Colunistas

Elane Varjão

27/12/2014 - 08:00

Giro: Jolivaldo Freitas é o aniversariante deste sábado

Jornalista completa mais um ano de vida com sucesso do livro “Baianidade, Baianadas, Balangandãs & Mandingas”

Veja mais

Marcos Preto

22/12/2014 - 14:50

RelP: Principal tendência da moda em 2015 abraça a decoração

O Normcore, que defende a simplicidade e reaproveitamento no usar, caiu tomou conta da decoração.

Veja mais

Veja mais

Literatura

Carta a um velho vagabundo

O texto desta semana é assinado por Janio Ferreira Soares, escritor, cronista, articulista na imprensa baiana, secretário municipal em Paulo Afonso, cidade da usina hidrelétrica, no sertão do norte da Bahia fazendo divisa com Alagoas, Sergipe e Pernambuco. Dono de prosa agradável, ágil, boa de ler, ele homenageia um amigo que completou dez anos de morte, desenlace ocorrido justo na data de aniversário do autor e de um filho. Por mais de 30 anos Janio viveu na beira do rio criando filhos, patos e galinhas, até que decidiu mudar-se para o grande centro urbano da região, onde hoje empresta talento e atividade profissional nas áreas de cultura, turismo e esportes. Boa leitura. Carlos Navarro Filho

 

A historia de Mariazinha na roça do Boqueirão

Peço vênia aos poetas e prosadores baianos para furar a fila dos textos e poemas, que são publicados neste espaço por ordem de chegada. É que preciso fazer uma homenagem, nesse texto rápido e muito sucinto sobre a uma mulher guerreira que tem toda importância para um grupo de homens, mulheres, meninas e meninos que protegeu, alimentou, vestiu, calçou, conferiu-lhes caráter, liderou e manteve unidos. Na próxima semana voltamos à normalidade. Carlos Navarro

Veja mais

Entrevistas

'O BaianaSystem sempre tá mudando', diz o guitarrista Roberto Barreto

Idealizador da BaianaSystem, Roberto Barreto é o responsável pela guitarra baiana no grupo, instrumento que junto ao baixo, voz e pickups compõem o som único produzido. Conhecido como Robertinho, já fez parte da Timbalada, Lampirônicos e, atualmente, produz os programas Radioca e Rádio África, na Educadora FM. Em entrevista, o músico faz uma avaliação do desenvolvimento do grupo baiano, parcerias, planos para o carnaval e do segundo disco, com produção de Daniel Ganjaman (produtor de Criolo), que deve ser lançado após o Carnaval 2015. Ele ainda revela um pouco do Festival Radioca, que deve acontecer no primeiro semestre do próximo ano, com curadoria dele, do jornalista Luciano Matos e do músico Ronei Jorge.

Veja mais

Resenha BN

Ivete faz participação especial em show de Djavan em Salvador; veja vídeo do encontro

A (boa) surpresa da noite foi a participação especial de Ivete Sangalo, chamada de “Rainha do Brasil” pelo anfitrião. Ela foi anunciada por ele como “uma nova revelação da música baiana”. “Vamos ver se ela é afinada”, brincou. Quando Ivete entrou no palco, cantando “Meu Bem Querer”, o público vibrou. Veja o vídeo e leia mais sobre o encontro das estrelas da MPB em Salvador.

Veja mais

Sexta, 16 de Agosto de 2013 - 10:20

'É uma história de amor', diz Glória Pires sobre 'Flores Raras', que estreia nesta sexta

por Marília Moreira

'É uma história de amor', diz Glória Pires sobre 'Flores Raras', que estreia nesta sexta
Dezoito anos se passaram desde a compra dos direitos do livro “Flores Raras e Banalíssimas”, de Carmen L. Oliveira, até a chegada do filme “Flores Raras” às salas de cinema de todo o Brasil nesta sexta-feira (15). O filme, dirigido por Bruno Barreto e protagonizado por Glória Pires e pela australiana Miranda Otto, se passa no Rio de Janeiro dos anos 50 e 60 e conta a história de amor entre a arquiteta brasileira Lota de Macedo Soares (interpretada pela primeira) – criadora do Aterro do Flamengo, um dos cartões postais da Cidade Maravilhosa – e a poetisa norte-americana Elizabeth Bishop (interpretada pela segunda). 
 
