‘Me retiro em respeito a minha própria tribo’, diz Ingra Lyberato ao sair de comissão do Oscar
Foto: Reprodução / Facebook
A comissão formada por críticos para indicar representante brasileiro no Oscar sofreu mais um desfalque nesta sexta-feira (26). Depois da renúncia de Guilherme Fiúza Zenha (clique aqui e saiba mais), a cineasta Ingra Lyberato anunciou sua saída: “Me retiro em respeito a minha própria tribo, lamento profundamente esse conflito e torço para que nova comissão encontre legitimidade”, escreveu Ingra, referindo-se aos protestos da classe artística diante parcialidade no julgamento de Marcos Petrucelli, escolhido pela Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura para integrar a comissão. Ele se posicionou publicamente contra “Aquarius”, longa-metragem de Kleber Mendonça Filho, cuja equipe participou de protestos contra o impeachment de Dilma Rousseff, durante o Festival de Cannes. “Há alguns dias comecei a sofrer por causa da retirada de alguns filmes preciosos (clique aqui e saiba mais). Estou diante da minha classe insatisfeita e clamando por justiça. Minha função diante da arte que me construiu nessa existência é atuar e escrever histórias. Não estou escolhendo um lado porque já o tinha feito desde sempre: Sou contra o golpe que impediu e retirou o governo eleito democraticamente, de suas funções. Mas não corto relações de amizade com ninguém por causa disso. Acredito na nossa união como classe artística acima de tudo. Sei que nome de grande representatividade já aceitou integrar a comissão, mas esse processo fragmentado pode comprometer nosso maior interesse: o cinema”, escreveu Ingra Lyberato, justificando sua saída da comissão. 

Histórico de Conteúdo