Terça, 21 de Abril de 2015 - 17:00

BN HQ: Ao repetir fórmula, Vingadores 2 traz a alma dos quadrinhos Marvel para os cinemas

por Edimário Duplat (edimarioduplat@bahianoticias.com.br)

BN HQ: Ao repetir fórmula, Vingadores 2 traz a alma dos quadrinhos Marvel para os cinemas
Em 2012, “Os Vingadores” se tornou um divisor de águas para o mundo dos super-heróis no cinema. Conceito que já havia sido abortado por diversas empresas ao longo dos anos, a união de personagens consagrados em uma mesma película era visto por muitos como uma iniciativa já fadada ao fracasso e que poderia destruir todo um novo universo ainda relativamente novo nas telonas.

Como dar o devido espaço em cada um dos super-heróis envolvidos? Seria possível elevar a trama para algo que justificasse este encontro e não diminuísse a mitologia de seus protagonistas? Apesar das dúvidas que rodeavam esta iniciativa, o que parecia impossível acabou se tornando sucesso de público e crítica ao valorizar uma fórmula simples em meio a tantos investimentos e caros efeitos especiais: contar uma boa história que respeite a essência original daquela mitologia e de seus personagens.

Dessa maneira, não é difícil imaginar que a sua continuação, Vingadores 2: A Era de Ultron, chegue as telas na próxima quinta-feira (23) apenas para confirmar a equação de sucesso e nos apresentar uma aventura que não deve nada ao seu antecessor.

Assim como no primeiro filme, muito do sucesso que se deve a esta continuação parte da mente do diretor Joss Whedon. Reconhecido como um grande roteirista do mercado de entretenimento infanto-juvenil, o criador de séries como Buffy, Angel, Dollhouse e Firefly sabe construir uma forte rede narrativa que engrandece os seus personagens e conecta todos os atos em uma conclusão épica que não perde o foco e valoriza os detalhes que vão sendo abordados ao longo da história, carregando-a de boas doses de humor, drama e ação. Muita ação.

Na trama, temos um filme que mesmo não sendo o último da “Fase 2” da Marvel Studios, que termina com o Homem-Formiga em Julho, unifica os acontecimentos ocorridos anteriormente (em Capitão América: O Soldado Invernal, Homem de Ferro 3, Guardiões da Galáxia e Thor: O Mundo Sombrio) para trazer uma história bem orquestrada e que se transforma em um divisor de águas para os próximos lançamentos do universo cinematográfico.

Nela, temos a entrada de Ultron, a inteligência artificial que se rebela contra o seu criador, Tony Stark, e pretende destruir os Vingadores com a justificativa de que o grupo é o maior mal que existe no mundo. Em meio a isso, presenciamos uma trama que força os heróis ao extremo e os obriga a enfrentar os seus próprios demônios para descobrirem o verdadeiro valor do heroísmo e os segredos que envolvem o autômato vivo.

Além dos já conhecido personagens, formado por estrelas como Robert Downey Jr., Scarlett Johansson, Mark Ruffalo, Samuel L. Jackson e Chris Evans, que desfilam um ótimo entrosamento e repetem a sinergia já apresentada na primeira película, temos a entrada de novos antagonistas marcantes da editora, que assim como um convincente Ultron (James Spader), também engrandecem e adicionam mais elementos de interesse a trama.

Assim, conhecemos os gêmeos Wanda (Elizabeth Olsen) e Pietro Maximoff (Aaron Taylor-Johnson), seres sobre-humanos que são peças importantes para o desenvolvimento de toda a narrativa, e o enigmático Visão (Paul Bettany), que justifica todo o mistério orquestrado pela equipe criativa no período que antecedeu o filme e se apresenta como uma das melhores adaptações das HQs para o cinema.


Trabalhando mais intensamente cada um dos envolvidos na história e sabendo dosar o espaço de desenvolvimento de todos na trama, Vingadores 2 traz a perfeita personificação de um dos grupos que sempre se caracterizou nos quadrinhos por ser a união de indivíduos diferenciados, que juntos descobrem o valor da redenção para se tornarem seres mais nobres na luta contra o mal.  

No final das contas, A Era de Ultron é um prato cheio a todos aqueles que são fascinados pela Marvel. Para os amantes dos quadrinhos, o filme consegue reproduzir fielmente as clássicas histórias com toda a carga de reviravoltas e embates entre heróis e vilões, carregando o drama que tornou esta franquia tão popular entre os amantes da arte sequencial. 


Já os que se fidelizaram pelos filmes também podem ficar tranquilos, pois a película demonstra que a energia criativa deste mundo cinematográfico segue a todo vapor e ainda tem espaço para contar muitas e muitas aventuras da "Casa das Ideias".


Histórico de Conteúdo