Glória Pires está no projeto desde o início, antes mesmo do diretor Bruno Barreto – que foi convidado anos depois por sua mãe, também produtora do filme. Em coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira (12), em Salvador, Glória Pires e Bruno Barreto comemoram o fato de o filme estrear em um momento propício ao debate sobre os direitos civis dos homossexuais. “Esse momento é maravilhoso, porque o filme contribui positivamente para esse debate. Não é um filme sobre a homossexualidade, mas tem esse fato como a situação das personagens que protagonizam a história. E, por isso, contribui de uma maneira muito positiva, mostrando essa relação amorosa e o desejo, às vezes tão prosaicos, dessas duas mulheres”, afirmou Glória Pires.
 
Nascida nos Estados Unidos, Elizabeth Bishop sempre esteve à deriva. Nos anos 50, decidiu viajar ao Brasil para uma “cura geográfica”; acreditava que novos ares fariam bem a ela e à sua poesia. No Rio de Janeiro, ficou hospedada na casa de Lota de Macedo Soares, então companheira de Mary Morse, antiga colega sua de faculdade. Logo de início, o encontro entre Bishop e Lota pareceu um desastre. Devido a uma crise alérgica que a impediu de retornar aos Estados Unidos no tempo previsto, Bishop teve de ficar mais um tempo na casa de Lota e Mary. Foi nesse ínterim que surgiu a paixão arrebatadora entre as duas. Com o romance, que durou cerca de 14 anos, as duas potencializaram suas criações: Bishop recebeu o Prêmio Pulitzer pelo livro “North and South” e Lota criou o Aterro do Flamengo. 
 

 
Para Bruno Barreto, o filme é essencialmente isso: uma história de amor. “É uma história de amor, que mostra como uma das personagens, no caso a Lota, que é a forte, a vencedora, a que sabe o que quer, fica cada vez mais fraca porque não sabe lidar com a perda, e como a fraca, perdedora, alcoólatra, indecisa, que vive viajando pelo mundo e não tem residência fixa, que é a Bishop, vai ficando cada vez mais forte, porque mal ou bem ela lida com as perdas e não as joga para debaixo do tapete”, sintetizou o diretor.
 
Apesar de ser uma produção nacional, o filme é quase que integralmente falado em inglês. Há uma semana "Flores Raras" abriu o 41º Festival de Gramado, com direito a homenagem a Glória Pires, que ganhou o Troféu Oscarito. Internacionalmente, o filme foi agraciado com o prêmio de público no Festival de São Francisco, maior festival gay do mundo. “Embora nosso filme não levante nenhuma bandeira, ele está contribuindo de uma forma muito positiva, muito clara, sobre a questão”, afirmou Glória Pires, que também acredita no preparo do público para lidar com tema quando tratado com seriedade.
 
Com uma trilha sonora impecável, o filme, segundo o diretor, pode ser definido com uma música que não faz parte da produção: “Fugaz”, de Marina Lima. “Acho que quando a Lota abre os braços, a Bishop diz a ela: "e a gente faz um país". E quando elas se abraçam elas criam realmente esse país, que é a Samambaia, o mundo delas”, contou o diretor.

Comentar

   

Histórico de Conteudo

Ildázio Tavares Jr

Ildázio Tavares Jr.: Bahia, The Best!

09/12/2014 06:57

Seguinte Brothers & Sisters: depois de um tempo negro que devemos apagar de nossa memória, gostaria de convocar todos os baianos a elevar nossa terra ao patamar que lhe pertence - e jamais deveria ter abandonado – no TOP 5 do melhor do melhor que há para se fazer, se divertir, indicar aos amigos e voltar sempre no Brasil!!

Veja mais

Aninha Franco

Aninha Franco: Tudo está bem na cultura baiana? Para quem, caro Albino?

