Operação Adsumus: Empresário investigado tem liberdade concedida pelo TJ

O empresário Jonaldo Almeida do Carmo, investigado e com prisão preventiva decretada durante a deflagração da sexta etapa da Operação Adsumus no dia 19 de dezembro, teve pedido de soltura aceito. Carmo teve o habeas corpus acatado pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA) no último dia 21, depois de ser indiciado pela participação em um esquema que desviou R$ 20 milhões da administração de 2012 a 2016 da prefeitura de Santo Amaro. Os desvios, feitos por meio da aquisição fraudada de material de construção, aluguel de máquinas e veículos, e em licitações de obras públicas, são alvo de investigação da Operação Adsumus, que já expediu pedido de prisão para o ex-prefeito de Santo Amaro, Ricardo Machado, e o ex-prefeito de Muritiba, Roque Isquem, liberado na última semana (veja aqui). A prisão temporária de Carmo foi pedida pelo Ministério Público pela suspeita de risco do empresário investigado aproveitar a liberdade para "ocultar, destruir, falsificar e/ou adulterar provas durante as buscas e apreensões", bem como risco de haver "acertamento de versões". A decisão de soltura do TJ rebate o "risco", alegando, nos autos, que Carmo não agiu de forma que respaldasse essa suspeita: "A efetividade da busca e apreensão não está condicionada à prisão, sendo perfeitamente viável sua implementação sem cumulação com a medida extrema da prisão temporária". A decisão de soltura foi publicada no diário oficial desta terça-feira (26).