Colunistas

Elane Varjão

22/11/2014 - 08:27

Giro: Bruna Vieira desafia Felipe Neto em encontro da Icekiss

Segundo Ricardo Fernandes, gerente de marketing da Cory, fabricante das balas Icekiss, esta é a maior ação no universo on-line já feita pela empresa.

Veja mais

Veja mais

Veja mais

Literatura

Juventino e o Sinca Chambord

Jadson Oliveira é integrante histórico da nossa confraria de jornalistas. Confraria que bebeu muito, falou muito, pensou muito. Hoje continua bebendo muito, pensando muito, trabalhando, produzindo, mas os objetivos são mais sofisticados: análise da conjuntura nacional, comparar as barrigas, falar da vida alheia. À exceção das mulheres. Pouca gente sabe que lá para as tantas desconjuramos o machismo e as recebemos em nossos encontros, elas agregaram sensibilidade, sabedoria e continuam lindas. Jadson nos brinda com a figura singular de Juventino, um balconista de loja que não dava muita sorte no amor. Por Carlos Navarro Filho

 

Confraria IV, Chico o Pensador no Porto do Moreira

Esta semana voltamos ao tema da confraria que reúne há mais de 40 anos figuras ímpares do jornalismo baiano, agora já não tão jovens, ao contrário a calvície atacando a uns, barriguinha definida em forma de quibe em outros, todos grisalhos, já não tão barulhentos quanto antes mas sempre falando muito. O estágio atual é a passagem pelo Porto do Moreira, o mais tradicional restaurante da zona central de Salvador, quase centenário, comandado pelos irmãos Chico e Antônio. Não demorou muito tempo por causa do horário. A casa queria fechar às dez da noite e criou-se o conflito, todos tinham alforria para chegar bem mais tarde em casa.

Veja mais

Entrevistas

Jean Wyllys estreia programa sobre cinema e quer a 'desconstrução de preconceitos'

Jean Wyllys estreia seu programa "Cinema em Outras Cores", no Canal Brasil, nesta quinta-feira (13). Com uma trajetória ligada à escrita, o baiano apresenta agora o programa de entrevistas voltado à discussão de curtas-metragens com temáticas como diversidade sexual e drogas. Diretores, atores e outros envolvidos nas produções são convidados a discutir as obras e os temas que as circundam em 13 episódios da primeira temporada. O jornalista e professor ficou conhecido nacionalmente após vencer a quinta edição do Big Brother Brasil e atualmente foi reeleito deputado federal (PSOL-RJ). Em entrevista, ele conta detalhes do programa, como concepção e escolha dos filmes, além de sua relação pessoal com cinema e sua opinião sobre a produção baiana, presente em dois curtas da atração. Na visão do deputado/comunicólogo, o programa tem a missão da "desconstrução de preconceitos". "O audiovisual tem um papel fundamental na educação do nosso povo, nas suas visões de mundo, então eu quero, com esse programa, levar pra eles outras representações dos modos de vida LGBT, sobre as drogas, que não sejam representações que “Bocão” e outros programas similares fazem, outros olhares sobre os problemas do Brasil". Leia a entrevista completa.

Veja mais

Resenha BN

Ivete faz participação especial em show de Djavan em Salvador; veja vídeo do encontro

A (boa) surpresa da noite foi a participação especial de Ivete Sangalo, chamada de “Rainha do Brasil” pelo anfitrião. Ela foi anunciada por ele como “uma nova revelação da música baiana”. “Vamos ver se ela é afinada”, brincou. Quando Ivete entrou no palco, cantando “Meu Bem Querer”, o público vibrou. Veja o vídeo e leia mais sobre o encontro das estrelas da MPB em Salvador.

Veja mais

Sexta, 16 de Agosto de 2013 - 10:20

'É uma história de amor', diz Glória Pires sobre 'Flores Raras', que estreia nesta sexta

por Marília Moreira

'É uma história de amor', diz Glória Pires sobre 'Flores Raras', que estreia nesta sexta
Dezoito anos se passaram desde a compra dos direitos do livro “Flores Raras e Banalíssimas”, de Carmen L. Oliveira, até a chegada do filme “Flores Raras” às salas de cinema de todo o Brasil nesta sexta-feira (15). O filme, dirigido por Bruno Barreto e protagonizado por Glória Pires e pela australiana Miranda Otto, se passa no Rio de Janeiro dos anos 50 e 60 e conta a história de amor entre a arquiteta brasileira Lota de Macedo Soares (interpretada pela primeira) – criadora do Aterro do Flamengo, um dos cartões postais da Cidade Maravilhosa – e a poetisa norte-americana Elizabeth Bishop (interpretada pela segunda). 
 
