Quinta, 25 de Abril de 2013 - 00:00

Regaseificando a Baía de Todos os Santos

por Eduardo Athayde

Regaseificando a Baía de Todos os Santos
A quatro quilômetros a Oeste da Ponta de Nossa Senhora, Ilha dos Frades, no centro da Baia de Todos os Santos (BTS), está sendo construído o Terminal de Regaseificação da Petrobras. Dada a sua indiscutível importância econômica, locais apropriados competem para instalação desses terminais. Neste caso específico, contudo, além do aspecto econômico, a concorrência de outros aspectos igualmente relevantes levam a análises complexas e questionam as decisões das licenças dadas pelo Inema/Secretaria de Meio Ambiente.
 
A obra, em que pese os benefícios de aumento da capacidade de regaseificação do país dos atuais 27 milhões para 41 milhões de m3/dia, numa demanda nacional média de 74,9 milhões de m3 /dia, fere a BTS pelo impacto da localização imprópria, conflitando com o que determina a Lei 9.985/00, regulamentando o artigo 225 da Constituição Federal, e já foi contestada pela Prefeitura de Salvador e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).
 
O crescente valor do território molhado da BTS, patrimônio público singular, exige analises refinadas sob outras óticas que, com o mesmo peso, devem incidir sobre a decisão de localização de empreendimentos desta natureza. As dimensões históricas, sociais, culturais, ambientais, paisagísticas, turísticas, marítimas e preservacionistas da localidade, que deveriam pesar na concessão das licenças, pelo visto, não foram devidamente consideradas. O terminal poderá ser transferido para outro lugar da BTS se os aspectos citados – que suscitam embargos de diferentes ordens até últimas instâncias – forem legalmente observados.
 
 
 
Aproveitando o "verde", símbolo de sustentabilidade que assume novo status valorizando empresas, a Petrobras, presente em 25 países, inova, apropriando "valores verdes" à sua marca avaliada em R$19,7 bilhões pela Brand Analytics. Além das empresas, cidades e localidades estão valorando suas marcas como nova ferramenta para competir por turistas, recursos e negócios.
 
Quanto será que vale a marca preservada da "Baía de Todos os Santos", berço da história do Brasil, que confere identidade ao povo da baía – baianos – e ao seu Estado, e será exibida para o mundo com a força da imprensa internacional na Copa de 2014? Mesmo antes de ser valorada, a baía já está sendo prejudicada pelo terminal que, contrastando com a bela paisagem, manterá navios tanques flutuando nas águas centrais da BTS, com a proibição de qualquer outro tipo de uso ou aproximação dentro de um raio de 1,5 quilômetro.
 
O governo baiano, reconhecendo a BTS como a maior atração turística do Estado e tratando-a com a devida prioridade, pode contratar uma empresa internacional especializada em valoração de marcas para definir o valor da marca "BTS".
 
Visada também como potencial para o turismo religioso, já que é consagrada a "Todos os Santos", a baía está recebendo outros investimentos. Recentemente a Arquidiocese de Salvador constituiu oficialmente um grupo de trabalho para organizar o projeto de construção de uma imagem de Nossa Senhora, com 32 metros de altura - mesma altura do Cristo Redentor -, na Ponta de Nossa Senhora.
 
Como o Cristo, principal cartão postal do Brasil, a Nossa Senhora da Baía de Todos os Santos refletirá raios do sol durante o dia, e, à noite, iluminação especial a fará flutuar no mar escuro, sendo vista de todos os cantos da baía. Dirigentes do poderoso clube "Les Plus Belles Baies du Monde" (As Mais Lindas Baias do Mundo), sediado em Paris, que reúne governos, agencias de gestão e editores internacionais que cobrem baías, veem a Salvador para fazer matérias sobre o potencial da BTS, seus cantos, encantos e impactos indesejados.
 
A presidente Dilma, gestora sensível, que escolheu as águas limpas da BTS para passar o final de ano com a família, de certo não tem conhecimento claro do impacto negativo que o terminal da Petrobras está promovendo no coração da maior baia do Brasil, berço civilizatório do País. Se devidamente informada, tomará providências.
 
 
* Eduardo Athayde é diretor da Associação Comercial da Bahia (ACB) e do Rotary BTS.

Histórico de Conteúdo