Eduardo Cunha teria comprado votos para se eleger presidente da Cāmara

O ex-deputado Eduardo Cunha teria comprado diversos parlamentares para que votassem em seu favor durante a campanha para a presidência da Câmara dos Deputados. É o que sustenta o empresário Joesley Batista, dono da JBS, que firmou acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal (MPF). Os áudios dos depoimentos dados pelo dono da JBS para o MPF foram divulgados nesta sexta-feira (19) pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Na delação, o empresário afirma que Cunha pediu R$ 30 milhões para comprar deputados.  “Pelo que eu entendi ele saiu comprando deputado, saiu comprando um monte de deputado Brasil a fora. Para isso que servia os R$ 30 milhões”, declarou Joesley. O empresário ainda explicou de que forma o pagamento foi feito. “Dos R$ 30 milhões, R$ 10 milhões foram pagos com notas frias diretamente aos deputados, R$ 12 milhões foram entregues em espécie na mão do deputado e R$ 5,6 milhões foi depositado em doação oficial ao PMDB”, detalhou o dono da JBS. A campanha para presidência da Câmara dos Deputados foi realizada no fim de 2014. Cunha recebeu 267 votos (veja aqui).