'Gostei da minha estreia', vibra Paulo César Carpegiani, após o Bahia arrancar empate

Estreante da noite, o técnico Paulo César Carpegiani comemorou o empate conquistado pelo Bahia após começar perdendo por 2 a 0 para o Palmeiras. As duas equipes se enfrentaram nesta quinta-feira (12), no estádio do Pacaembu, em São Paulo, pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro. O comandante ficou satisfeito com o futebol apresentado pela equipe baiana.

 

"Me deu uma perspectiva muito boa. Começar um trabalho e um relacionamento nem sempre é fácil. Você tem as descobertas, tem os desafios e nós tivemos cinco dias. Tem muita gente fora ainda, alguns jogadores ainda estão voltando de lesões também. Acho que dentro de um contexto, acabei gostando bastante da equipe, bem consciente. É muito difícil você tomar um gol fora de casa contra uma grande equipe e aquelas coisas que acontecem sempre é um prenúncio de uma coisa muito ruim. Tomamos o segundo gol e aí sim que a equipe foi consciente, botou a bola no chão e começou a jogar baseado na velocidade. Nós complicamos o Palmeiras em função disso. No segundo tempo, principalmente na parte final, nos últimos quinze minutos, nós criamos oportunidades que poderíamos até ter vencido e seria bem justo pelo que a gente produziu, pela posse de bola. Ficamos com uma boa condição de posse de bola e isso é fundamental para se jogar futebol. Gostei da minha estreia", vibrou.

 

Quando o juiz assinalou o pênalti o goleiro Jean perdiu para bater. Carpegiani revelou que o arqueiro estava na primeira relação dos batedores. No entanto, ele disse que deixou para o capitão Renê Júnior escolher quem seria o cobrador, que acabou sendo o atacante Edigar Junio, que converteu a penalidade.

 

"Nesses cinco dias que tivemos, o Jean foi o melhor que bateu pênalti. Ele estava na primeira relação. Falei com Renê que quem estivesse melhor, batesse. É o meu capitão. O próprio Renê deu a bola para o Edigar. Ele [Jean] bate bem. Ele estava na primeira relação, depois o Renê, depois o Edigar. Rodrigão veio dizer: “Pô, deixa que eu bato”. Falei que o capitão tem que ver. Se errar, ele tem o poder de decisão. Mas era uma ordem minha assim. Quem não estiver bem, o capitão vai ver quem está com o moral alto para bater o pênalti", revelou.

 

Com o ponto conquistado, o Bahia chegou aos 32 na 14ª colocação na tabela de classificação. O próximo compromisso do Esquadrão de Aço será domingo (15), às 18h no horário de Salvador, na Arena Fonte Nova, na capital baiana, pela 28ª rodada.