Denunciado pela PGR, Lúcio aguarda decisão da Câmara sobre cassação de Maluf

Alvo de denúncia por lavagem de dinheiro e organização criminosa, o deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) compartilhou com aliados sua curiosidade para saber qual será a posição dos colegas quanto à prisão do deputado Paulo Maluf (PP-SP) e a eventual cassação de seu mandato na Câmara. “Quero só ver o plenário vai fazer”, resumiu Lúcio, segundo informações do blog Radar, da Veja. De acordo com determinação do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), Maluf deve cumprir pena de sete anos de prisão, perdendo automaticamente o cargo no Poder Legislativo. O parlamentar é acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de usar contas no exterior para lavar dinheiro desviado da Prefeitura de São Paulo, no período entre 1993 e 1996 (saiba mais aqui). Diante disso, a Câmara avalia questionar a decisão da corte (veja aqui). Já o parlamentar baiano chegou a ser alvo de um pedido de recolhimento noturno, feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR), em decorrência do seu envolvimento no caso do bunker de R$ 51 milhões. Além do proprietário do apartamento onde o montante foi encontrado revelar que o empréstimo havia sido feito a Lúcio e não ao ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), a Polícia Federal (PF) apreendeu uma conta de luz da empregada do deputado (saiba mais aqui e aqui).