Sefaz não foi alvo de operação; mandado mira servidor da secretaria

Após a Embasa se manifestar sobre a Operação Opinião, deflagrada pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Eleitoral na manhã desta quarta-feira (13), a Secretaria de Comunicação do governo também se posicionou sobre a ação informando que tanto a Embasa quanto a Secretaria da Fazenda do Estado (Sefaz) não foram alvo, institucionalmente, dos mandados – foram cumpridos mandados nos dois locais. No caso da Sefaz, informa a Secom, o alvo era um técnico administrativo do quadro efetivo da pasta. A PF chegou à sede da secretaria por volta das 6h10. “O servidor é lotado na área administrativa e não exerce nenhum cargo de confiança, direção ou assessoramento na Secretaria. A orientação da Sefaz-Ba é a de colaborar com as investigações, acompanhar os seus desdobramentos e, caso necessário, tomar as providências cabíveis”, afirma a Secom. A Operação Opinião tem como principal alvo o deputado estadual Marcelo Nilo (PSL), que é suspeito de prestar informações falsas à Justiça Eleitoral. Segundo informações do Ministério Público Federal, há indícios de que ele seria o verdadeiro controlador da Bahia Pesquisa e Estatística (Babesp). A empresa teria sido utilizada para recebimento de recursos em caixa 2 e também teria veiculado pesquisas manipuladas.