Sexta, 02 de Junho de 2017 - 00:00

‘Não basta vontade’: Sema requer colaboração da Secult para reforma no Espaço Mário Cravo

por Estela Marques / Jamile Amine

‘Não basta vontade’: Sema requer colaboração da Secult para reforma no Espaço Mário Cravo
Foto: Paulo Victor Nadal / Bahia Notícias

Em forte processo de deterioração, o Parque Metropolitano de Pituaçu, situado em Salvador, está incluído nos planos futuros de ações do governo da Bahia. Em entrevista ao Bahia Notícias, o secretário Geraldo Reis, titular da Secretaria do Meio Ambiente (Sema), informou que o local, que abriga de forma precária áreas dedicadas ao artista plástico baiano Mário Cravo Júnior (clique aqui e saiba mais), passará por uma “grande intervenção”, na ordem de R$ 17 milhões. “Eu já tive oportunidade de me reunir com o governador, logo quando assumi a secretaria”, contou Reis, lembrando que está há mais de 90 dias na pasta. “O governador tem o compromisso com essas intervenções no Parque de Pituaçu. Eu tinha, inclusive, na semana passada, uma agenda com o chefe da Casa Civil, o secretário Bruno Dauster, mas ele viajou para a China e a agenda caiu”, afirmou, acrescentando que um dos pontos da pauta era exatamente este projeto. “São grandes intervenções, que vão desde iluminação adequada, à parte referente à ciclovia. O governador, por exemplo, tem interesse que o parque seja todo cercado com um gradil, uma cerca verde”, explica o titular do Meio Ambiente estadual. “E tem as intervenções logo ali na entrada do parque, que é a área mais urbanizada, etc. Ali, que já está razoavelmente degradado”, diz Geraldo Reis, em referência à região onde se encontram o Parque das Esculturas e o Espaço Mário Cravo. 

 


Espaços dedicados a Mário Cravo no Parque de Pituaçu estão abandonados | Foto: Jamile Amine / Bahia Notícias


Zona de convergência, com imprecisões entre as atribuições das pastas de Meio Ambiente - responsável pela gestão do parque – e de Cultura, tais áreas dedicadas ao artista plástico baiano dependem ainda de um acordo entre as duas secretarias. “A gestão em si ali é nossa, da Sema e Inema [Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos]. Agora, essa área especifica com as obras de Mário Cravo demanda todo um cuidado. Então, esse manejo é bastante delicado, essas obras estão se deteriorando ali, até pela proximidade da praia, do mar”, explic Reis. “Ao mesmo tempo, não basta vontade, chegar ali, pegar aquelas obras, fazer uma reforma, uma restauração. Precisa de especialistas pra fazer essa restauração. Portanto, neste caso específico, teria que entrar uma forte colaboração da Secretaria de Cultura, que tem esta expertise”, pondera ele, afirmando que existe diálogo entre sua pasta e a Secult, mas sem dar, no entanto, um prazo para o início das obras do governo no parque. Procurada pelo Bahia Notícias desde meados de maio, a assessoria de comunicação da Secult não se manifestou sobre as reformas requeridas nos espaços dedicados a Mário Cravo no Parque de Pituaçu.

Histórico de Conteúdo