Caso envolvendo Temer e Rocha Loures teve prática de corrupção passiva, conclui PF

Um relatório parcial da Polícia Federal sobre a investigação relacionada ao presidente Michel Temer e seu ex-assessor Rodrigo Rocha Loures conclui que houve prática do crime de obstrução de Justiça. Segundo informações da Folha de S. Paulo, a PF ainda não se manifestou sobre a existência de corrupção passiva. Esse ponto ainda depende da conclusão da perícia na gravação secreta feita por Joesley Batista em conversa com Temer. No documento entregue ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta segunda-feira (19) a Polícia Federal pediu também mais prazo para concluir as investigações sobre o presidente. O prazo concedido pelo ministro Edson Fachin se encerrou neste domingo (18). Portanto, a conclusão deveria ser entregue nesta segunda, primeiro dia útil após o limite estabelecido.