele vale", pontuou.
 

Histórico de Conteúdo