Prefeitura estuda alternativa ao projeto da Linha Viva; prazo para conclusão é de 60 dias

A prefeitura de Salvador está considerando uma alternativa para o projeto original da Linha Viva. Ao invés de incluir o bairro da Saramandaia na proposta, tem sido estudada a possibilidade de a abertura de uma nova via começar da Avenida Luís Eduardo Magalhães até o CIA-Aeroporto. De acordo com o secretário de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur), Guilherme Bellintani, o prazo para conclusão é 60 dias. “Não sou favorável de forma nenhuma a construir uma estrada que simplesmente realoque as pessoas sem uma estrutura melhor do que a que elas têm hoje. É preciso lembrar que as pessoas vivem embaixo de uma linha de transmissão de alta tensão, que isso é um risco, não à toa que é proibido instalar qualquer tipo de atividade ou moradia embaixo de alta tensão. Isso não deve ser elemento suficiente para justificarmos a retirada de pessoas sem um planejamento social muito claro. (...) A política social do prefeito ACM Neto é muito clara”, justificou o secretário. A construção da etapa da via sem inclusão da Saramandaia é uma saída ao enfrentamento do problema, mas Bellintani considera que é preciso averiguar se a possibilidade seria economicamente viável e se resolveria a questão da mobilidade – a que o projeto da Linha Viva se propõe. “Estamos nos estudos econômicos desta parte. (...) O que sei é que como todo grande projeto para a cidade, é um projeto que não existe só coisas fáceis de fazer. Se fosse fácil, já tinham feito”, acrescentou. O projeto da Linha Viva tramita na Câmara Municipal de Salvador (CMS) e deve ser apreciado pelo plenário em junho deste ano.