Após ‘devolver’ R$ 555 mil, Coronel quer energia solar e poço artesiano para economizar

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Angelo Coronel (PSD), reviu as contas da Casa para tentar economizar ao máximo e cumprir a promessa que fez no início de sua gestão: de que devolveria parte do orçamento ao governador Rui Costa. Com os cortes que fez em serviços de telefonia e uso de papel, por exemplo, ele não só realizou obras no plenário e na recepção do prédio público, como ainda fez um ato simbólico de entrega de R$ 555 mil para os cofres públicos – que serão posteriormente direcionados a instituições de caridade escolhidas a partir do projeto Assembleia de Carinho. E, apesar de admitir que deve haver um déficit de R$ 44 milhões no orçamento do ano que vem (entenda aqui) – gerado pelo Plano de Cargos e Salários que aprovou e implementou a partir deste mês, após 20 anos de defasagem no pagamento dos servidores –, Coronel não desistiu de “enxugar” as contas públicas. E algumas propostas já estão previstas para o próximo ano. Uma delas é, em parceria com a Coelba, implantar um sistema de coleta de energia solar no prédio da AL-BA, para diminuir as contas de energia. Uma outra proposta é investir em uma obra para criar um poço artesiano que também implique na diminuição dos gastos com água. Além disso, Coronel já encaminhou o processo para revisar o contrato com a empresa de serviços terceirizados – que pode gerar um desconto de até 40% em relação ao que é pago atualmente. Nesta quarta, o presidente da AL-BA comemorou as mudanças que já geraram uma boa economia para a Casa: além de cortar o ponto dos deputados que faltam às votações, o órgão digitalizou mais de 444 mil documentos e, com o Plano de Cargos e Salários, solucionou um passivo trabalhista que era avaliado em cerca de R$ 1,2 bilhão. No balanço apresentado para a imprensa nesta manhã, no primeiro dia de recesso da Casa, Coronel ainda frisou os investimentos feitos nas ações de caridade. A AL-BA retomou um convênio com o Hospital Aristides Maltez, de R$ 8 mil mensais (veja aqui); dobrou o valor da parceria com o Hospital Martagão Gesteira, que deve manter ao menos seis leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) (veja aqui); e ajudou as Obras Sociais Irmã Dulce a obterem uma nova fonte de renda (veja aqui). Segundo Coronel, a proposta da Assembleia de Carinho gerou interesse até em outros estados - os presidentes das Assembleias Legislativas dos oito estados do Nordeste já o procuraram para manifestar interesse em desenvolver um trabalho parecido, nos moldes do que é aplicado na Bahia.