05/12/2014 16:35

As declarações de Albino Rubim defendendo o cargo elucidam sua gestão. O Centro Histórico está bem, ele assegura, a Secult está instalada lá, ele adverte, e ignora os que sobrevivem da vida turística do bairro e nele investiram que é o que importa. É preciso lembrar que Rubim dispôs da ajuda de Domingos Leonelli para destruir o negócio turístico da Bahia.

Veja mais

Henrique Wagner

Panorama da atual literatura baiana

05/12/2014 13:00

Não conheço tudo o que se produz em literatura na Bahia – e desafio quem o conheça. Alguém pode me dar o nome de um poeta que more em Pojuca? Um contista que more em Paulo Afonso? Nada disso me chegou ainda. E eu não sou caixeiro-viajante.

Veja mais

Edimário Duplat

BN HQ: RV Cultura e Arte promove bate-papo com autor de Astronauta: Singularidade

09/12/2014 17:45

Uma boa notícia para os fãs de quadrinhos que moram em Salvador. No próximo sábado (13), a comic shop RV Cultura e Arte promove na capital baiana uma tarde de autógrafos com Danilo Beyruth, autor da HQ “Astronauta – Singularidade”.

Veja mais

Mayana Winck

Make Up & Hair: alongamento de cïlios

11/12/2014 19:30

Quando falamos em um olhar fatal, pensamos imediatamente em cílios longos e cheios. No quesito maquiagem, seja qual for a ocasião, costumamos recorrer aos cílios postiços para dar um UP nos olhos! Os experts em maquiagens que o digam!!! Os cílios postiços costumam ser colocados no momento da maquiagem com uma cola a prova d'àgua e duram em média 24 horas, sendo facilmente removidos com a ajuda de um algodão umedecido com soro fisiológico morno. Se você é destas que são fissuradas por cílios e assim como eu não os tem tão fartos, aí vai uma super dica...

Veja mais

Luiz Mott

Luiz Mott: Matar veado não é homicídio, é caçada!

28/11/2014 13:11

Data de 1985 esse abominável brado morte para os homossexuais, hoje referidos de forma politicamente correta como LGBT – lésbicas, gays, bissexuais e trans (travestis e transexuais) – publicado pelo jornalista Berbert, auto proclamado “exterminador de veados”.

Veja mais

Madame Castro

Madame Castro em: Gastronomia, a Arte que cresce, aparece e apetece

28/11/2014 16:10

Estava recolhida esperando a tempestade esfriar, relendo os melhores e comendo dos Chefs mais talentosos, quando o telefone tocou e Aninha Franco derramou milhares de perguntas, algumas com respostas, nos meus ouvidos. Parecia possuída pela loucura da velha Guima. – Você precisa voltar a escrever sobre gastronomia!

Veja mais

Eduardo Bastos

Eduardo Bastos: O ano em que o Chiclete perdeu a bandana

12/12/2014 15:05

O grupo inglês Pink Floyd acaba de voltar à ativa com um álbum intitulado “The Endless River” (“O Rio Sem Fim”, em inglês). Poderíamos recorrer a uma metáfora semelhante – porém, mudando do elemento água para o elemento terra – para definir o panorama atual da música baiana mais popular, especialmente aquela que ficou conhecida como axé music: Um Deserto Sem Fim. Sim, porque a julgar pelo que foi produzido em 2014, nos depararemos inevitavelmente com o vazio criativo e a falta de perspectiva.

Veja mais

Claudius Portugal

Claudius Portugal: o que escrever sobre arte?

24/12/2014 00:57

Aninha Franco me liga e pede um artigo sobre as artes visuais. Escrevo sobre arte, mas de cara dizendo que não sou crítico. Nem me interessa em ser. Leio, estudo, vejo, acompanho, entrevisto, escrevo reportagens, biografias, textos para catálogo. Uma linguagem, a do escritor, falando sobre outra linguagem. Apenas isto. Enquanto sou convencido, imediatamente penso no título de última Bienal de São Paulo: Como atravessar coisas que não existem. Aceito, após verificar que as coisas existem. E como existem!

Veja mais