Glória Pires está no projeto desde o início, antes mesmo do diretor Bruno Barreto – que foi convidado anos depois por sua mãe, também produtora do filme. Em coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira (12), em Salvador, Glória Pires e Bruno Barreto comemoram o fato de o filme estrear em um momento propício ao debate sobre os direitos civis dos homossexuais. “Esse momento é maravilhoso, porque o filme contribui positivamente para esse debate. Não é um filme sobre a homossexualidade, mas tem esse fato como a situação das personagens que protagonizam a história. E, por isso, contribui de uma maneira muito positiva, mostrando essa relação amorosa e o desejo, às vezes tão prosaicos, dessas duas mulheres”, afirmou Glória Pires.
 
Nascida nos Estados Unidos, Elizabeth Bishop sempre esteve à deriva. Nos anos 50, decidiu viajar ao Brasil para uma “cura geográfica”; acreditava que novos ares fariam bem a ela e à sua poesia. No Rio de Janeiro, ficou hospedada na casa de Lota de Macedo Soares, então companheira de Mary Morse, antiga colega sua de faculdade. Logo de início, o encontro entre Bishop e Lota pareceu um desastre. Devido a uma crise alérgica que a impediu de retornar aos Estados Unidos no tempo previsto, Bishop teve de ficar mais um tempo na casa de Lota e Mary. Foi nesse ínterim que surgiu a paixão arrebatadora entre as duas. Com o romance, que durou cerca de 14 anos, as duas potencializaram suas criações: Bishop recebeu o Prêmio Pulitzer pelo livro “North and South” e Lota criou o Aterro do Flamengo. 
 

 
Para Bruno Barreto, o filme é essencialmente isso: uma história de amor. “É uma história de amor, que mostra como uma das personagens, no caso a Lota, que é a forte, a vencedora, a que sabe o que quer, fica cada vez mais fraca porque não sabe lidar com a perda, e como a fraca, perdedora, alcoólatra, indecisa, que vive viajando pelo mundo e não tem residência fixa, que é a Bishop, vai ficando cada vez mais forte, porque mal ou bem ela lida com as perdas e não as joga para debaixo do tapete”, sintetizou o diretor.
 
Apesar de ser uma produção nacional, o filme é quase que integralmente falado em inglês. Há uma semana "Flores Raras" abriu o 41º Festival de Gramado, com direito a homenagem a Glória Pires, que ganhou o Troféu Oscarito. Internacionalmente, o filme foi agraciado com o prêmio de público no Festival de São Francisco, maior festival gay do mundo. “Embora nosso filme não levante nenhuma bandeira, ele está contribuindo de uma forma muito positiva, muito clara, sobre a questão”, afirmou Glória Pires, que também acredita no preparo do público para lidar com tema quando tratado com seriedade.
 
Com uma trilha sonora impecável, o filme, segundo o diretor, pode ser definido com uma música que não faz parte da produção: “Fugaz”, de Marina Lima. “Acho que quando a Lota abre os braços, a Bishop diz a ela: "e a gente faz um país". E quando elas se abraçam elas criam realmente esse país, que é a Samambaia, o mundo delas”, contou o diretor.

Comentar

   

Histórico de Conteudo

Aninha Franco

Aninha Franco: A Casa do Rio Vermelho, abrigo da baianidade

14/11/2014 10:29

Um amigo, recentemente, descobriu um prazer que alguns de nós desfrutamos de nascença, quando participou da festa de aniversário da esposa de um pescador na Casa de Yá. Ele assistiu à baianidade legítima. Para desfrutá-la e, mesmo, para entendê-la, é preciso dispor de sentidos sensíveis, como os mencionados por Bilac em sua relação com as estrelas. “Amai para entendê-las, pois só quem ama pode ter ouvidos capaz de ouvir e de entender estrelas”. Nem todos merecem isso.

Veja mais

Henrique Wagner

Teatro na Bahia: Panorama do atual teatro baiano

21/11/2014 13:40

A crise pode ser discutida em duas pautas: qualidade e negócios (leia-se público). O teatro baiano vem demonstrando, nos últimos dez ou quinze anos, que, com ele, o problema é apenas um: os dois.

Veja mais

Edimário Duplat

BN HQ: Leituras da Semana - Novos X-Men: E de Extinção

21/11/2014 20:29

Nos primeiros anos do século XXI, uma nova e misteriosa inimiga pretende eliminar os mutantes da terra. Para isso, ela toma controle de um fábrica oculta de sentinelas selvagens e arquiteta um plano de execução em massa que transforma totalmente o cenário mundial.

Veja mais

Mayana Winck

Make Up & Hair: prótese capilar sem cirurgia

14/11/2014 15:15

Usado principalmente por pessoas que perderam seus fios após passarem por processos de quimioterapia, alopécia (causada por stress ou choque emocional), e até mesmo nos casos de calvíce hereditária, a prótese capilar é uma grande aliada na recuperação da auto estima durante o tratamento para recuperar a cabeleira.

Veja mais