Com história fraca e confusa, 'Uma Família Feliz' é uma animação pobre e sem sentido

Dentre as várias animações que chegam as telonas, nem todas conseguem imprimir o atual sucesso desse segmento, que nos últimos vinte anos é reconhecido por apresentar histórias com bom conteúdo tanto para adultos quanto para as crianças. Este é o caso do filme alemão "Uma Família Feliz", que estreia nesta quinta-feira (17) nos cinemas de todo o Brasil.


O filme já não se ajuda desde a sua confusa ideia principal: após conversar por engano com o Conde Drácula pelo telefone, a vendedora Emma Wishbone desperta o interesse amoroso do Príncipe das Trevas, que promete libertar a bruxa Baba Yaga de seu cativeiro se esta conseguir transformar a sua amada em uma vampira com alma. Entretanto, a confusa feiticeira exagera na concepção da magia e faz com que todos os membros da família Wishbone se transformem em seres das trevas, com o seu marido se tornando um Frankenstein e seus filhos se metamorfoseando em uma múmia e um lobisomem. Agora, todos precisam não só retornar a sua forma original como também deter as investidas do vilanesco vampiro.


Em um olhar mais desavisado, a impressão é de que Uma Família Feliz se mostra como uma animação básica que perdeu espaço nos cinemas por conta de filmes mais bem elaborados de empresas como Pixar e Dreamworks. Entretanto, ter esse viés comparativo foge muito dos problemas básicos apresentados pela obra dirigida por Holger Tappe. 


Sem um direcionamento coerente já no próprio conceito do roteiro, temos uma história bastante pobre em alimentar qualquer carisma pelos personagens da trama. Do lado do vilão, nada se explora com exatidão e não conseguimos nem sentir afeição ou muito menos ódio pelo personagem. E se no caso do Drácula temos um problema, a chamada "Família Feliz" é um verdadeiro circo dos horrores. Caricatos demais, são apenas pincelados na história e não tem nenhuma característica que os leve a ser simpatizados por crianças ou adultos. Some a isso algumas piadas escatológicas sem sentido, que são tão fracas que param de ser ditas do meio pro final da história, e alguns personagens extras que entram na história da mesma forma rápida que somem logo depois.


Independente de que muitas animações de hoje sejam conceituadas ou pensem de uma forma madura, o grande problema de "Uma Família Feliz" é de justamente desprezar o seu público com uma confusão de imagens e nada de um mínimo roteiro coerente.