Sete cuidados com crianças na praia ou na piscina

Por mais prazeroso que seja ir à praia, alguns cuidados são necessários, principalmente com as crianças, para que não ocorram queimaduras ou até acidentes graves com elas durante esse período de férias. Veja algumas dicas do neonatologista e membro da Sociedade Americana de Pediatria para cuidar melhor das crianças na praia.

 

1. Crianças menores de 5 anos precisam usar boia: é uma das melhores recomendações contra afogamentos. "A boia do tipo colete é a mais eficiente, mas aquela de bracinho também funciona", afirma o pediatra. É preciso verificar se elas estão bem cheias e não possuem furos. Elas devem ser colocadas sempre após a aplicação do protetor solar e mesmo com a boia, é fundamental que as crianças fiquem em áreas mais rasas, para não correr riscos. 

 

2. Não esquecer de passar protetor solar: "Bebês menores de 6 meses de idade não devem usar protetor solar, porque a sua pele ainda é muito sensível. É fundamental, portanto, que os pais fiquem atentos às faixas etárias e à data de validade dos produtos. Indico sempre aqueles de fator 30 para cima, independentemente da cor da pele", explica o pediatra. É recomendável fazer um teste alérgico antes de usar a loção na criança. Você deve aplicar uma pequena quantidade no antebraço, aguardar alguns minutos e se não houver nenhuma reação, pode continuar usando. O pediatra indica também o uso de produtos a prova d'água.

 

3. Evite horários que o sol é mais forte: segundo o site da revista Claudia, o sol de 12h às 17h deve ser evitado "Mesmo que a criança esteja com o protetor solar, ela não deve ficar mais do que 30 minutos exposta ao sol. Crianças maiores de 7 anos podem ficar um período de até uma hora. O protetor solar deve sempre ser reaplicado entre uma e duas horas depois da primeira aplicação", recomenda o pediatra. 

 

4. Evite alimentos com limão: debaixo do sol, o limão pode causar queimaduras que mancham a pele por causa das substâncias que ele contém. "Caso a família e a criança gostem muito da fruta, o indicado é sempre lavar as mãos e a boca", diz o pediatra. 

 

5. Cuidado com os alimentos vendidos na praia: muitas vezes, por não conhecer a procedência dos alimentos, eles podem fazer muito mal, tanto a crianças quanto a adultos. O ideal, de acordo com o médico é levar alimentos de casa, bem como a água, para que as crianças fiquem alimentadas e hidratadas.

 

6. Não deixe que as crianças entrem na água sem a supervisão ou companhia de adultos: mesmo que sejam crianças mais velhas, que sabem nadar, é sempre bom ter um adulto por perto para evitar qualquer tipo de acidente. O ideal é que elas não fiquem muito afastadas da faixa de areia da praia.

 

7. Não se esqueça dos olhos e o couro cabeludo das crianças: essas áreas também podem sofrer com os raios solares, por isso, chapéus, óculos de sol e camisetas com proteção ultravioleta são formas importantes de proteção. "É fundamental explicar para o pequeno que ele não deve, em hipótese alguma, olhar diretamente para o sol, mesmo com óculos escuros", finaliza Nelson.